Empresa reduz jornada de trabalho e se dá muito bem

Uma semana com quatro dias úteis e os mesmos índices de produtividade. A redução de 40 para 32 horas semanais de trabalho não é mais uma realidade assim tão distante para os brasileiros. A empresa de tecnologia NovaHaus foi uma das primeiras do país a adotar o modelo, em março. E o reflexo já é considerado positivo. “Com as pessoas mais descansadas e revigoradas, a produtividade por hora aumenta, além de melhorar também o empenho profissional”, destaca Leandro Pires, CEO da NovaHaus.

A empresa aderiu às quartas-feiras livres, por uma questão estratégica. “Quando as pessoas pensam em dias de descanso a mais por semana, é natural que pensem na sexta ou na segunda. Mas adotamos a quarta-feira porque, por mais que descansassem mais, estariam com a produtividade parecida na quarta e na quinta. Com o descanso no meio da semana, o profissional volta na quinta-feira mais focado e tranquilo”, informa Pires.

Com sede na cidade de Franca, interior de São Paulo, a empresa tem cerca de 45 funcionários, sendo que 80% deles já optaram pelo trabalho presencial, que continua opcional. Foi ainda no auge da pandemia, há mais de um ano, que os diretores começaram a pensar na ideia de um dia livre na semana. “Já sabíamos que o trabalho nunca mais seria o mesmo pós-pandemia. Após dois anos de home office, analisamos que era preciso fazer diferente”, afirma o executivo.

O novo modelo de trabalho terá a duração de oito meses antes de ser adotado. Mas, de acordo com o Pires, os resultados já são satisfatórios. “A gente espera que, com a carga reduzida, diminua o estresse, aumente a qualidade de vida e reflita positivamente na produtividade. E está dando certo. Ainda estamos fazendo todas as análises, mas já notamos um aumento de produtividade”, ressalta.

Outro ponto positivo foi a diminuição em 100% do turnover da empresa, desde que o novo modelo de jornada de trabalho foi adotado. “Inclusive, alguns profissionais receberam outras propostas vantajosas em outros lugares, mas decidiram ficar por causa da jornada reduzida”, conta.

Além dos Emirados Árabes Unidos, alguns países europeus já são pioneiros em adotar a jornada de trabalho reduzida. Na Bélgica, trabalhar quatro dias por semana é realidade definitiva desde fevereiro. Outros países, como Escócia, Espanha e Islândia, estão em fase de testes para jornadas mais flexíveis. Pires reitera que a diminuição na jornada de trabalho não causa impacto na remuneração dos colaboradores.

Com escritórios também na capital e com freelancers recorrentes no exterior, a NovaHaus possui colaboradores nas áreas de tecnologia, ciência da computação, engenharia, marketing, cientistas de dados, UX designers e redatores. E a empresa não exige diploma para contratar. Caso o colaborador opte por não contratar as plataformas, ele pode utilizar o valor em livrarias ou garantir ingressos de cinema, teatro e shows. Saiba mais: (https://novahaus.com.br/).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap