Tecnologia 14/10/2016

DCloud pode ser para todos, inclusive pequenas empresas e empreendedores

Com pacotes acessíveis, sob medida e soluções simplificadas, pequenos negócios já podem ser destemidos e abraçar a nuvem

comschool-1113x780 temproario
  • Save

Cristiano Mendes (*)

Para pequenos negócios adotar soluções de computação em nuvem pode parecer um processo sofisticado e intimidador. Porém, essa mentalidade já pode ser deixada de lado, pois a nuvem é para todos. Serviços de Cloud podem ajudar a acompanhar o crescimento do seu negócio oferecendo escalabilidade e flexibilidade com recursos adicionais, enquanto sua empresa continua a se expandir.

A computação em nuvem, com aplicações e informações armazenadas na Internet, oferece benefícios para pequenas empresas, tais como: flexibilidade para utilizar quantidades variáveis de banda larga dependendo das necessidades do seu negócio, pagando apenas pelo uso; recuperação de falhas e proteção para ajudá-lo a garantir a segurança das suas informações e de seus clientes; e, a capacidade de acessar seus dados em qualquer lugar com uma conexão de Internet disponível.

Para começar a desmistificar a nuvem, veja algumas dicas que micro e pequenos empresários podem levar em consideração quando começarem a pensar em adotar Cloud em seus negócios:

Não tenha medo, experimente!
Muitas vezes, uma das grandes preocupações de pequenos negócios é o orçamento. Adotar servidores em Cloud pode parecer uma decisão de alto custo, mas não precisa ser. Existem pacotes e planos com limites mensais e é importante entender muito bem as regras do provedor para ter clareza quanto ao valor máximo que você vai gastar com a nuvem por mês. Você pode optar por serviços de nuvem em que você paga pelo uso real, por exemplo. Conhecer as regras pode ajudar a controlar seu orçamento e operar seu negócio mais tranquilamente na nuvem.

Busque simplicidade
Claro que existem infraestruturas de nuvem muito complexas e que necessitam de uma equipe de TI para configurar e manusear frequentemente. No entanto, um pequeno negócio nem sempre precisa de tanta complexidade e existem muitas soluções simples e fáceis de usar, desenhadas especialmente para o pequeno empreendedor que pode querer colocar a própria mão na massa.

Com tantas plataformas disponíveis no mercado hoje em dia, você não precisa saber como integrar aplicativos ou montar suas configurações. Você pode utilizar soluções já integradas que ajudam a simplificar os processos e que funcionam de forma “arrasta e solta”, com explicações passo-a-passo, tornando tudo mais prático. Encontre uma plataforma com recursos que simplifiquem a nuvem para atender suas necessidades, juntamente com suporte ao cliente para te guiar ao longo do caminho.

Funciona, muitas empresas estão usando
Se mesmo depois de calcular seus gastos e pesquisar a fundo sobre uma solução simples de Cloud que funcione para o seu negócio você continuar em dúvida, lembre-se: a tecnologia de nuvem está funcionando, e como prova disso, hoje ela é altamente adotada por diversas companhias pelo mundo.

Agora é o momento de aprender mais sobre os serviços e aplicações em nuvem disponíveis no mercado e para ver o custo-benefício que podem trazer enquanto te ajuda a gerenciar e expandir seu negócio. Se notar que precisa de recursos adicionais, você pode aumentar seu pacote de Cloud, sem perder desempenho e clientes, ao mesmo tempo em que monitora seus gastos de perto. Com a tecnologia, suas informações são armazenadas em múltiplos servidores, muitas vezes em diversas locações, para ajudar a presença online do seu pequeno negócio ficar mais protegida e ajudar a garantir a eficiência e desempenho contínuos da sua pequena empresa online.

Além disso, o melhor benefício talvez seja a possibilidade de acessar os dados da sua companhia em qualquer lugar, o que te ajuda a ter contato mais próximo com seus clientes e seu negócio.

(*) É diretor de Business Development para América Latina da GoDaddy, maior plataforma de cloud dedicada a pequenos negócios e empreendimentos independentes.

Produtos em estoque: como movimentar o negócio

thumb gestao temproario
  • Save

Os produtos parados em estoque geralmente são os grandes problemas de logística dos empresários. Para o pequeno lojista, diante de tamanha crise que vivemos, é uma questão de sobrevivência no mercado. Todo lojista deve saber quanto custa estocar um produto, que vai desde o custo por m², passando pela obsolescência ou vencimento – se for perecível -, e por fim, no custo do dinheiro parado que poderia estar em outra mercadoria com mais giro no momento. “Giro”: a própria palavra diz, movimento de entrada (compra) e saída (venda) que tem por objetivo gerar lucro. Ou seja, se não há movimento, há prejuízo para o negócio. É preciso pensar rápido. Mas como transformar aquela mercadoria parada em clientes entrando em sua pequena e modesta loja?
Primeiro você precisa identificar os produtos que estão com um tempo maior que o giro médio do seu estoque. Isso pode ser feito a partir de um software de gestão, caso você tenha, ou até mesmo em um inventário manual – portanto se seus vendedores estão parados, coloque-os para ajudar nesse levantamento. A promoção desses produtos pode ser uma boa ideia, mas é preciso que o consumidor saiba disso. Ele precisa saber que eles existem e estão ali.
Portanto, planejar a promoção é essencial, mas vai muito além de um preço atraente. É inegável que hoje, para o consumidor, o ponto mais sensível é o preço, mas com a crise, a maneira e a forma de como se fazer uma promoção não depende apenas disto – lembre-se, os tempos mudaram. Normalmente você usaria outdoor, placas, faixas, rádio, jornais de bairro, etc.
Sua campanha teria um custo médio de pelo menos R$ 400,00, por menor que fosse. Mas sabemos que todas essas mídias têm suas fraquezas, raio de alcance, incertezas de chegar ao consumidor certo e a falta de um relatório de acompanhamento da campanha que lhe mostre o desempenho com informações, para que você possa fazer os devidos ajustes ou comemorar o sucesso.
Por isso, aposte em sites comparadores de preços que trabalham com lojas físicas e virtuais, mas que mantenham o foco no produto mais barato (e não no cliente que paga para isso). Além disso, nestas ferramentas não existem limite de produtos e é conveniente para os consumidores identificarem as lojas mais próximas. Outra ferramenta é são os anúncios nos buscadores de internet, onde você encontra todos os recursos dos sites comparadores de preços. Porém a divulgação se dá em um formato de anúncio ligado às palavras chaves que as pessoas buscam na internet.
Não podemos esquecer das redes sociais, onde você pode impulsionar seu post e alcançar um número representativo de pessoas com características que você pode pre-estabelecer para que o seu post apareça. É possível concluir, portanto, que é importante experimentar e usar as novas tecnologias e ferramentas para se impulsionar. Os novos tempos exigem e falam que “nos movimentar é preciso”.

(Fonte: Leonídio de Oliveira Filho, empresário e criador do site Dica de Preço www.dicadepreco.com.br)

Pesquisa  mostra expansão das fronteiras da TI

Em homenagem ao Dia do Profissional de TI de 2016, a pesquisada SolarWinds revela que mais da metade dos usuários finais brasileiros conecta dispositivos pessoais a redes corporativas, utiliza aplicativos baseados na nuvem e trabalha remotamente — e reconhece a atuação dos profissionais de TI em tudo isso

A SolarWinds, provedora líder de softwares de gerenciamento de TI avançados e acessíveis, anunciou hoje os resultados de sua pesquisa “A TI está em todos os lugares” e lançou também um vídeo inédito para mostrar que os profissionais de TI são essenciais na vida de todos nós. Os resultados demonstram como o domínio da TI está se expandindo além das fronteiras tradicionais dos dispositivos de propriedade da empresa e das tecnologias locais, aumentando a demanda dos profissionais de TI do Brasil a fim de gerenciar a tecnologia fora do escopo tradicional de controle. A pesquisa foi realizada em razão do Dia do Profissional de TI, comemorado em 19 de outubro para homenagear os profissionais brasileiros de TI, para enfatizar a necessidade de valorizá-los ainda mais e reconhecer o papel indispensável que eles exercem nos negócios modernos e na vida de praticamente todos os usuários de tecnologia.

“A importância da tecnologia e dos profissionais de TI que a desenvolvem é um fator conhecido para o sucesso comercial”, afirmou Joseph Kim, vice-presidente sênior e diretor de tecnologia da SolarWinds. “Então, para comemorar o Dia do Profissional de TI deste ano, queremos chamar a atenção para a grande responsabilidade desses especialistas em gerenciar um conjunto cada vez maior de tecnologias, sejam aquelas utilizadas pelas empresas ou os dispositivos de usuários finais e aplicativos de nuvem fornecidos por fornecedores externos. Nossa pesquisa revela que, mais do que nunca, os usuários finais estão conectando mais dispositivos (incluindo os pessoais) a redes corporativas, utilizando aplicativos baseados na nuvem e trabalhando fora do ambiente tradicional dos escritórios. Todas essas tendências tomam o controle direto dos departamentos de TI; no entanto, as pesquisas também demonstram que as exigências sobre os profissionais de TI para oferecer suporte e garantir o desempenho de tecnologias relacionadas também são altas.”

Principais conclusões
A pesquisa “A TI está em todos os lugares” é composta por dois estudos. O primeiro se concentra nas perspectivas dos usuários em relação ao cenário de evolução das tecnologias de negócios e o papel dos profissionais de TI nele, enquanto o segundo destaca os pontos de vista dos profissionais de TI. Dentre as principais descobertas, temos:
Cada vez mais usuários finais no Brasil estão se conectando a um conjunto variado de dispositivos eletrônicos, incluindo aparelhos pessoais às redes corporativas.
• 57% dos usuários finais do Brasil diz que conecta mais dispositivos, sejam pessoais ou da empresa, a redes corporativas hoje do que há dez anos, uma média de quatro a mais por usuário.
• 57% dos usuários finais diz que conecta mais dispositivos pessoais a redes corporativas hoje do que há dez anos, uma média de três a mais por usuário.
• 80% dos usuários finais afirma que conecta um computador laptop/desktop a redes corporativas, 69% um smartphone e 29% um tablet.
• 37% dos usuários finais conecta dispositivos eletrônicos menos comuns a redes corporativas, como caixas de som Bluetooth, media players de streaming, tecnologias vestíveis e eReaders.

Cada vez mais, a tecnologia da qual os usuários finais dependem está fora da infraestrutura local de seus funcionários e inclui aplicativos baseados em nuvem e recursos de trabalho utilizados além do escritório.
• 60% dos profissionais de TI do mundo inteiro afirma que suas organizações permitem/facilitam o uso de aplicativos baseados em nuvem; 71% também estima que usuários finais utilizam, pelo menos ocasionalmente, aplicativos em nuvem não autorizados pela TI.
• 82% dos usuários finais admite o uso desses aplicativos (tanto os autorizados quanto os não autorizados pela TI) no trabalho.
• 77% dos usuários finais diz que costuma utilizar aplicativos relacionados ao trabalho fora do escritório, seja em dispositivos da empresa ou em aparelhos próprios.

Apesar do aumento do uso de tecnologias externas, os usuários finais ainda responsabilizam os profissionais de TI pelo desempenho delas.
• 62% dos profissionais de TI afirma que a expectativa de dar suporte aos dispositivos pessoais dos usuários conectado a redes corporativas é muito maior do que há dez anos, enquanto 76% dos usuários finais espera que os profissionais de TI de seus empregadores garantam o desempenho desse tipo de dispositivo.
• 43% dos profissionais de TI diz que os usuários esperam, ao mesmo tempo, a resolução de problemas entre a tecnologia e os dispositivos pessoais e da empresa.
• 87% dos usuários finais espera que os profissionais de TI de seus empregadores garantam o desempenho de aplicativos baseados em nuvem usados no trabalho, e 56% alega que, quando esses aplicativos não funcionam conforme o esperado, a culpa é dos profissionais de TI.
• 64% dos profissionais de TI diz que os usuários esperam, ao mesmo tempo, a resolução de problemas com aplicativos baseados em nuvem e aplicativos locais (aqueles gerenciados diretamente pela TI).
• 72% dos usuários finais espera que os aplicativos de trabalho usados fora do escritório funcionem no mesmo nível e recebam o mesmo tipo de suporte dos profissionais de TI de seus empregadores, enquanto 83% dos profissionais de TI diz que fornece tal suporte pelo menos ocasionalmente.

“Os principais resultados mostram que, mais do que nunca, os usuários finais estão rompendo os limites da TI tradicional além das quatro paredes das organizações”, acrescentou Kim. “A TI está em todos os lugares e, como resultado, os profissionais de TI estão sendo cada vez mais cobrados para garantir disponibilidade e desempenho contínuos para todos os dispositivos e aplicativos, muitos dos quais eles não controlam. Todos os setores já sentiram o impacto de uma dependência maior na tecnologia, mas nenhum deles como o próprio setor de TI. Sendo assim, em reconhecimento a todos os profissionais de TI, é com grande satisfação que celebramos esse dia e destacamos esse trabalho árduo de manter as empresas funcionando dia após dia.”

Realizada em junho de 2016 o primeiro dos dois estudos foi conduzido pela Harris Poll em nome da SolarWinds e entrevistou 474 usuários finais de tecnologia do Brasil que eram empregados, mas não profissionais de TI. O segundo estudo foi feito pela SolarWinds em julho de 2016 e ouviu 276 profissionais de TI do mundo inteiro.

 
 
 
 
 
 
 
 
 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap