Bank as a Service: saiba quando é rentável montar a estrutura

Quando se constrói uma plataforma bancária que roda dentro da própria cadeia, você consegue criar produtos específicos e aproveitar muito melhor o dinheiro que está lá dentro.

“São percentuais que parecem pequenos, mas que num grande volume de negócios dentro de um ecossistema acabam se tornando spreads maiores. É um longo caminho, assim como toda instituição bancária que demorou para chegar até aqui de forma lucrativa, mas é um processo que a empresa precisa construir para aproveitar melhor as fortalezas do seu negócio”, diz Carlos Benitez, CEO da BMP, pioneira em oferecer serviços de BaaS no país.

Mas quando vale a pena uma empresa montar uma estrutura de BaaS? “O sistema é apenas despesa quando se resume a oferta de um simples wallet e de um cartão pré-pago. O custo para se montar esse tipo de operação não vai trazer uma rentabilidade muito alta, pois quem vai usar quer uma conta gratuita sem o pagamento de uma tarifa mensal ou quer fazer uma transferência barata ou gratuita”, afirma Carlos.

Tudo isso gera muito custo para se ter sistemas proprietários de antifraude, desenvolvimento interno e atendimento ao cliente. Por exemplo, se o token de autorização de um cliente não funcionar, ele vai ter que ligar no SAC – ou seja, mais despesas.

“Por outro lado, se a empresa tem uma cadeia onde existe trânsito de capital que possibilita a oferta de crédito direcionado para os seus participantes, é interessante que ela construa uma estrutura de BaaS. A rentabilidade está no crédito, e não no ambiente transacional de pagamentos”, explica o CEO.

Em 2021, a BMP intermediou 4,7 milhões de operações de crédito e os volumes movimentados nas suas plataformas chegaram a R$ 30 bilhões. Para este ano, a meta é chegar a 7,5 milhões de operações de crédito (R$ 17 bilhões) e R$ 100 bilhões movimentados. A Companhia tem como principal diferencial a oferta de produtos personalizados para empresas – o cliente chega, diz o que procura, quanto tem de capital, onde quer chegar e a BMP monta uma estratégia exclusiva.

Em uma pesquisa inédita sobre o crescimento e a expansão do bank as a service realizada pelo IMR Instrospective Market Research, os dados apontam que o Brasil representa 73% do mercado de BaaS na América do Sul, com uma Receita de USD 1,392 bilhões em 2021.

“O cenário continua positivo para quem quer montar uma estrutura BaaS, mas é preciso ponderar se o seu negócio realmente precisa dessa ferramenta. Surfar na onda do mercado nem sempre é a melhor escolha para todo tipo de empresa”, finaliza Carlos. – Fonte e mais informações: (https://moneyp.com.br/).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap