Nobel de Medicina premia pesquisas sobre células

Foto: EPA

Peter Ratcliffe, Gregg Semenza e Willian Kailin, vencedores do Nobel de Medicina em 2019.

Os cientistas Willian Kailin, Peter Ratcliffe e Gress Semenza venceram ontem (7) o Nobel de Medicina, que premiou pesquisas responsáveis por descobrir o modo como as células usam o oxigênio.
Esse mecanismo é crucial para manter a célula em boa saúde, e sua descoberta abre caminho para a compreensão de doenças que vão de anemia a tumores.
O mais velho dos três vencedores é o britânico Ratcliffe, de 65 anos, egresso da Universidade de Cambridge e especialista em nefrologia pela Universidade de Oxford. Atualmente, dirige o Centro de Estudos Clínicos do Instituto Francis Crick, de Londres, e é membro do Instituto Ludwig para Pesquisas sobre o Câncer.
Já o americano Semenza, 63, estudou biologia em Harvard e na Universidade da Pensilvânia. Especializou-se em pediatria na Universidade Duke e, desde 1999, dá aulas na Universidade Johns Hopkins, onde também dirige um programa de pesquisas vasculares.
O também americano Kailin tem 62 anos e é professor de Harvard, após ter se formado na Universidade Duke e se especializado em medicina interna e oncologia na Johns Hopkins. O trio dividirá um prêmio de 9 milhões de coroas suecas, o equivalente a cerca de R$ 3,7 milhões (ANSA).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap