Hard skills e soft skills: equilíbrio favorece o desenvolvimento profissional

Graduação, pós-graduação, cursos complementares…o mercado de trabalho está cada vez mais exigente e competitivo. Mas será que apenas o conhecimento técnico ou acadêmico é o suficiente? Especialistas dizem que não!

Paulo Paiva, consultor em gestão empresarial e especialista em vida, carreira e negócios, com quase 20 anos de atuação em Gestão de Pessoas, afirma que o equilíbrio entre o conhecimento técnico e a postura comportamental é uma característica de um profissional talentoso e valioso.

Para os líderes e recrutadores, o especialista revela quatro perfis comportamentais. “Uma vez diagnosticado cada perfil, fica mais fácil fazer contratações de forma mais efetiva ou até mesmo desenvolver as lacunas técnicas ou comportamentais”, diz.

• Perfil Executor: Tem interesse por desafios. Oferece uma face destemida, ágil e competitiva, e assume riscos com foco em resultados. “Tende a ser receptivo em negociações. Além disso, uma relação saudável com pessoas nesse perfil, deve otimizar a entrega de tarefas ou informações”.

• Perfil Comunicador: Tem facilidade para se relacionar. Entre as características marcantes estão o otimismo, o entusiasmo e a capacidade de persuasão. “Gestores e líderes que reconhecem ideias e opiniões de pessoas com esse perfil, conseguem construir um bom relacionamento com elas”.

• Perfil Planejador: Tendem a ser moderados. Apesar da resistência às mudanças, é um perfil paciente, que sabe ouvir e preza pela estabilidade e ritmo de trabalho consistente. “Para uma boa relação com esse perfil, é importante demonstrar interesse tanto no âmbito profissional quanto no pessoal. Além de manter uma comunicação tradicional por escrito e adotar uma rotina sem mudanças repentinas”.

• Perfil Analista: Atentos, prezam pela organização e pelos detalhes. “Para uma relação harmônica com esse perfil, é importante oferecer informações sempre que necessário, além de se manter igualmente organizado”.

Paiva reforça que, ao mapear os diferentes perfis, é possível aumentar a produtividade de uma empresa de forma ilimitada. “Além dos perfis, é possível traçar problemas e, dessa forma, apontar, com muito mais assertividade, qual é o perfil de liderança com as características mais adequadas para solucionar uma questão e até mesmo inovar”, explica.

Enquanto as Hard Skills são as habilidades técnicas, de fácil mensuração, que podem ser quantificadas por instituições ou empresas, as Soft Skills referem-se a habilidades comportamentais. Paiva reconhece a importância do desenvolvimento das duas habilidades e as mudanças no mercado.

“As Hard Skills são um ponto de partida para o desenvolvimento profissional mas, no mercado atual, o conceito de competências técnicas têm mudado e não se limita mais a um diploma. Existe uma série de técnicas que ajuda tanto pessoas, quanto organizações a estarem à frente no mercado”.

O consultor comenta, ainda, os benefícios do trabalho realizado ao desenvolver as diferentes competências. “Em minha trajetória profissional, pude acompanhar estratégias que trouxeram excelentes resultados financeiros, melhora na estruturação e no clima organizacional para as empresas e até mesmo por profissionais”, declara.

Para acompanhar o mercado atual, Paiva lista algumas habilidades importantes para o desenvolvimento profissional.

. Hard Skills: Técnicas de redação; Conhecimento do uso das diferentes redes sociais; Edição de vídeos e imagens; Proficiência em idiomas, como o inglês; Experiência em softwares de armazenamento de dados (edição de planilhas); e – Gestão de pessoas e de projetos.

. Soft Skills: Comunicação; Liderança; Flexibilidade e resiliência; Trabalho em equipe; Criatividade; Proatividade; e Empatia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap