90 views 2 mins

Volks promete investigar escândalo e abolir teste em macacos

em Manchete
terça-feira, 30 de janeiro de 2018
ANSA

ANSA

Segundo a mídia alemã, os testes foram realizados em 2014, nos Estados Unidos.

Após as revelações de que diversas montadoras alemãs teriam usado macacos e humanos em testes com diesel, a Volkswagen prometeu ontem (30) que não irá realizar mais experimentos em seres vivos. “Queremos eliminar completamente os testes em animais no futuro, para algo assim não acontecer novamente”, disse Thomas Steg, diretor-geral de relações públicas e ambientais da montadora, que foi suspenso do seu cargo até que as investigações sejam concluídas.
Segundo a mídia alemã, os testes foram realizados em 2014, nos Estados Unidos, e queriam verificar quais consequências físicas a inalação da fumaça e dos óxidos de nitrogênio (NOx) traria à saúde. Nos experimentos, foram utilizados dezenas de macacos e cerca de 25 pessoas. Steg ainda afirmou que o teste em seres humanos foi ideia de especialistas norte-americanos, e defendeu que, na época “não autorizou” a medida, permitindo apenas os “estudos em macacos”.
“Este estudo nunca deveria ter acontecido, fosse em humanos ou macacos, o que aconteceu nunca deveria ter acontecido, eu realmente me arrependo”, concluiu Steg. A direção da Volkswagen já se pronunciou sobre o escândalo e também prometeu que os funcionários que permitiram a realização dos testes irão sofrer ‘consequências’. “Estamos chocados, como todos, os outros pela notícia. Tomamos conhecimento da vontade das autoridades alemãs de investigarem o caso e esperamos que o façam”, afirmou Margaritis Schinas, porta-voz da Comissão da União Europeia (UE).
Schinas ainda acrescentou que o caso de testes em macacos e seres humanos “exige ação urgente” por parte das autoridades da Alemanha. Essa não é a primeira polêmica em que a Volkswagen está envolvida. Em 2015, a montadora alemã admitiu que equipou mais de 11 milhões de veículos com um “software”, que falsificava os resultados dos testes poluição e ocultava a verdadeira quantidade de emissão de óxidos de nitrogênio (ANSA).