Lazer e Cultura 24 a 26/09/2016

Musical infantil

O musical infantil “Operilda na Orquestra Amazônica” faz curta temporada de 1º a 16 de outubro

Com direção geral de Regina Galdino e direção musical do maestro Miguel Briamonte, o musical conta a história de Operilda, uma bruxinha engraçada, interpretada pela atriz e autora Andréa Bassitt. Operilda é apaixonada pelo Brasil e tem uma missão: contar a história da música erudita brasileira para as crianças, em apenas uma hora. Se conseguir, vai ganhar uma orquestra completa só para ela. Para isso, sua tia Opereta lhe dá uma camerata de seis músicos eruditos e Livrildo, um livro mágico que vai ajudá-la nessa jornada. Ao longo do espetáculo, Operilda passeará por diferentes ritmos musicais, estilos e compositores para conseguir cumprir sua tarefa. Em cena, Andréa Bassitt se apresenta ao lado dos músicos Elaine Giacomelli (piano), Cássia Maria (percussão), Clara Bastos (contrabaixo), Paula Souza Lima (violino), Joca Araújo (clarinete e flauta) e Joyce Peixoto (trombone).

Serviço: TeatroPortoSeguro, Al. Barão de Piracicaba, 740, Campos Elíseos, tel. 3226.7300. Sábados e domingos às 15h. Ingressos: R$ 40, plateia e R$ 30, balcão e frisas. Até16/10.

REFLEXÃO

NA TAREFA DA PAZ.

“… A minha paz vos dou…” – Jesus. (João, 14:27). Todos ambicionam a paz. Raros ajudam-na. Que fazes por sustentá-la? Recorda que a segurança dos aparelhos mais delicados depende, quase sempre, de parafusos pequeninos ou de junturas inexcedivelmente singelas. Não haverá tranqüilidade no mundo, sem que as nações pratiquem a tolerância e a fraternidade. E se a nação é conjunto de cidades, a cidade é um agrupamento de lares, tanto quanto o lar é um ninho de corações. A harmonia da vida começará, desse modo, no íntimo de nossas próprias almas ou toda harmonia aparente na paisagem humana será sempre simples jogo de inércia. Comecemos, pois, a sublime edificação no âmago de nós mesmos. Não transmitas o alarme da crítica, nem estendas o fogo da crueldade. Inicia o teu apostolado de paz, calando a inquietação no campo do próprio ser. Onde surjam razões de queixa, sê a cooperação que restaura o equilíbrio; onde medrem espinhos de sofrimento, sê a consolação que refaz a esperança. Detém-te na Tolerância Divina e renova para todas as criaturas de teu círculo as oportunidades do bem. Reafirma o compromisso de servir, silenciando sempre onde não possas agir em socorro do próximo. Ao preço da própria renunciação, disse-nos o Senhor: “A minha paz vou dou”. E para que a paz se faça, na senda em que marchamos, é preciso que à custa de nosso próprio esforço se faça a paz em nós, a fim de que possamos irradiá-la, em tudo, no amparo vivo aos outros.

Livro Palavras de Vida Eterna – F.C. Xavier.

Comédia

Divulgação
  • Save

Um experimento de narrativa, uma espécie de poema teatral coreográfico, com um olhar divertido sobre os fait divers que rompem nosso cotidiano. Utilizando um sofá branco e folhas de papel, 4 mulheres narram e criam imagens sobre diversos fatos reais que nos causam perplexidade na peça “Qualquer Sofá”. Uma mulher que é atingida por um raio ao escovar os dentes, uma babá que coloca um bebê na máquina de secar, um cego que dirige um carro na contramão. Desta forma, OPOVOEMPÉ traz para um espaço fechado, a linguagem desenvolvida com as intervenções urbanas, baseada em ações coreográficas, estruturas de improvisação e na comunicação direta com o espectador, convidado a elaborar ativamente os sentidos propostos pela encenação. Com Ana Luiza Leão, Graziela Mantoanelli, Manuela Afonso, Paula Possani.

Serviço: Sesc Belenzinho, R. Padre Adelino, 1.000, Belenzinho. Quinta (29) e sexta (30) e sábado (01/10) às 21h30 e domingo (02/10), às 18h30. Ingresso: R$20.

 
Drama

Alessandro Marba e Breno da Matta.
  • Save

O espetáculo “Baquaqua” trata de uma obra sobre o extraordinário, imersa em um fato histórico deplorável: a escravidão de africanos no Brasil, um relato que nos auxilia na compreensão das relações de poder e submissão da sociedade atual. Em “Baquaqua, Documento Dramático Extraordinário”, não há espaço para respostas moralizantes ou palavras de conforto. Assim como nos materiais pesquisados durante a montagem, a dramaturgia criada para o espetáculo pretende ser também um relato potente sobre a importância da diáspora africana, mostrando o indivíduo como uma alteridade, para além do ser escravizado e do contexto da escravidão. Com Alessandro Marba e Breno da Matta.

Serviço: Espaço Cia do Pássaro, R. Alvaro de Carvalho, 177, Bela Vista, tel. 98365-5850. Sextas às 14h, sábados às 21h e aos domingos às 19h. Ingresso: R$ 10. Até 30/09.

Rap

Criolo na turnê “Ainda Há Tempo”. No show, Criolo canta as canções de seu primeiro disco “Ainda Há Tempo”(2006), que dá nome a turnê. O álbum ganhou nova produção e mixagem pelas mãos do produtor Daniel Ganjaman, por conta do relançamento do trabalho que completa 10 anos. O rapper relembra os clássicos de sua estreia com um repertório formado por músicas como “É o Teste”, “Tô Pra Vê”, “Chuva Ácida”, “Demorô”, “Até me Emocionei” e “Chega”.

Serviço: Sesc Pompeia, R. Clélia, 93, Água Branca, tel. 3871-7700. De quinta (29) a sábado (01/10), às 21h30. Ingressos: R$ 60 e R$ 30 (meia).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap