98 views 4 mins

Como importar produtos para alavancar o e-commerce com segurança em todo o processo?

em Destaques
sexta-feira, 01 de dezembro de 2023

Fábio Baracat (*)

Com a ascensão dos negócios no universo on-line, o medo de fraudes e golpes é um dos principais motivos que impedem os e-commerces brasileiros de importarem produtos e expandirem o portfólio. É justamente para reverter esse cenário (e outros) que o cross commerce desponta como o melhor aliado do varejo digital.

O uso de uma plataforma focada nesse modelo de negócio garante transações seguras e permite expandir a oferta de produtos com a importação de itens exclusivos e inovadores. A insegurança de realizar transações internacionais finalmente sucumbe à implantação de uma tecnologia que só abrange marcas e fornecedores confiáveis, graças a rigorosos procedimentos de verificação e certificação da idoneidade dos vendedores internacionais.

Empresas podem buscar meios e parcerias para adquirir credibilidade no fornecimento das movimentações no e-commerce, sobretudo às autoridades brasileiras. Para receber esse “atestado de segurança”, a empresa deve passar por algumas etapas:

1– Legalidade e conformidade: o seller precisa operar de acordo com as leis e regulamentos aplicáveis no país de origem.

2– Avaliação da qualidade dos produtos: podem ser conduzidas análises e inspeções para garantir que os produtos oferecidos atendem aos padrões de qualidade exigidos.

3– Análise de reputação e histórico do vendedor: ajuda a identificar sellers confiáveis e com bom desempenho.

4– Verificação da capacidade logística e financeira: a certificadora ainda pode checar questões como infraestrutura logística, capacidade de armazenamento, transporte, processos de embalagem, bem como a saúde financeira do vendedor, garantindo que ele possui a estabilidade necessária para cumprir seus compromissos comerciais.

Diferenciais inovadores

Com a plataforma de Cross Commerce as a Service, é possível importar o catálogo completo de marcas estrangeiras para a loja virtual no Brasil. Para isso, basta que as empresas fornecedoras também possuam e-commerces. Essa conexão é feita por meio de um API (Application Programming Interface), que reúne uma série de outras funcionalidades para simplificar e agilizar o desembaraço aduaneiro e as operações cross border.

Na prática, o sistema integra todos os atores que operam no comércio eletrônico internacional, dispensando a necessidade de o e-commerce ou marketplace investir em armazéns e estoque de produtos, como ocorre no cross border tradicional, o que também reduz os riscos de prejuízo. Por meio da solução, as marcas estrangeiras integradas à loja fazem o envio das remessas direto para o consumidor final em bem menos tempo que o convencional.

Assim, com toda a cadeia logística conectada e sob um forte modelo de compliance e segurança, a tecnologia em cena consegue oferecer uma experiência de compra internacional com entrega dentro do prazo, tributação correta e ainda coberta por um seguro cross border até então inexistente no mercado brasileiro. Trata-se de uma estratégia poderosa para empreendedores que desejam expandir suas operações no comércio eletrônico.

(*) CEO da Sinerlog, empresa especializada em tecnologia Cross Commerce – E-mail: [email protected]