A Liderança como Exemplo de Ética e Integridade

O comportamento de uma equipe é reflexo da alta direção. Seja pelo poder de decisão, pela experiência profissional ou pelos critérios de seleção, o C-Level e os Conselhos exercem influência comportamental top-down para todos os níveis hierárquicos. Por isso, a conduta da alta direção é tão importante.

É o tone of the top ou, numa livre tradução, o “o tom do topo”, que vai nortear a conduta das equipes. Essa expressão trata da importância da boa comunicação e o exemplo da alta direção no comprometimento com atitudes éticas, alinhadas a políticas e ao Programa de Compliance como um todo.

É de responsabilidade da liderança ser a guardiã final do Programa de Compliance, planejando-o, comunicando-o e respeitando valores éticos, legislação e requisitos regulatórios para sensibilizar e engajar toda a organização.

A disseminação dos códigos de conduta torna-se responsabilidade da alta direção, tanto em treinamentos e reciclagens quanto no cotidiano, sendo observada nas declarações de comprometimento verbais ou atitudinais. Um líder que não demonstra apego ao Código de Ética, mesmo em pequenos casos (como a questão de receber brindes), não passa credibilidade e, assim, sua equipe tende a se comprometer menos também.

Lembrando que, justamente, é a alta direção a responsável por aprovar o Programa de Compliance, o mapa de riscos éticos, o Canal de Denúncias, as punições previstas, as autoridades de cada um dentro desse sistema… ou seja, da alta direção nasce a árvore da Ética e da Integridade, e as raízes precisam ser robustas o suficiente para sustentá-la.

A formação de uma Cultura Organizacional ética e íntegra é a consequência de todo o esforço da liderança que, através do exemplo, influencia nos relacionamentos internos e externos dos colaboradores.

Além do exemplo, a alta direção constrói uma cultura com mensagens constantes, claras e consistentes sobre as diretrizes de ética e integridade; com a manutenção de um ambiente seguro para os colaboradores fazerem denúncias; com monitoramento de não conformidades, e; com o reconhecimento público de atitudes positivas de colaboradores que, afinal, também servem de exemplo.

Em sua empresa, você dá o exemplo com atitudes? É uma reflexão constante, que deve ser feita para manter o Programa de Compliance sempre ativo e aderente à Cultura Organizacional.

Denise Debiasi é CEO da Bi2 Partners, reconhecida pela expertise e reputação de seus profissionais nas áreas de investigações globais e inteligência estratégica, governança e finanças corporativas, conformidade com leis nacionais e internacionais de combate à corrupção, antissuborno e antilavagem de dinheiro, arbitragem e suporte a litígios, entre outros serviços de primeira importância em mercados emergentes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap