121 views 4 mins

Apesar de tudo, as instituições se fortalecem

em Artigos
sexta-feira, 03 de fevereiro de 2017

Reinaldo Dias (*)

Os recentes acontecimentos políticos no cenário nacional apontam para uma consolidação e fortalecimento da administração Temer.

No Senado foi eleito sem maiores problemas Eunício de Oliveira alinhado com o Planalto. Na Câmara dos Deputados com pouca resistência elegeu-se Rodrigo Maia também alinhado e que promete fazer da Câmara a ponta de lança das reformas prometidas pelo governo, particularmente nas áreas da previdência, trabalhista e política.

Os eventos recentes também revelam, em que pesem todos os problemas pelos quais passa o país, que as instituições estão consolidadas e podem sair fortalecidas diante dos problemas que enfrentam, incluindo aqueles relacionados com o judiciário.

A lava jato continuará limpando o mundo político de corruptos e seus asseclas, e as instituições certamente prevalecerão quem quer que seja acusado ou preso, como tem ocorrido. A sociedade brasileira está amadurecendo e com mais confiança de que a justiça também atingirá os poderosos e seus aliados.

O processo que ainda deve amadurecer é a transformação da indignação geral da sociedade brasileira em maior conscientização da realidade política, para que o povo possa compreender que os atores políticos que tiveram desvios de conduta é que devem ser condenados pela opinião pública e não a política em si, pois caso contrário estaríamos correndo o risco de nas próximas eleições elegermos enganadores que se dizem não políticos justamente para assumir o poder político.

Esse é um traço importante dos neopopulistas, de negação da realidade oferecendo alternativas que não passam de mentiras. A onda populista que assola o mundo tem essa característica de se utilizar da mentira, negando a verdade a todo custo, prática denominada pelos assessores de Donald Trump de realidade alternativa, para assumirem o poder político e o utilizarem para colocar seus interesses pessoais acima do bem coletivo.

O Brasil deu uma demonstração ao mundo de força das suas instituições pelo que passou no último ano e as recentes escolhas das lideranças no Congresso indicam. Revelam a consolidação de um governo possível, que embora não seja o ideal para muitos, é aquele que poderá efetuar a transição para uma situação de relativa estabilidade política, condição fundamental para as reformas que necessitamos para ingressar de vez no século XXI.

Um governo fortalecido como esse que emerge das eleições no Congresso é importante num momento em que o mundo passa por momentos de perplexidade, com as atitudes do presidente norte-americano que pretende isolar-se economicamente, como se isso fosse possível num mundo globalizado. Este quadro oferece uma oportunidade importante para o Brasil estabelecer novas conexões no mercado internacional e fortalecer sua posição de liderança na América Latina.

Sem dúvida estamos caminhando aos trancos por trilha sinuosa, mas estamos começando a ver a luz no fim do túnel. O importante agora é fortalecer o papel do ator principal que é a cidadania. Torná-la mais ativa e mais informada para que possa completar nas próximas eleições a limpeza promovida pela operação lava jato.

(*) – É professor da Universidade Presbiteriana Mackenzie, campus Campinas. Doutor em Ciências Sociais, Mestre em Ciência Política. É especialista em Ciências Ambientais.