A irrigação e a sua influência no sucesso da plantação

A prática de irrigar as plantações (técnica utilizada pelos agricultores para levar água às plantações), quando feita corretamente, traz diversos benefícios para os produtores, como a criação de produtos de alta qualidade, a duração da produção pelo ano todo, o aumento do uso da terra, a redução de gasto com água e uma maior produtividade.

Muitos podem associar a irrigação do solo apenas como molhá-lo para hidratar as plantas. Entretanto, a irrigação vai além, buscando o monitoramento e cálculo do consumo de água pelas plantas, possibilitando determinar o tempo necessário para aplicação da lâmina d’água necessária em cada irrigação.

Além de um solo fértil e um ar de qualidade, a irrigação é o terceiro passo para garantir a saúde das plantações. Com os cálculos, planejamento e acompanhamento, os riscos de perdas de produção por períodos de estiagem são reduzidos.

Para acertar na irrigação, é preciso dominar as diferentes técnicas existentes e identificar qual é a mais indicada para a sua aplicação. Conheça os principais tipos:

• Irrigação superficial: a água é conduzida diretamente para a superfície

do solo. Esse tipo de irrigação, utilizada de forma mais comum na produção de arroz, costuma adotar sistemas como irrigações por inundações e por sulcos. As principais vantagens estão os custos baixos de implementação e manutenção, além da baixa influência do vento e aumento da fotossíntese em plantas baixas. Porém, ela pode causar água parada no solo, o que prejudica as plantas e causa erosão do solo;

• Irrigação localizada: o foco da irrigação é a área das raízes das plantas. É uma

das técnicas mais comuns atualmente, especialmente para as frutas, pois ela cria uma faixa úmida na plantação. A microaspersão e o gotejamento são os dois principais sistemas nessa irrigação, que reduzem a perda da água por evaporação. Entre as principais vantagens estão os baixos custos de água e adaptação aos diferentes tipos de solos. Além disso, ela é altamente eficaz e não é prejudicada por vento ou declives. Entretanto, os gastos de implementação são altos e entupimento das tubulações são comuns.

• Irrigação por aspersão: nessa técnica, uma grande quantidade de gotículas de

água é disparada por equipamentos e, assim, absorvidas pelo solo. Apesar de parecer simples, ela é a que demanda o maior conhecimento técnico para implementação e não funciona em terrenos inclinados. Além disso, a umidificação das folhagens pode aumentar o desenvolvimento de doenças. Mas é claro que esse tipo de irrigação, cujos principais sistemas são a convencional, o pivô-central e o auto-propelido, também oferecem uma série de benefícios. Seu baixo custo de mão de obra, alta eficácia e adaptabilidade às diversas culturas e topografias das regiões são apenas alguns deles.

Independente do tipo de irrigação de solo, é essencial garantir um sistema de qualidade para levar mais segurança e eficiência à sua plantação. Nesse sentido, a Branco oferece três opções de motobombas que podem ser utilizadas nas plantações:

● Motobombas multiestágios: ideais para bombear água limpa a grandes alturas;

● Motobombas centrífugas: usadas para água limpa e também consideradas intermediárias;

● Motobombas autoescorvantes: utilizadas para movimentar grandes volumes de água que podem conter sujeira e

pequenos sólidos

Para ter bons resultados, não se esqueça que é essencial garantir um sistema de qualidade. A Branco Motores oferece equipamentos de qualidade para irrigação. Confira no site.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap