Reino Unido: novos incentivos aos veículos elétricos

O primeiro-ministro Boris Johnson acaba de anunciar que   todas as novas residências e edifícios comerciais do Reino Unido, construídos ou que passarem por maiores reformas a partir de 2022, deverão dispor de estações para abastecimento de veículos elétricos.

Vivaldo José Breternitz (*)

A medida visa impulsionar a adoção desses veículos no país, acreditando-se que cerca de 145 mil novos pontos de carregamento serão instalados a cada ano em função dessa iniciativa.

Segundo Johnson, naquele país, em breve recarregar a bateria de um elétrico será tão fácil quanto reabastecer um veículo movido a gasolina ou diesel. No entanto, os detalhes das novas regras, tais como número de pontos em cada local e especificações das estações, não foram divulgados.

Essas medidas pretendem ajudar a viabilizar os planos do governo do Reino Unido no sentido de proibir completamente a venda de carros movidos a combustíveis fósseis até 2030 – 10 anos antes do planejado inicialmente. O governo já havia dito que está preparado para gastar o equivalente a cerca de US$ 660 milhões na implantação de infraestrutura para abastecimento de veículos elétricos no país.
Como sempre acontece, em todos os lugares do mundo, a oposição gosta de apresentar o lado ruim das coisas: o Partido Trabalhista, adversário de Johnson, disse que Londres e a parte sudeste do país têm mais pontos de recarga do que o resto da Inglaterra e País de Gales juntos, e que as novas regras não se preocupam com isso, bem como não incluem quaisquer disposições que tornem os veículos elétricos mais acessíveis às famílias de baixa e média renda.

(*) É Doutor em Ciências pela Universidade de São Paulo, é professor do Programa de Mestrado Profissional em Computação Aplicada da
Universidade Presbiteriana Mackenzie
.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap