O plástico é um grande poluidor

As empresas produtoras de plástico e as que o utilizam em grande escala, tentam nos fazer acreditar que as pessoas podem minimizar a poluição gerada pelo produto melhorando os hábitos de reciclagem.

Vivaldo José Breternitz (*)

Isso não é verdade: um novo estudo deixa claro que apenas 20 empresas são responsáveis por 55% do plástico descartado no mundo; esse estudo, o “The Plastic Waste Makers Index” acaba de ser publicado pela fundação australiana Minderoo. Essas empresas é que tem capacidade para rever suas embalagens e reduzir o problema.

O estudo mostra que gigantes das áreas de energia e química estão entre essas 20 empresas – indo um pouco além, o relatório também mostra que apenas 100 empresas respondem por mais de 90% do plástico lançado na natureza sem qualquer cuidado.

A principal fonte de plásticos descartados é a Exxon, antiga Esso, que em 2019 gerou 5,9 milhões de toneladas de plástico que foram jogadas fora. A seguir, vieram as duas maiores empresas químicas do mundo, a norte-americana Dow e a chinesa Sinopec. Elas produziram 5,5 milhões e 5,3 milhões de resíduos, respectivamente.

A pesquisa também mostrou que o material reciclado responde por apenas 2% dos plásticos produzidos no mundo; o restante é produzido a partir de material virgem, o que significa que mais petróleo foi extraído para fabricá-los.

Embora a maioria das empresas apontadas esteja sediada na Ásia, os residentes na Austrália e nos Estados Unidos produziram as maiores quantidades de lixo plástico, com mais de 50 quilos por pessoa, enquanto os que vivem na China geram apenas 18 quilos ao ano.

Limitar o uso individual e a reciclagem adequada de plástico é bom. Mas o estudo deixa claro que isso não resolverá o problema. A única maneira de encerrar esse ciclo, de acordo com o relatório, é restringir a produção de plástico de forma imediata e rápida.

Se isso não ocorrer, a poluição causada pelo plástico vai piorar, contribuindo para as mudanças climáticas e prejudicando a saúde pública. O envio de plásticos ​​para incineradores gera gases tóxicos e aquece o planeta.

Já os materiais que não chegam aos incineradores ou aterros sanitários acabam poluindo os ecossistemas terrestres e oceânicos do mundo. O equivalente a um caminhão de lixo carregado de plástico chega aos oceanos a cada minuto, afetando a vida marítima.

O estudo ainda aponta que a situação tende a piorar, prevendo-se um aumento de 30% na produção global de lixo nos próximos cinco anos, composto, entre outros itens, por 3 trilhões de itens plásticos descartáveis até 2025.

Providências urgentes, nos níveis pessoal e corporativo, precisam ser tomadas.

(*) É Doutor em Ciências pela Universidade de São Paulo, é professor da Faculdade de Computação e Informática da Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap