147 views 3 mins

Kenoby apresenta nova metodologia, em formato de curso, para aumentar a precisão do recrutamento e seleção nas empresas

em Tecnologia
terça-feira, 01 de junho de 2021

Com o objetivo de ajudar as empresas a aumentar as chances de encontrar candidatos alinhados à cultura organizacional, em uma nova realidade em que importa mais as habilidades da pessoa do que o currículo, a Kenoby, hrtech de recrutamento e seleção, acaba de lançar uma metodologia nova e proprietária, em formato de curso com 23 aulas, baseado nas etapas: arquitetar, atrair, qualificar, contratar e analisar.

Por meio de experimentação, testes e pilotos, o Método Saga levou cerca de seis meses para ser desenvolvido, e posiciona o recrutamento como um processo científico e humano, capaz de fazer o match ideal entre empresa, vaga e talento, além de trazer precisão aos processos. “Este curso eleva a eficiência do recrutamento, indicando o caminho para um processo estruturado, qualificado e transparente, valorizando o potencial individual. Para isso, o foco sai do currículo e vai para as pessoas.”, explica Marcel Lotufo, CEO e cofundador da Kenoby, que antes de criar a startup, chegou a atuar como headhunter no mercado.

Além disso, a metodologia leva em consideração as dores e os desafios pelas quais passam a área, as mudanças na sociedade e no mercado pós-pandemia, as transformações tecnológicas e novos formatos como teletrabalho. “Vimos a real necessidade de ampliar e atualizar o método. Na versão anterior, mais de 20 mil profissionais da área de RH conseguiram a certificação pela Universidade Kenoby, e percebemos o quanto o mercado ainda é carente de conteúdo especializado e moldado para a realidade”, diz o especialista em recrutamento e seleção da Kenoby, Ciro Italiano Monteiro.

Estrutura
São cinco etapas que guiam a metodologia: arquitetar, atrair, qualificar, contratar e analisar. Estas são ainda complementadas por nossa inteligência de match, que garantem processos cientificamente validados a partir de três pilares: Fit cultural, Fit técnico e Soft skills do futuro. É fundamentado por três aspectos que devem ser analisados em todo o recrutamento, visando direcionar processos mais eficazes e contratações baseadas em dados, que são: menos viés e mais diversidade, experiência da pessoa candidata e People Analytics. Ao final, o participante faz a prova, e a depender da pontuação, pode emitir o certificado.

“Com a aplicação do método, e seguindo os passos, é possível construir processos seletivos completos, da arquitetura à análise dos resultados, e ajudar as empresas a contratarem os talentos certos para suas vagas e que estes talentos encontrem as posições que mais combinam com os seus perfis”, finaliza Monteiro.