Kaspersky analisa novas táticas em ataques de ransomware

O ransomware se tornou um grande desafio para as organizações. Embora não seja a ameaça mais avançada do ponto de vista técnico, ainda não está claro o que as organizações devem fazer para se proteger dela. Antigamente, as campanhas eram massivas, mas hoje elas visam empresas e órgãos públicos selecionados e previamente escolhem os alvos na intenção de obter uma chance maior de sucesso nos ataques. Para ajudar a entender como o ecossistema de ransomware opera e como combatê-lo, os pesquisadores da Kaspersky se infiltraram em fóruns da darknet e analisaram em profundidade a atuação de grupos como REvil, Babuk e DarkSide para identificar suas táticas.
Ao contrário do que muitos acreditavam, estes ataques não são realizados por gangues, o atual ecossistema do ransomware se profissionalizou e é composto por muitos participantes, tendo até quem se especialize em determinada função. Há quem trabalhe com o desenvolvimento do malware, os donos das redes robôs (botmasters) que automatizam o processo de infecção, quem vende acesso às redes corporativas e há os operadores do ransomware – e cada um deles prestam serviços uns aos outros.
Esses criminosos se encontram em grupos especializados na darknet para realizar as negociações, onde é possível encontrar anúncios com atualização periódica. Este tipo de envolvimento indica que existe uma parceria entre o operador do grupo de ransomware e seus afiliados – sendo que o operador fica com 20%-40% dos lucros enquanto os 60-80% restantes são divididos com os afiliados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap