82 views 3 mins

Foguete chinês é disparado acidentalmente

em Tecnologia
quarta-feira, 10 de julho de 2024

As últimas semanas não tem sido boas para a exploração do espaço.

Vivaldo José Breternitz (*)

Dois astronautas americanos voaram em uma nave da Boeing e se acoplaram à Estação Espacial Internacional, onde deveriam permanecer por alguns poucos dias. Agora, decorridas semanas após sua chegada à Estação, ainda não há previsão para sua volta à Terra, em função de problemas detectados na nave.

Mas aconteceram problemas também na China: uma das startups chinesas mais promissoras do setor espacial, a Space Pioneer, recentemente enfrentou problemas enquanto testava o primeiro estágio de seu foguete Tianlong-3, perto da cidade de Gongyi.

O foguete estava passando por um teste de disparo estático, no qual o veículo é preso a um banco de teste enquanto seus motores são acionados, momento em que o veículo acabou decolando. De acordo com um comunicado da empresa, o foguete não estava adequadamente preso e decolou “devido a uma falha estrutural”.

Vídeos mostram o voo, com o foguete subindo várias centenas de metros antes de cair e explodir em um monte a cerca a 1,5 km do local do teste. O comunicado da Space Pioneer tentou minimizar o incidente, afirmando que havia implementado medidas de segurança antes do teste e que não houve vítimas – “o local de teste fica longe da área urbana de Gongyi”, disse a empresa.

No entanto, isso não é verdade: localizada na província de Henan, no leste da China, ao longo do Rio Amarelo, Gongyi tem uma população de cerca de 800 mil habitantes e o banco de teste fica a apenas 5 km do centro da cidade e a menos de um quilômetro de um de seus bairros.

Esse tipo de acidente é raro, mas não inédito. Normalmente, durante um teste desse tipo, o pequeno volume de combustível a bordo e amarras fortes seguram o foguete no chão. No entanto, em 1952, um foguete Viking americano se soltou de suas amarras em White Sands Missile Range, no Novo México e caiu a 6 km do local de lançamento, sem causar vítimas.

Infelizmente no Brasil vivemos um acidente similar, quando em 2003, na base de Alcântara, no Maranhão, um foguete brasileiro explodiu em função de ignição prematura, matando 21 pessoas.

(*) Doutor em Ciências pela Universidade de São Paulo, é professor da FATEC SP, consultor e diretor do Fórum Brasileiro de Internet das Coisas.