Conheça 3 ferramentas essenciais para melhorar a gestão no trabalho remoto

A cada dia que passa o home office vem se tornando uma realidade mais concreta no mercado. Após um longo período convivendo com a desconfiança do mercado, a modalidade já assume um espaço importante nos dias de hoje. Não à toa, uma pesquisa publicada pela Faculdade de Economia e Administração da Universidade de São Paulo (FEA-USP) e pela Fundação Instituto de Administração (FIA) mostrou que 73% dos trabalhadores estão satisfeitos com essa condição, enquanto 81% revelaram ainda que o trabalho de casa resulta numa produtividade maior ou igual à atividade presencial.

E a tendência é de que essa situação se expanda ainda mais nos próximos anos. De acordo com um levantamento feito pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), o país conta hoje com 20,4 milhões de profissionais que poderiam desempenhar suas funções de forma remota, sem perda na qualidade do trabalho. Resultando em grandes vantagens, como economia de despesas por parte da corporação ao demandar menos espaço e investimento em locais de trabalho, e não exigir o deslocamento do funcionário, o home office se torna uma opção atraente para diversos segmentos de mercado.

No entanto, para que esse estilo obtenha o sucesso esperado, é essencial que as empresas consigam encontrar meios para desenvolver a produtividade e a gestão de tempo dos colaboradores. Para isso, o mercado oferece alguns softwares inteligentes voltados para a gestão desses talentos. Pensando nessa necessidade e nas diversas opções disponíveis, listamos aqui as três principais alternativas do mercado.

Labor
Projetado pela Novatics, principal desenvolvedora de produtos digitais do Brasil, o Labor é o software de maior destaque dentre as opções do mercado por ser o mais completo e com o maior custo-benefício. Com a possibilidade de dividir as tarefas nominalmente, a ferramenta permite o gerenciamento de tempo individualizado de cada etapa do projeto, o que facilita na hora de converter todo esse trabalho em valores e na integração entre o time.

“O fato de atuar de forma unitária para cada uma das etapas garante benefícios importantes tanto para a empresa, quanto para o colaborador. Enquanto o aplicativo informa a lucratividade do projeto com base nas horas previstas e já gastas para o gestor, o Labor ainda preza pelo desenvolvimento do colaborador ao lhe garantir autonomia no gerenciamento do tempo das suas atividades e maior controle do recebimento das horas trabalhadas”, explica Flávio Alves, fundador e CEO da Novatics.

Outro diferencial importante oferecido pela ferramenta é a possibilidade de criação relatórios sobre cada projeto já com o envio da Nota Fiscal, facilitando não apenas o pagamento pelo financeiro da empresa, mas também o trabalhador, principalmente PJ, que tem maior domínio pelos valores recebidos. O Labor ainda oferece o status de cada pagamento, podendo constar os projetos que já foram pagos e os que ainda necessitam de acerto. Contando com uma quantidade ilimitada de usuários, o programa está disponível na versão para desktop e extensão do Google Chrome.

Basecamp
Outra boa opção do mercado é o Basecamp. Com uma estrutura visual baseada em linha do tempo, o aplicativo possibilita a organização do seu fluxo de trabalho contando com o auxílio de uma série de instrumentos importantes, como calendário de tarefas, divisão de tarefas e chat de bate-papo. 

Contemplando todas as etapas do projeto, desde o planejamento e análise até a conclusão. Além disso, a ferramenta abre espaço para atributos complementares como emissão de relatórios e histórico do participante. 

Microsoft Project
O aplicativo de gerenciamento de tarefas da Microsoft é a opção mais antiga do mercado. Com a sua versão de estreia lançada em 1985, a ferramenta se assemelha bastante ao Microsoft Excel, apresentando uma interface mais complexa e detalhada na comparação com as outras opções.

Por outro lado, apesar da estética relativamente confusa, o aplicativo se destaca por estar apto a receber relatórios personalizados, o controle de custos e análise de cargas de trabalho. 

Além disso, outro ponto forte do Microsoft Project é que o próprio software conta com um recurso analístico próprio, sendo assim capaz de identificar irregularidades em determinado recurso ou  conflitos entre as datas e eventos. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap