Aprenda a produzir conteúdo sem precisar criar conteúdo

Uma das perguntas que eu mais respondo nas aulas e palestras é: “Guilherme, eu não sou criativo. Como produzir conteúdo?”.

Minha resposta é padrão:

— você não é Machado de Assis. Você não precisa ser criativo, ter um Português incrível e nem mesmo “parar para pensar e produzir conteúdo”.

Falta de criatividade, falta de tempo e vergonha não podem ser desculpas para você não aparecer nas redes. E eu vou te explicar como superar essas limitações. Afinal, Marketing de Conteúdo é importantíssimo para alavancar as vendas e não pode ser delegado 100% para sua agência!

Naturalmente algumas pessoas tem mais aptidão na produção de conteúdo. Quem passou pela academia de jornalismo, relações públicas, direito ou marketing, em tese, tem mais facilidade do que dentistas e veterinários.

Mas as dicas que eu vou dar agora mudam tudo.

1) feito é melhor que perfeito: não espere ter o melhor cenário, a melhor iluminação, a melhor câmera, o melhor microfone. Isso não pode te atrasar. As pessoas gostam de ver vida real nas redes sociais.

2) “eu tenho vergonha de aparecer”: você não precisa mostrar o rosto. Filmar em primeira pessoa ou usar conteúdo em texto funciona muito bem. Aos poucos você vai perdendo o medo de aparecer.

3) Defina o material Pilar: o Brasil é o país onde se consome conteúdo no maior número de plataformas. Ou seja, o consumidor está em “todo lugar”. Ter conteúdos exclusivos para cada plataforma é praticamente impossível —, se você não tiver uma equipe grande e profissional.

A sacada aqui é definir o formato que você mais se identifica. A minha dica é vídeos longos no YouTube. Seja uma aula, um evento…10 minutos ou mais já é conteúdo suficiente.

Deste conteúdo derivam-se cortes para os outros canais: stories, reels, cards estáticos…
Um exemplo é o podcast que estou lançando. Ele será meu conteúdo pilar. Em poucos dias conto pra vocês como vai funcionar.
4) a mais importante de todas: produza sem produzir.
Falta de ideias, falta de criatividade…esqueça tudo isso.
A sacada máxima é: documente, não crie. Como assim?
Documentar o que você faz é muito mais importante, é mais fácil, do que produzir conteúdo do zero. Veja alguns exemplos:

Dentista:
• contar a história de um dente comprometido por falta de uso de fio dental;

• dicas de enxaguante bucal de acordo com cada tipo de dente;

• quando você identificar em casa a dor de sensibilidade ou de uma coisa mais grave;

Fale, com uma linguagem simples, o que você mais sabe, o que você aprendeu e praticou a vida inteira.

Você não pode ter medo de falar o óbvio. Em uma palestra para Advogados na OAB semana passada, falei muito isso: advogado produz conteúdo para outros advogados. Marketeiro faz conteúdo para marketeiro.

Um quer mostrar ser melhor que o outro é adivinhe…o cliente fica em segundo plano.

O óbvio para você não é óbvio pra mim. Produzia conteúdo para quem vai comprar de você! E quem vai comprar não é técnico.

Siga Guilherme Dias no Instagram @guilherme.diasg.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap