A Meta encontra mais obstáculos

Vivaldo José Breternitz (*)

A Federal Trade Commission (FTC) é o órgão do governo americano responsável pela manutenção do ambiente de livre competição.

A FTC acaba de entrar com uma ação judicial visando impedir que a Meta, empresa mãe do Facebook, adquira uma empresa de realidade virtual chamada Within.

Especificamente, a Meta está interessada no Supernatural, um aplicativo de fitness desenvolvido pela Within que utiliza realidade virtual – o Supernatural comporia o metaverso, que a Meta pretende criar.

Segundo a FTC, a Meta diminuiria substancialmente a concorrência, podendo até   monopolizar o mercado de fitness baseado em realidade virtual, caso lhe se fosse permitido comprar a Within.

A Meta, por sua vez, disse que a ação acontece por razões especulativas e ideológicas, estando a FTC enviando   uma mensagem assustadora a todos que desejam inovar nessa área; a empresa diz estar convencida que a concretização do negócio será boa para todos os envolvidos.

A ação chega em um momento delicado para a Meta, que pela primeira vez em sua história fechou um trimestre com queda de receita. Nesse mesmo período, a empresa   gastou US$ 2,8 bilhões com o Reality Labs, sua divisão de tecnologia do metaverso, tendo seu chefe, Mark Zuckerberg, dito recentemente a   investidores que acredita que a divisão continuará gerando prejuízos num período que estima ser de três a cinco anos.

Zuckerberg disse aos investidores que planeja controlar fortemente as despesas da Meta, reduzindo o crescimento do número de funcionários (e provavelmente demitindo) nos próximos meses, esperando que a empresa faça mais com menos recursos.

Ao que parece, a Meta está mesmo vivendo um inferno astral.

 (*) Vivaldo José Breternitz, Doutor em Ciências pela Universidade de São Paulo, é professor, consultor e diretor do Fórum Brasileiro de Internet das Coisas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap