A digitalização não representa o fim das impressoras no ambiente corporativo

O avanço do cloud computing e demais tecnologias que facilitam a automação de processos foi visto pelas empresas como uma oportunidade para não só desburocratizar suas estruturas, mas também para reduzir despesas e aumentar a produtividade do negócio. Isso levou empresários e profissionais de TI a descartarem soluções de impressão, afirmando, inclusive, que essa prática estava com os dias contados no ambiente corporativo.

As estatísticas do mercado comprovam essa importância. As vendas do setor de impressão cresceram nos últimos dois anos, de acordo com dados da IDC Brasil. Em 2017, por exemplo, o aumento foi de 21% no total de equipamentos comercializados, enquanto que em 2018 o percentual também foi significativo, com 8% de evolução e mais de 1,4 milhão de máquinas vendidas.

Além disso, também houve crescimento na receita, com um faturamento total de US$ 727 milhões e aumento de 14,7%.
A impressora torna-se essencial na jornada de transformação digital porque absorveu, como poucos equipamentos conseguiram, os diferentes recursos que o avanço da tecnologia proporcionou. Dizer que a máquina é multifuncional, portanto, não é mero discurso de marketing.

Hoje, ela consegue não apenas imprimir documentos necessários para o dia a dia de uma empresa, como também pode digitalizar arquivos com o scanner, enviar tudo para a nuvem da organização e, ainda por cima, gerenciar todos os conteúdos de forma eficiente, permitindo que o colaborador encontre rapidamente no sistema de busca.

Dessa forma, é natural que a digitalização de uma empresa passe pelo bom uso dos equipamentos de impressão. Em suma: é preciso identificar documentos físicos que podem ser digitalizados, criar regras de acesso aos colaboradores diante do grau de importância de arquivos disponíveis na nuvem e elencar normas para impressão, evitando desperdício de materiais.

Atualmente, é possível contar com o apoio e suporte de organizações especializadas em impressão, capazes de determinar quais equipamentos são mais indicados para os objetivos do negócio e até sugerir o serviço de outsourcing de impressão, uma espécie de terceirização para otimizar ainda mais este setor.

O grande erro dos empresários sobre transformação digital é acreditar que tudo deve ser digitalizado e disponibilizado na nuvem. Ainda que esta prática, quando bem efetuada, auxilia a reduzir custos e melhora o processo como um todo, o conceito é bem mais do que isso. Transformar a empresa digitalmente passa pela consciência das vantagens – e dos riscos – que as máquinas podem trazer na estrutura da organização e, principalmente, quais soluções realmente acrescentam na rotina dos colaboradores.

Por conta disso, as impressoras seguem importantes e estratégicas para aqueles que desejam crescer e se destacar nos próximos anos.

(*) – É diretor comercial e sócio da Reis Office, empresa líder em outsourcing de impressão e soluções para digitalização, transmissão e armazenamento de documentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Shares
Share via
Copy link