3 passos essenciais para quem quer abrir seu próprio consultório

Abrir o próprio consultório odontológico, esse é o desejo da maioria dos profissionais dentistas, sejam aqueles que se formaram recentemente, se especializaram na área ou estão em busca da liberdade financeira que um empreendimento particular proporciona.

Para isso, coragem é preciso, mas a empresária e cirurgiã dentista Luanna Coelho, da clínica odontológica Studio Del Dent, pontua que é necessário atenção e conhecimento para saber lidar com questões burocráticas e de regularização.

“Infelizmente, não somos orientados na faculdade, caso quiséssemos ter o próprio negócio. Digo que não é fácil, pois os regimes tributários no Brasil são realmente para especialistas, onde após a formatura, nem sabemos onde anda o melhor caminho para o próprio negócio”, disse.

Mas, depois de mergulhar em vários aperfeiçoamentos, cursos e experiências dentro e fora do Brasil, conseguiu abrir o próprio negócio em meio a pandemia. Com sua ajuda, elencamos três passos essenciais que um profissional precisa ter se quiser abrir o próprio consultório.

  1. – Aprimore habilidades e tenha versatilidade na execução do seu trabalho – Gostar de novidades e ser versátil para resolver várias necessidades ao mesmo tempo, é algo pessoal, mas precisa ser estimulado e aprimorado. Ter consultório ou clínica não é simplesmente alugar um espaço para o trabalho e executar somente o operacional.

É preciso entender sobre gestão de pessoas, qual é a melhor tributação que lhe cabe no momento, marketing, posicionamento, tecnologia, processos internos para otimizar atendimentos de uma empresa e desenvolver parcerias duradoura. É um aprendizado diário que pode ser treinado de várias maneiras.

  1. – Planeje uma reserva monetária ou seja ousado – É preciso saber que há riscos e, infelizmente, não temos incentivos fiscais, o que dificulta o desenvolvimento de uma empresa. Normalmente os dentistas abrem uma empresa (consultório) sem ter capital de giro e na maioria das vezes não tem visão empreendedora para arriscar e investir em processos que podem tirar o seu negócio do zero.”.

3.- Planeje como firmar a sua marca – Embora se confunda com identidade visual, aqui quero pontuar a importância da organização interna para proporcionar uma boa experiência para os seus clientes. Uma empresa que não negocia seus valores tem a sua identidade firmada de alguma maneira, nem que seja somente no seu bairro, ou no seu estado. Se é uma empresa organizada e que investe na experiência do seu cliente, a sua empresa tem marca”, finalizou. – Fonte e mais informações: (www.studiodeldent.com.br).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap