O papel do Recursos Humanos na transformação digital

Rodrigo Pádua (*)

A área de Recursos Humanos (RH) passou por várias mudanças. O que antes era tido como um setor burocrático, restrito a questões operacionais, hoje tem um papel estratégico nos negócios e se baseia em três pilares importantes: gestão de pessoas, cultura e tecnologia. À medida que as organizações vêm deixando de depender das estruturas físicas, a tecnologia e a agilidade começam a mudar a forma de gerir pessoas.

Porém, a transformação digital que tanto se fala hoje não é unicamente uma questão tecnológica, mas de mentalidade digital. E quando falamos em mentalidade, tudo nos leva às pessoas! A transformação digital é impulsionada pela necessidade de alavancar os negócios da empresa, o desenvolvimento de novos projetos, produtos e serviços, entre outros. E um parceiro estratégico para esse crescimento é o RH.

Os novos modelos de trabalho, como o home office, impulsionaram a descentralização das operações a fim de conquistar uma maior competitividade e oportunidades de atrair novos talentos de diversas regiões. Por meio de plataformas personalizadas com Inteligência Cognitiva & IA, é possível criar vários processos otimizados para a área.

Uma delas é a visão ampla de todos os candidatos que se encaixam no perfil de uma determinada vaga, direcionando aos motores de Matching do Virtual Assistant, que avalia as competências necessárias e indica maior fit para a vaga.
E claro, com esse novo modelo de trabalho é preciso estabelecer interações e disseminar a cultura da empresa de forma simples, o que é possível através do Onboarding Digital, tornando as experiências 100% digitais, sem perder a relação humana.

Mudanças de mindset, geração de novos profissionais e o avanço da tecnologia provocam um olhar mais direcionado para dentro de seus próprios times para se tornarem agentes de transformação. Novas lideranças devem proporcionar autonomia e confiança, medindo resultados das mudanças e acompanhando as iniciativas dos recursos humanos que estão sendo implementadas e praticadas. A área passa incorporar responsabilidade para exercitar capacidades, inovar e incentivar mudanças, além da implementação de sistemas e trazendo o que há de mais importante: pessoas.

E como os líderes da área de RH podem desenvolver ideias inovadoras internamente através dos seus times? Incentivando o intraempreendedorismo por meio da criação de ambientes colaborativos para novas ideias e aprendizados, além de gerar possibilidades de migração de áreas, livre interação com outras lideranças e, principalmente, um ambiente saudável.

(*) – É VP Global de Gente e Cultura do Grupo Stefanini.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap