Empresas não sabem tirar proveito da inovação para geração de valor

Promover inovação é primordial para garantir o sucesso e a sustentabilidade de um negócio atualmente. No entanto, a maioria das empresas brasileiras ainda tem dificuldade de gerar impactos expressivos nos seus resultados por meio das iniciativas de inovação adotadas.

É o que constatou a pesquisa Transformando Estratégia em Realidade, realizada pela Falconi, maior consultoria brasileira em gestão da América Latina. Segundo o estudo, 70,8% dos respondentes afirmam que as inovações geram somente impactos marginais nos resultados.

Esse dado é preocupante para o mercado brasileiro como um todo, uma vez que a inovação é capaz de gerar vantagens competitivas para o sucesso e sustentabilidade de empresas em mercados cada vez mais dinâmicos, acredita Bernardo Miranda sócio e head da Falconi North America.

Responsável pelo FIVE, mais recente solução de gestão da companhia que traz um olhar 360º e visa incorporar inovação e sustentabilidade à estratégia de negócio das empresas, Miranda afirma que as empresas precisam se adaptar mais facilmente a essa realidade para garantir sua saúde financeira no longo prazo. “No mundo atual as organizações têm seus resultados acompanhados de perto por diversos stakeholders e a inovação é peça chave para garantir a capacidade de adaptação às demandas desses públicos”, ressalta.

Por meio do FIVE, a Falconi visa ajudar as empresas a reverter esse cenário, incorporando à agenda dos CEOs as iniciativas que irão definir a sustentabilidade da empresa no longo prazo como as inovações e ações de ESG (ambiental, social e de governança, na sigla em inglês). A plataforma apresenta métodos e soluções pragmáticas que permitem articular os temas da agenda do mercado à geração de valor da empresa.

“Por meio da inovação, com uma base tecnológica que utiliza data analytics para trazer projeções e tendências, e avaliar a agenda de impacto social das empresas, oferecemos uma ferramenta sistêmica e customizável”, comenta. O FIVE funciona como um “chassi” no qual a empresa pode “acoplar” as soluções tecnológicas que já possui às métricas propostas pela plataforma, permitindo que sejam identificadas as grandes alavancas de valor que geram impacto para a companhia e para a sociedade.

Proporciona também um diagnóstico sobre as ineficiências nessa entrega de valor. “Nossa missão é apresentar aos CEOs e diretores como, de forma pragmática, o negócio dele pode gerar ainda mais impacto financeiro, social e ambiental para toda sua cadeia, e não apenas seguir os modismos do mercado”, afirma Bernardo.

A Pesquisa Transformando Estratégia em Realidade ouviu 98 CEOs, diretores e gestores de 86 empresas brasileiras de diferentes setores da economia e mostrou ainda que 47% das empresas brasileiras não possuem iniciativas estruturadas para questões do chamado ESG (ambiental, social e de governança, na sigla em inglês) e ainda apresentam pouco ou nenhum impacto para a sociedade nessas áreas, para além das métricas financeiras. Para saber mais sobre a pesquisa, acesse: (https://bit.ly/2P0Gvuz). – Fonte e outras informações: (www.falconi.com).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap