Falta pouco para a Black Friday; tempo de começar a vender online

Não é novidade que a Black Friday é uma das mais importantes e consolidadas datas do varejo nacional. Realizada sempre na última sexta-feira de novembro, este ano ela será no dia 27. Com o crescimento do e-commerce em 2020 em disparada – no primeiro semestre de 2020, o setor já faturou 47% a mais do que no mesmo espaço de tempo 12 meses antes, segundo dados da E-bit Nielsen – neste, as vendas online podem bater recordes em comparação com os períodos anteriores.

De acordo com uma pesquisa de intenção de compra realizada pela Méliuz, 58% dos que pretendem comprar na Black Friday, farão isso em lojas online. Apesar da alta digitalização nos últimos meses, alguns varejistas e empreendedores ainda não adaptaram suas vendas para o mundo digital. Por isso, Thiago Santos, CEO e fundador da e-thinkers , empresa de gestão de e-commerce, aborda abaixo algumas alternativas para os varejistas não ficarem fora de uma das melhores datas do varejo.

• Vender em um marketplace – Marketplaces como Mercado Livre, Amazon e Enjoei, são boas opções para quem deseja vender um único produto ou para quem não quer investir na construção do próprio site. Estes são canais de vendas já estabelecidos, que contam com um bom tráfego e são populares. Há, no entanto, algumas desvantagens, como taxas e percentuais cobrados sobre as vendas realizadas na plataforma.

• Criar seu próprio site – Pode parecer que em menos de 60 dias é difícil ter seu próprio site personalizado no ar. Mas atualmente existem algumas empresas que conseguem entregar o projeto pré-pronto para que o cliente personalize o layout e consiga fazer as vendas online. A e-thinkers, por exemplo, oferece o projeto DIY, onde o cliente tem acesso a uma plataforma acessível e de fácil usabilidade, templates e funcionalidades originais. Além disso, a e-thinkers oferece treinamento por vídeos gravados com conteúdos segmentados por áreas.

• Use as redes sociais – As redes sociais são fortes aliadas para as vendas online. Thiago Santos, CEO e fundador da e-thinkers, explica que para seus clientes, o Instagram é a melhor ferramenta de divulgação e a plataforma que mais gera vendas digitais, sendo responsável por aproximadamente 16% das vendas, entre postagens orgânicas e patrocinadas.

“Para criar sua lojinha dentro da plataforma você precisa ter uma conta comercial e uma página do negócio no Facebook. Em seguida, basta vincular o perfil do Instagram ao seu catálogo do Marketplace ou do Gerenciador de Negócios e fazer a marcação dos produtos nos posts”, explica Santos.

O especialista destaca que independente da maneira que você começar a vender o mais importante é garantir excelência pós-venda. “A entrega precisa chegar na casa do cliente no prazo combinado, se possível em um prazo até menor para que ele seja positivamente impactado, assim você poderá conquistar novos clientes fiéis”, finaliza. Fonte e outras informações: (www.e-thinkers.com.br).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap