Empreendeu na quarentena? 3 passos para manter seu negócio em dia

A crise do coronavírus pegou em cheio o bolso de muitas empresas e pessoas que estavam despreparadas. Além da saúde física, a financeira também ganhou destaque nessa crise: lojistas e restaurantes fecharam as portas, pessoas que trabalham com aplicativo de transporte pararam de circular. Porém, mesmo diante desse cenário, houve um aumento no número de empreendedores do Brasil.

Os e-commerces foram opção para muitas pessoas que ficaram desempregadas ou sem renda e precisaram migrar para o digital. Para se ter uma ideia, o segmento registrou R$ 670 milhões em vendas em junho, em todo o país. Em relação ao mesmo mês do ano passado, a média diária de vendas em 2020 cresceu 73%, segundo dados da Receita Federal.

De acordo com Ariane Marta (*), da Brascont Contabilidade, nem sempre é fácil investir, principalmente na crise, mas alguns setores se mostram ainda mais vantajosos nesse momento. “Profissionais que oferecem serviços ao invés de produtos como: arquitetos, jornalistas, engenheiros ou áreas ligadas a tecnologia, por exemplo, são negócios que precisam de menos investimento, pois não necessitam de um capital de giro alto e nem uma grande contratação de funcionários, pelo menos no início”, exemplifica a especialista. Confira três dicas para manter seu negócio de pé:

1 – Tenha um plano de negócios: a elaboração desse planejamento é fundamental para evitar crises e garantir o futuro da empresa. “Abrir seu negócio próprio requer muita organização e conhecimento sobre tudo o que engloba empreender. É preciso se questionar sobre todas as possibilidades, pensar qual produto ou serviço você vai vender, em qual local, avaliar o mercado, conhecer o ramo, ter um plano financeiro, e unir todas essas informações em um plano de negócios.

2 – Fique atento a todas as papeladas: outro ponto importante é saber qual será o tipo da sua empresa – Micro Empreendedor Individual (MEI), Sociedade Simples (SS), Limitada (Eireli) ou outro modelo. “É preciso pensar em toda a documentação para abrir o CNPJ, além de outros registros, por exemplo: se o local vai ser físico, também precisa de uma análise da documentação deste imóvel, se é um restaurante você deve entrar em contato com os órgãos responsáveis.

Por isso, é preciso analisar todos órgãos que gerenciam o setor que se está investindo e tomar cuidado para manter toda a documentação em dia. Além disso, é necessário saber em qual Regime Tributário a empresa se encaixa. Existem três regimes principais: o simples nacional, lucro presumido e lucro real. Com a ajuda de um contador o empreendedor consegue entender qual é mais vantajoso para o seu negócio, programar e definir todos os tributos que as empresas precisam pagar ao Governo.

3 – Faça um acompanhamento diário: é necessário colocar todas as entradas e saídas na ponta do lápis, além disso a parte contábil deve estar sempre em dia. Existem muitas declarações, impostos e processos que uma empresa saudável deve seguir, por isso é indicado o acompanhamento de um contador ou contar com um especialista da área. Anote todos os processos para que isso não gere uma bola de neve lá na frente. Com organização e cautela é possível manter seu negócio de pé e empreender sem risco.

(*) – É contadora e diretora da Brascont Contabilidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap