Lazer e Cultura 27/10/2016

Epidemia

Cena de “Proibido amar”.
  • Save

“Proibido amar” é uma ficção não tão distante de uma realidade da sociedade atual

Um vírus se alastra e o Estado adota uma medida como forma de retenção do mal. Três jovens são submetidos a uma quarentena, e se enfrentam numa espécie de jogo sádico onde podem não sair vivos. A peça documenta os dias vividos nessa triagem estreitando as relações entre o público e a ficção. Um forte cheiro de álcool num ambiente claustrofóbico é o pano de fundo para “Proibido amar”. Numa sociedade repressora em busca de uma raça pura três jovens apresentam sintomas relacionados a um vírus que já contaminou 33% da população. Esse é o cenário caótico do espetáculo que traz um assunto que vem estampando as capas dos jornais do mundo todo: epidemia. Com Ferruccio Cornacchia, Paulo Tardivo e Paulo Victor Gandra.

Serviço: Teatro Augusta, R. Augusta, 943, Cerqueira César, tel. 3151-4141. Sextas às 23h30. Ingresso: R$ 50. Até 16/12.

REFLEXÃO

DEUS TE ABENÇOA: “Também, irmãos, vos fazemos conhecer a graça de Deus…” – Paulo. (II Coríntios, 8:1.). Acreditas-te frágil, mas Deus te suprirá de energias. Reconheces a própria limitação, mas Deus te conferirá crescimento. Afirmas-te sem ânimo, mas Deus te propicia coragem. Declaras-te pobre, mas dispões das riquezas infinitas de Deus. Entendamos, porém, que o processo de assimilar os recursos divinos será sempre o serviço prestado aos outros. Não alegue, assim, fraqueza, inaptidão, desalento ou penúria para desistir do lugar que te cabe no edifício do bem. Pela hora de otimismo com que amparas o trabalho dos companheiros, Deus te abençoa. Pelo gesto silencioso com que escoras o equilíbrio geral, Deus te abençoa. Pela frase caridosa e esclarecedora com que asseguras o entendimento fraterno, Deus te abençoa. Pela migalha de socorro ou de tempo que despendes no apoio aos necessitados, Deus te abençoa. Pela atitude de tolerância e serenidade, à frente da incompreensão, Deus te abençoa. Convivemos, sem dúvida, com almas heróicas, habilitadas aos mais altos testemunhos de fé em Deus, através do sacrifício pela felicidade dos semelhantes, mas Deus que abençoa o rio capaz de garantir as searas do campo, abençoa também a gota de orvalho que ameniza a sede de rosa. Se erros e desacertos nos marcaram a estrada até ontem, voltemo-nos para Deus com sinceridade, refazendo a esperança e suportando sem mágoa, as acusações do caminho. O homem, às vezes, passa enojado, à frente do charco, sem perceber que Deus alentou no charco os lírios que lhe encantam a mesa. À face disso, se alguém te censura, ouve com paciência. Se existe sensatez na repreensão, aproveita o conselho; se for injusto o reproche, conserva a alma tranquila, na limpeza da consciência. Em qualquer dificuldade, arrima-te à confiança, trabalhando e servindo com alegria, na certeza invariável de que Deus te abençoa e te vê. Livro Palavras de Vida Eterna – F.C. Xavier.

Chacina

Cena do drama “Tiros em Osasco”.
  • Save

O disparo inicial da montagem se dá com a pergunta “Essa história que aconteceu em Osasco. O que você acha? ”, referente à chacina ocorrida em agosto de 2015. A partir disso, a peça “Tiros em Osasco” apresenta cenas curtas divididas em cinco apartamentos similares onde figuras de classe média se relacionam com esse espaço privado e com o quanto ele determina seus pensamentos e opiniões. Igor, único personagem da trama que sai do apartamento e vai até Osasco, costura a narrativa. Tiros em Osasco é sobre o espaço em que as cenas ocorrem, o apartamento, e o quanto ele é um prolongamento de seus personagens e afeta a dinâmica social. Com Ana Caroline Gobbi, Ana Luiza Anjos, André Saboya Borges Fortes, Elise Garcia, Guilherme Yazbek, Carlos Jordão, Marcella Vicentini, Marcelo Rodrigues, Magiu Mansur, Renata Becker, Renata Martins e Rodrigo Sampaio.

Serviço: Centro Cultural Fiesp (Ruth Cardoso (SESI)), Av. Paulista, 1313, Cerqueira César, tel. 3146-7405. De quarta a sábados às 20h30 e domingos às 19h30. Entrada franca. Até 06/11.

Suspense

A peça “Entre Alice” conta que Alice está em uma clínica psiquiátrica, cercada de pessoas misteriosas que a envolvem em situações cada vez mais perturbadoras. Confusa e sem noção de tempo, ela tenta distinguir o real do imaginário.Com Bruna Izar, Gustavo Zanetti, Sabrina Estefam, Taiguara Chagas e Vinicius Candoti.

Serviço: Espaço dos Satyros Um, Pça Franklin Roosevelt, 214, Centro, tel. 3258-6345. Sextas às 21h. Ingresso: R$ 40. Até 25/11.

A valsa

Cena de “33 Variações”.
  • Save

O texto do drama “33 Variações” conta a estória de uma musicóloga que viaja pelo mundo em busca de pistas para desvendar o mistério do motivo pelo qual Ludwig van Beethoven compôs 33 variações para a valsa criada por um então obscuro compositor, Anton Diabelli. Na pele de Beethoven está o próprio Wolf Maya, que também divide o palco com André Dias, Lu Grimaldi, Flávia Pucci, Gil Coelho e Gustavo Engracia, além de oito estudantes de arte dramática. Com Nathalia Timberg, Wolf Maya, André Dias, Lu Grimaldi, Flávia Pucci, Gil Coelho e Gustavo Engracia.

Serviço: Teatro Nair Bello (Shopping Frei Caneca), R. Frei Caneca, 569, Bela Vista, tel. 3472-2414. Sextas e sábados às 21h e domingos às 19h. Ingresso: R$ 120. Até 11/12.

Drama

Uma adaptação abrasileirada e caipira da obra de Molière, Tartufo, o farsante que veio de longe. O protagonista é um falso beato que se hospeda na casa de um burguês rico, inocente e religioso que vê em Tartufo a chance de alcançar a salvação eterna. Com Rodney D’Annibale.

Serviço: Teatro do ETA – Estúdio de Treinamento Artístico, R. Major Diogo, 547, Bela Vista, tel. 2615-6257. Sábados às 21h30. Ingresso: R$ 20. Até 19/11.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap