Lazer e Cultura 27/01/2016

“Diga Que Você Já Me Esqueceu”

diga1 temporario
  • Save

‘Diga que Você já me Esqueceu’ explora universo tragicômico de Nelson Rodrigues

Na peça “Diga Que Você Já Me Esqueceu”, é chegado o dia do casamento de Silvio e Lúcia, um casal unido pela família que guarda em ambos os lados muitos segredos que estão à beira de serem revelados no dia desta cerimônia, marcada para a tarde num belo jardim. O que era para ser uma feliz comemoração desfia em sua trama acontecimentos do passado que trazem as personagens até a sombria tarde de hoje, onde um temporal assinala tragédias e confissões. Com Angela Figueiredo, Adriano Toloza, Luciana Garcia, Pedro Bosnich, Renata Maia, Thalyta Medeiros, Thais Boneville e Tiago Pessoa.

Serviço: Teatro Augusta, R. Augusta, 943, Consolação, tel. 3151-4141. Sábados às 21hr Ingressos: R$ 40 e R$ 20. Até 27/02.

REFLEXÃO

MELHORAR PARA PROGREDIR.

“E a um deu cinco talentos e a outro dois e a outro um, a cada um segundo a sua capacidade…” – Jesus. (Mateus, 25:15.) Melhorar para progredir – eis a senha da evolução. Passa o rio dos dons divinos em todos os continentes da vida, contudo, cada ser lhe recolhe as águas, segundo o recipiente de que se faz portador. Não olvides que os talentos de Deus são iguais para todos, competindo a nós outros a solução do problema alusivo à capacidade de recebe-los. Não te percas, desse modo, na lamentação indébita. Uma hora anulada na queixa é vasto patrimônio perdido no preparo da justa habilitação para a meta a alcançar. Muitos suspiram por tarefas de amor, confiando-se à aversão e à discórdia, enquanto que muitos outros sonham servir à luz, sustentando-se nas trevas da ociosidade e da ignorância. A alegria e o fulgor dos cimos jazem abertos a todos aqueles que se disponham à jornada da ascensão. Se te afeiçoas, assim, aos ideais de aprimoramento e progresso, não te afastes do trabalho que renova, do estudo que aperfeiçoa, do perdão que ilumina, do sacrifício que enobrece e da bondade que santifica… Lembra-te de que o Senhor nos concede tudo aquilo de que necessitamos para comungar-Lhe a glória divina, entretanto, não te esqueças de que as dádivas do Criador se fixam, nos seres da Criação, conforme a capacidade de cada um. Livro Palavras de Vida Eterna – F.C. Xavier.

Amor?

Cena da peça “E se não Tivesse Amor no Título?”
  • Save

A peça “E se não Tivesse Amor no Título?” , mostra os amores não concretizados de três mulheres, que dividem sorrisos e frustrações. Baseada em relatos reais, questiona se uma verdadeira história de amor existe ou é uma ficção. Com Luiza Andrade, Cintia Takeda, Iona Damiana e Nina Marqueti.

Serviço: Teatro Augusta, R. Augusta, 943, Consolação, tel. 3151-4141. Sábados às 21h00. Ingressos: R$ 40 e R$ 20. Até 27/02.

Clássicos

Andersen ao contar a estória de um patinho feio e rejeitado que se descobre um lindo cisne faz quase que uma metáfora de sua própria vida: um garoto desajeitado que saiu de sua pequena cidade natal, Odense, enfrentou muitas dificuldades até conquistar o mundo com a beleza e o encantamento de suas estórias e é representando a vida do autor de Patinho Feio, de sua infância pobre até o reconhecimento como grande escritor que o grupo Teatro Por Um Triz apresenta o espetáculo “Patinho Feio, O Voo de Andersen”. Com atores, bonecos e silhuetas, duas de suas histórias são contadas: O Soldadinho de Chumbo e O Patinho Feio. Soldadinho de Chumbo faz uma referência às frustrações amorosas do escritor e O Patinho Feio é considerada, por muitos críticos, uma autobiografia do autor. Com Andreza Domingues, Márcia Nunes, Péricles Raggio e Wagner Dutra.

Serviço: Teatro MuBE Nova Cultural, Av. Europa, 218, tel. 5044-5558. Sábado (06) às 15h e domingo (07) às 11h. Ingressos: R$ 40 e R$ 20 (meia).

Retorno

Em sua estreia no teatro, Paulo Miklos, do Titãs, interpreta o ícone do jazz Chet Baker (1929-1988), que foi espancado em uma rua de São Francisco no final da década de 1960, teve os lábios rachados, perdeu dentes e precisou parar a carreira por um tempo. A peça Chet Baker, Apenas um Sopro se passa durante um ensaio com os colegas, quando o trompetista tentava retornar à música.

Serviço: Centro Cultural Banco do Brasil, R. Álvares Penteado, 112, Centro, tel. 3113-3651. Segundas, quartas e quintas às 20h. Ingresso: R$ 10. Até 07/04.

O HERDEIRO

A comédia “Volpone de Ben Jonson”, que foi um dramaturgo, poeta e ator inglês da Renascença, contemporâneo de Shakespeare, fala sobre um milionário falido que arquiteta um plano junto ao seu fiel empregado para recuperar sua fortuna. Ele inventa que vai morrer e que deixará sua riqueza a um único herdeiro, ainda não definido, causando alvoroço na cidade: todos fingem, agora, adorá-lo, e o presenteiam com joias e moedas de ouro.

Serviço: Teatro MuBE Nova Cultural, R. Alemanha, 221, Jardim Europa, tel. 4301-7521. Sextas e sabados às 21h30 e domingo às 20h30. Ingressos: R$ 50, às sextas e R$ 60, aos sábados e domingos. Até 13/03.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap