Lazer e Cultura 17/08/2016

Humor negro

Cena da peça O Campeão de Dominó do Alaska.
  • Save

A comédia “O Campeão de Dominó do Alaska” reestreia dia 19

A peça apresenta um homem que quer vender a mãe, que sofre de Alzheimer. Seu principal obstáculo é o irmão que ficou todos esses anos cuidando dela. O espetáculo se desenrola aos poucos como um drama, beirando a tragédia. “A encenação trabalha a partir do equilíbrio entre o cômico e o dramático, que é a base do texto. A situação nos remete às questões éticas e sociais que afloram com mais força em momentos como o que vivemos no Brasil hoje, de grande desesperança e desamparo. O texto e o jogo dos atores são o fundamental”, finaliza o diretor, que também assina o cenário da montagem. Com Maria Eugênia de Domênico, Valdir Rivaben e Eduardo Parisi.

Serviço: Teatro Sergio Cardoso, R. Rui Barbosa, 153, Bela Vista, tel: 3288-0136. De sexta a domingo às 20h. Ingressos: R$ 10 e R$ 5 (meia). Até 28/08.

REFLEXÃO

EM MATÉRIA AFETIVA
Sempre é forçoso muito cuidado no trato com os problemas afetivos dos outros, porque muitas vezes os outros, nem de leve, pensam naquilo que possamos pensar. Os Espíritos adultos sabem que, por enquanto, na Terra, ninguém pode, em sã consciência, traçar a fronteira entre normalidade e anormalidade, nas questões afetivas de sentido profundo. Os pregadores de moral rigorista, em assuntos de amor, raramente não caem nas situações que condenam. Toda pessoa que lesa outra, nos compromissos do coração, está fatalmente lesando a si própria. Respeite as ligações e as separações, entre as pessoas do seu mundo particular, sem estranheza ou censura, de vez que você não lhe conhece as razões e processos de origem. As suas necessidades de alma, na essência, são muito diversas das necessidades alheias. No que tange a sofrimentos do amor, só Deus sabe onde estão as quedas ou as vitórias. Jamais brinque com os sentimentos do próximo. Não assuma deveres afetivos que você não possa ou não queira sustentar. Amor, em sua existência, será aquilo que você fizer dele. Você receberá, de retorno, tudo o que der aos outros, segundo a lei que nos rege os destinos. Ante os erros do amor, se você nunca errou por emoção, imaginação, intenção ou ação, atire a primeira pedra, conforme recomenda Jesus.

Livro Sinal Verde – F.C. Xavier.

Jazz

Donny McCaslin
  • Save

O saxofonista californiano Donny McCaslin integrou a banda Steps Ahead e as orquestras de Gil Evans e Maria Schneider, tendo sido indicado três vezes ao Grammy na categoria Melhor Improvisação Solo de Jazz (2004, 2013 e 2015). Em 2015, gravou Blackstar, último álbum de David Bowie, ao lado de Jason Lindner (teclados e piano), Tim Lefebvre (contrabaixo) e Mark Guiliana (bateria), quarteto eletroacústico que virá ao Brasil demostrar sua fonte dançante de improvisos e grooves.

Serviço Sesc Pompeia, R. Clelia, 93, Perdizes, tel. 3871-7700. Quinta (18) e sexta (19) às 21h30. Ingresso: R$ 50.

Música étnica

O Mutrib é uma “gipsy band” voltada para o repertório dos Bálcãs e do Mediterrâneo Oriental. Concebendo a cultura mediterrânea do oriente como um grande eixo da cultura mundial, capaz de interligar Ocidente e Oriente desde a Antiguidade, apresenta os sons multiculturais de um verdadeiro caldeirão musical de grande efervescência.

Serviço: Mercado Municipal de São Paulo, R. Cantareira, 306, Centro. Quinta 18 às 13h. Entrada franca.

Soul

Banda Cara de Pau.
  • Save

Uma das primeiras bandas de soul music de São Paulo, Banda Cara de Pau, chega com suas coreografias bem humoradas apresentando sucessos como: “Black Dog” (Led Zeppelin) e “Lazy” (Deep Purple), além do incrível swing de “Dance Across the Floor” ou “You Get Me Hot”. O melhor do show fica por conta dos metais que trazem de volta arranjos originais dos anos 60, 70 e 80.

Serviço: Bourbon Street Music Club, R. dos Chanés, 127, Moema, tel. 5095-6100. Sábado (20) às 23h59. Ingresso: R$ 75.

Objetivos do cafajeste

Luiggi Francesco, ator e produtor de sucesso, volta à cena paulista com mais uma comédia de atualidades, “Confissões de um Cafajeste”, repleta de situações que remetem o público à sua própria realidade, transformando fatos cotidianos em quadros humorísticos de grande qualidade cênica. O texto é um relato bem humorado de experiências marcantes na vida de um homem que usa toda a criatividade para alcançar seus objetivos (nem sempre tão nobres assim) e se envolve em situações hilariantes, totalmente inusitadas e com uma dose extra de malícia.

Serviço: Teatro Bibi Ferreira, Av. Brigadeiro Luis Antônio, 931, Bela Vista, tel. 3105-3129. Sábados às 23h30. Ingresso: R$ 50. Até 10/09.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap