89 views 13 mins

Geral 21/10/2016

em Geral
quinta-feira, 20 de outubro de 2016
Em apenas seis meses, 33,4% dos motoristas não renovaram as carteiras e 11% deles migraram para as categorias A e B.

Exame para caminhoneiros reduziu em 38% acidentes nas estradas

Em apenas seis meses, 33,4% dos motoristas não renovaram as carteiras e 11% deles migraram para as categorias A e B.

A obrigatoriedade do exame toxicológico para motoristas profissionais, implantada há apenas seis meses, já conseguiu reduzir em mais de 38% o número de acidentes nas estradas federais de todo o país

A medida também fez com que mais de 230 mil motoristas profissionais mudassem de categoria ou não renovassem sua CNH. Os dados foram divulgados pelo Instituto de Tecnologia para o Trânsito Seguro (ITTS), que apresentou balanço sobre os seis meses da obrigatoriedade do exame.
Nestes seis meses, foram testados cerca de 650 mil profissionais no país. Apenas profissionais do Tocantins e de Mato Grosso do Sul não estão fazendo os exames, resguardados por liminares. A taxa de positividade ficou em torno dos 9% para os motoristas candidados a emprego em regime de CLT e em 2,5% para os motoristas que renovaram suas carteiras de habilitação. Neste último grupo, o baixo índice está diretamente relacionado ao fato de que mais de 33% dos condutores profissionais não renovaram suas carteiras ou migraram para categorias em que o exame não é exigido.
Para o presidente do instituto, Márcio Liberbaum, é razoável concluir que parte significativa desses motoristas que evitaram o exame do fio de cabelo seja de usuário regular de drogas e que permanece dirigindo profissionalmente sem a carteira de habilitação compatível, burlando a fiscalização, sem o documento renovado. “Em apenas seis meses, 33,4% dos motoristas não renovaram as carteiras e 11% deles migraram para as categorias A e B. Mas é significativo que 24% simplesmente não renovaram”.
Liberbaum ressaltou o fato de que, “mais de 2,5 milhões deles ficariam sem a renovação da carteira, se todos os exames já tivessem sido realizados a um só tempo”. O que se pode imaginar, segundo ele, é que “haja uma positividade escondida de 25%, uma vez que todas as etapas anteriores à implantação do calendário legal do exame, em que fomos às ruas buscar conhecer a taxa de positividade nos motoristas profissionais, ela variava entre 15% e 33%”.
Estudo desenvolvido em paralelo pela Polícia Rodoviária Federal constatou que, de março a julho, comparativamente a igual período do ano passado, o número de acidentes envolvendo caminhões nas estradas federais do país diminuiu de 18 mil para 11 mil, o que dá uma redução de 38%. “A gente sabe que a positividade no país é alta, até porque os motoristas não se drogam por lazer, mas, sim, para cumprir o tempo de jornada de trabalho, que é própria de regime escravagista. E isso tem que acabar”, disse o presidente do Instituto de Tecnologia para o Trânsito Seguro (ABr).

Cerca de 21 milhões de pessoas são vítimas de tráfico no mundo

As mulheres constituem 95% das vítimas de exploração sexual.

Estima-se que há hoje no mundo cerca de 21 milhões de pessoas vítimas de tráfico, segundo o Parlamento Europeu. Além disso, avalia-se que o tráfico de seres humanos – com fins de exploração sexual, trabalho forçado ou outras atividades – movimente cerca 117 bilhões de euros por ano.
Segundo a ONU, mais de 2 milhões de pessoas são vítimas de tráfico humano a cada ano. O tráfico humano ocorre tanto no âmbito doméstico dos países quanto no internacional.
Cerca de 68% foram submetidas a trabalhos forçados e 22% à exploração sexual. Os 10% restantes foram vítimas de remoção de órgãos, servidão doméstica, mendicidade, entre outros abusos. As mulheres constituem 95% das vítimas de exploração sexual, enquanto 70% das vítimas de trabalhos forçados são homens. Quanto à origem, 56% são provenientes da Ásia e Pacífico; 18% da África; 9% da América do Sul e Caribe; 7% da União Europeia e países desenvolvidos; 7% do resto da Europa e Ásia Central; e 3% do Oriente Médio.
O estudo mostrou que, ao longo dos três anos analisados (2010 a 2012), mais de 70% dos suspeitos de tráfico humano eram homens e 69% eram cidadãos da UE. No período pesquisado, 8.805 pessoas foram processadas por tráfico de seres humanos e 3.855 foram condenadas. Esse tipo de crime afeta todas as regiões do mundo, segundo o estudo Global Report on Trafficking in Persons 2014, realizado pelo Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC). Entre 2010 e 2012, foram identificadas vítimas de tráfico de 152 nacionalidades diferentes em 124 países do mundo (ABr).

País tem 49 produtos com certificação de origem

O Brasil tem 49 produtos com certificação com Indicação de Procedência ou Denominação de Origem. São itens produzidos em uma região geográfica específica do país, que são certificados pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (Inpi), a pedido de associações, sindicatos e cooperativas de produtores locais. O dado foi divulgado ontem (20) pelo IBGE.
É o caso dos vinhos tintos, brancos e espumantes produzidos no Vale dos Vinhedos, no Rio Grande do Sul, que foram os primeiros a receber certificação com Indicação de Procedência no país, em 2002. Isso significa que apenas os vinhos produzidos nessa região gaúcha podem ostentar o título de vinho do Vale dos Vinhedos. O caso mais recente de certificação foi o café verde, torrado e moído da Região de Pinhal, em São Paulo, em 19 de julho de 2016.
Entre os produtos certificados no país estão o vinho, café, carne, cachaça, uva, camarão, cajuína, calçados, queijo e até serviços de tecnologia de informação. Vinte estados têm produtos regionais com certificação. O Rio Grande do Sul lidera o ranking com dez produtos, seguido por Minas Gerais, com oito (ABr).

Saúde lança ação nacional de combate à sífilis

eba0b3f922fd6ab7e48e4ca07e727252 L temporario

O Ministério da Saúde lançou ontem (20) uma ação nacional de combate à sífilis. A proposta é mobilizar gestores e profissionais de saúde sobre a importância da detecção e do tratamento da doença durante o pré-natal. A estratégia prevê, entre outros aspectos: o incentivo à realização do pré-natal precoce no primeiro trimestre da gestação; a ampliação do diagnóstico por meio de testes rápidos; o tratamento oportuno para a gestante e seu parceiro; e o incentivo à administração de penicilina benzatina.
A pasta apresentou campanha publicitária a ser veiculada em mídias sociais chamando atenção para ações de prevenção à sífilis. “Nosso objetivo é reunir a sociedade no esforço de combate à sífilis. Assim, poderemos incentivar a testarem principalmente as grávidas para evitar a transmissão vertical da doença. Trazemos soluções factíveis no compromisso que assinamos hoje”, avaliou o ministro da Saúde, Ricardo Barros. A detecção da sífilis, de acordo com o ministério, é feita atualmente no Brasil por meio de testes rápidos disponíveis no SUS.
No caso das gestantes, a indicação da realização do teste rápido ocorre já na primeira consulta do pré-natal – daí a importância de conscientizar mães e parceiros a iniciar o acompanhamento no primeiro trimestre da gravidez. No Brasil, todos os tipos de sífilis são de notificação obrigatória há pelo menos cinco anos. Em 2015, a taxa de detecção foi de 42,7 casos para cada 100 mil habitantes, sendo a maioria em homens – 136.835 casos (60,1%). No período de 2010 a junho de 2016, foi registrado um total de 227.663 casos de sífilis adquirida (ABr).

Bob Dylan reconhece prêmio Nobel

Após dias de silêncio, o cantor norte-americano Bob Dylan finalmente reconheceu que venceu o prêmio Nobel de Literatura deste ano, que foi anunciado pela Academia sueca, responsável pela premiação. Na página do site oficial do artista que promove seu novo livro, “The Lyrics: 1961 – 2012”, obra que reúne mais de 50 anos de letras das canções de Dylan, foi acrescentado um subtítulo em letras garrafais onde se lê “vencedor do prêmio Nobel de Literatura”.
No entanto, esse discreto e indireto reconhecimento por parte do cantor não significa que ele tenha aceitado o prêmio ou que ele vá se pronunciar sobre o assunto no futuro. De acordo com a Academia sueca, após inúmeras tentativas, a entidade não conseguiu falar com o músico sobre o resultado da premiação e acabou desistindo de entrar em contato com ele (ANSA).

Brasil volta ao ‘top 3’ do ranking da Fifa

A seleção brasileira voltou a aparecer entre as três melhores seleções do mundo no ranking da Fifa divulgado ontem (20). Com as quatro vitórias consecutivas sob o comando do técnico Tite, o Brasil passou a Bélgica e chegou aos 1.410 pontos no cálculo da entidade. Já a Argentina se mantém na ponta, com 1.621 pontos, seguida pela Alemanha, com 1.465.
Os outros sul-americanos que aparecem entre os 10 melhores do mundo são a Colômbia (5º lugar), Chile (6º) e o Uruguai (9º). A Itália se manteve na 13ª colocação do ranking após os jogos das Eliminatórias da Copa do Mundo da Rússia. A anfitriã do próximo Mundial, aliás, caiu 15 posições na tabela e está na pior colocação de sua história, o 53º lugar.
Confira a lista das 10 melhores seleções do mundo: 1. Argentina; 2. Alemanha; 3. Brasil; 4. Bélgica; 5. Colômbia; 6. Chile; 7. França; 8. Portugal; 9. Uruguai; 10. Espanha (ANSA).