Geral 18 a 20/06/2016

Brasil registrou 5.411 casos e 886 mortes por H1N1 este ano, diz ministério

Idosos em Brasília são vacinados contra gripe.
  • Save

O Brasil registrou 5.411 casos de influenza A (H1N1) entre janeiro e 6 de junho deste ano, segundo dados divulgados pelo Ministério da Saúde. Ao todo, 886 pessoas morreram em decorrência desse tipo de gripe

No mesmo período do ano passado, foram 19 registros da doença em todo o país, com duas mortes. Com 2.280 casos, a Região Sudeste concentra o maior número de registros de H1N1, dos quais 1.926 no estado de São Paulo.
Os estados que notificaram o maior número de pessoas infectadas foram: Rio Grande do Sul (650 casos); Paraná (568); Goiás (265); Mato Grosso do Sul (180); Pará (150); Rio de Janeiro (141); Espírito Santo (124); Santa Catarina (121) e o Distrito Federal (105). O estado de São Paulo também lidera o número de mortes pela doença, 402 óbitos, seguido por Rio Grande do Sul (105); Paraná (72); Goiás (46); Rio de Janeiro (42); Mato Grosso do Sul (33); Santa Catarina (28); Espírito Santo (26); Minas Gerais (23); Pará (21); Bahia (19); Pernambuco (14) e o Distrito Federal (12).
A campanha nacional de vacinação contra a gripe imunizou neste ano 49,9 milhões de pessoas que fazem parte dos grupos de maior risco de complicação pela doença, que supera o público-alvo previsto pelo ministério, formado por 49,8 milhões de pessoas. O público-alvo é formado por crianças de 6 meses até 5 anos incompletos, pessoas com 60 anos ou mais, trabalhadores da área de saúde, povos indígenas, gestantes, mulheres que tiveram filhos há no máximo 45 dias, presos, funcionários do sistema prisional e pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis.
As crianças que tomaram a vacina pela primeira vez este ano devem retornar aos postos de saúde para aplicação da segunda dose até segunda-feira próxima (20).
Oficialmente, a campanha nacional terminou no dia 20 de maio, porém, o Ministério da Saúde recomendou a continuidade da vacinação aos estados que não atingiram a meta. Foram disponibilizadas 54 milhões de doses da vacina – uma reserva técnica de 4,2 milhões de doses acima do quantitativo de pessoas que integram o público prioritário.
A escolha dos grupos prioritários segue recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS). São priorizados os grupos mais suscetíveis ao agravamento de doenças respiratórias. Estudos demonstram que a vacinação pode reduzir entre 32% e 45% o número de internações por pneumonias e de 39% a 75% a mortalidade por complicações da influenza. O Ministério da Saúde recomenda que, além da vacinação, a população deve adotar medidas de prevenção para evitar a infecção por influenza. Algumas delas são lavar sempre as mãos e evitar locais com aglomeração de pessoas, o que facilita a transmissão de doenças respiratórias (ABr).

Turim celebra 80 anos do Fiat Topolino

Fiat “Topolino”, um icone que cumpleta 80 anos.
  • Save

Começaram as comemorações pelo aniversário de 80 anos do carro italiano Fiat Topolino. O modelo se tornou o favorito de muitos e foi um marco no século 20 por ter sido o primeiro carro “econômico” já produzido. Conhecido também como “Mickey Mouse”, o Topolino revolucionou o design e a engenharia automotiva, sendo pioneiro em tecnologias como chassis e suspensão.
Projetado pelo engenheiro Dante Giacosa, o carro foi fabricado entre os anos de 1936 e 1955, período em que teve indiscutível importância no processo de reconstrução da Itália após a guerra. As comemorações serão marcadas por diversos eventos no Museu Nacional do Automóvel de Turim e exposições de centenas de exemplares do carro.
As celebrações tentarão ilustrar a herança preciosa deste veículo revolucionário e sua influência conceitual e técnica em muitos modelos subsequentes (ANSA).

Primeiro AME exclusivo para idosos

O governador Geraldo Alckmin inaugurou na última sexta-feira (17), o primeiro Ambulatório Médico de Especialidades (AME) do Estado de São Paulo voltado exclusivamente para a população idosa. O “AME Idoso”, situado na Lapa (Rua Roma 466), conta com atendimento em 21 especialidades médicas e não-médicas e equipe multidisciplinar voltada para o público a partir dos 60 anos de idade.
O serviço, totalmente adaptado para facilitar o acesso aos idosos, receberá pacientes encaminhados pelas Unidades Básicas de Saúde da região oeste, que atendam aos critérios de admissão. Com investimento total de R$ 10,7 milhões para obras e equipamentos, o AME também contará com serviços de assistência social e reabilitação que serão implantados de forma gradativa. Ao atingir plena capacidade, o ambulatório do governo do Estado poderá realizar mais de 136 mil atendimentos anuais, entre consultas médicas e não-médicas, cirurgias ambulatoriais, exames, atendimentos de odontologia e atendimentos em grupo.
“O envelhecimento populacional e o aumento da proporção de idosos na população é uma realidade, e a zona Oeste da capital paulista é uma das regiões com elevada presença dessa faixa etária. Por isso a preocupação em oferecer um atendimento ambulatorial e assistência especializados para esse público, com instalações modernas e equipe altamente especializada”, afirma David Uip, secretário de Estado da Saúde (SES).

Morreu o professor Girafales

O ator Rubén Aguirre, o professor Girafales do seriado Chaves.
  • Save

O ator mexicano Rubén Aguirre, famoso por representar o personagem Professor Girafales, do seriado Chaves faleceu aos 82 anos. A morte foi noticiada por seu companheiro de elenco Edgard Vivar, o Senhor Barriga. “Meu professor favorito descansa em paz… Hoje meu grande amigo Rubén Aguirre parte deste plano. Sentirei muitas saudades”, publicou ele em sua conta de Twitter junto com a última foto que tiraram juntos.
Rubén Aguirre tinha diabetes e morreu na madrugada de sexta-feira (17), depois complicações em seu estado de saúde. Juntamente com Chapolin Colorado, o seriado infantil mexicano Chaves ganhou projeção mundial nas décadas de 1970 e 1980, protagonizadas pelo ator Roberto Gómez Bolaños, que faleceu em novembro de 2014 (Ag. Telam).

Atletismo da Rússia está fora dos Jogos Olímpicos do Rio

A Federação Internacional de Atletismo (Iaaf) decidiu manter a suspensão à Federação Russa de Atletismo (Rusaf) por denúncias que apontam para um esquema sistemático de dopagem na modalidade. Isso significa que o país não poderá disputar os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro em agosto deste ano. A decisão foi anunciada durante congresso da Iaaf, em Viena.
O relatório que apontou para a decisão da suspensão indica que a federação russa não desenvolveu mudanças significativas no sistema de controle de dopagem desde quando as denúncias surgiram, em novembro de 2015. “A cultura arraigada de tolerância por doping que levou a Rusaf a ser suspensa não parece ter mudado substancialmente até a data. Ainda não foi criada uma infraestrutura antidoping forte e eficaz, capaz de detectar e combater o doping”, aponta.
O relatório também indica que a defesa não apresentou explicações suficientes sobre o assunto. “Há alegações detalhadas de que as autoridades russas, longe de apoiar o esforço antidoping, têm, de fato, orquestrado o doping sistemático e tentado encobrir resultados analíticos adversos”. A Iaaf indicou que a Federação Russa não deve ser readmitida como membro da Federação Internacional de Atletismo até que tome medidas que combatam o doping no atletismo do país (EBC).

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap