61 views 13 mins

Geral 08/04/2016

em Geral
quinta-feira, 07 de abril de 2016

Hoje, 8 de abril: Dia Mundial de Luta contra o Câncer

Hoje 2 temproario

O Dia Mundial de Luta contra o Câncer foi instituído para chamar a atenção das pessoas sobre a importância de prevenção à doença, que, a cada ano, provoca cerca de 8 milhões de mortes no mundo

Estima-se que um terço dessas mortes poderia ter sido evitada com a detecção precoce e o consequente acesso aos tratamentos existentes.
Uma das formas de proteger é saber se você tem uma chance maior do que a população no total de desenvolver a doença ou de ter o segundo tumor. Para isso, já há tecnologia disponível. É o caso dos testes genéticos onde são analisadas as síndromes de predisposição aos tipos mais frequentes e que levam ao desenvolvimento de tumores como: mama e ovário, colorretal, próstata.
“Quem possui histórico familiar e deseja saber se possui predisposição ao aparecimento de câncer deve fazer exames genéticos. Porém, mesmo aqueles que não tiveram casos na família, mas desenvolveram a doença em idade inferior a 50 anos, devem tomar os devidos cuidados. A análise genética é um avanço na identificação dessas famílias, permitindo tomar algumas medidas preventivas e até mesmo influenciar no tratamento da doença”, afirma a médica oncologista Dra. Ana Carolina Chaves de Gouvea.
A Organização Mundial da Saúde (OMS) fez uma projeção de 27 milhões de novos casos de câncer para o ano de 2030 em todo o mundo, e 17 milhões de mortes pela doença. De acordo com a OMS, os países em desenvolvimento serão os mais afetados, entre eles o Brasil. “Em casos como câncer de mama, de colo do útero, colorretal, pele, oral e alguns tipos de câncer infantil, a detecção pode ocorrer bem no início e, quanto mais cedo for detectado o tumor, maior é a chance de cura”, alerta a oncologista.
Além da prevenção, existem outros tipos de testes genéticos, que avaliam o tumor que podem auxiliar o médico na melhor proposta de tratamento, muitas vezes evitando que a paciente seja exposta de forma desnecessária à quimioterapia, poupando as pacientes consideradas de baixo risco e reduzindo impactos negativos possivelmente relacionados ao tratamento. “Medidas como estas são fundamentais, pois podem evitar a necessidade de tratamentos agressivos e oferecer às pacientes a tão esperada sobrevida com qualidade de vida”, finaliza Dra. Ana Carolina.

Projeto monitora onça em gestação em reserva florestal

Onça é monitorada em reserva do Amazonas.

Duas onças da Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá, no Amazonas, receberam colares de GPS que vão indicar a movimentação delas pela floresta. Os animais foram incluídos no Projeto Iauaretê, que faz o monitoramento da espécie. As onças foram encontradas durante trabalho de campo em janeiro e março e estavam em condições satisfatórias de saúde. Uma é preta e ganhou o nome de Django. A outra é pintada e está prenhe de dois filhotes.
A gestação de Fofa, como o animal foi chamado, mostra que a região é favorável para a reprodução da espécie, considerada vulnerável no Brasil. A descoberta vai permitir observar pela primeira vez na Amazônia o desenvolvimento dos filhotes e a movimentação da mãe nos períodos de pré e pós-parto. Segundo a bióloga do grupo de conservação de felinos do Instituto Mamirauá, Wezddy Del Toro, o projeto começou em 2008 e desde então capturou 18 onças. Cinco delas receberam o colar com GPS.
“Uma vez que o animal é capturado, a gente faz um exame clínico, vê se tem alguma doença e pega algumas amostras para futuras análises. Durante a captura é colocado um colar com GPS que fica mandando as coordenadas de onde o bicho está se movimentando. A gente recebe essa informação via satélite por e-mail e, com isso, consegue observar a movimentação dos animais e as áreas de vida que eles estão utilizando”, disse a bióloga. O trabalho de observação das onças já identificou um comportamento inusitado da espécie na região. Durante o período de cheia do Rio Solimões, toda a reserva fica alagada, mas os animais permanecem na área de várzea abrigados nas copas das árvores.
“Eles ficam na várzea, que são as florestas inundáveis, durante todo o tempo da inundação. Isso quer dizer que ficam morando nas copas das árvores entre três e cinco meses por ano, nadando de uma árvore para outra, procurando alimentos e abrigo. É um comportamento inusitado para felinos e é a primeira vez que isso é registrado”, contou Wezddy. O Projeto Iauaretê também desenvolve uma atividade de turismo de observação de onça-pintada, com o envolvimento de comunidades ribeirinhas. Além de ajudar na geração de renda dos moradores, eles aprendem a importância de preservar a espécie (ABr).

Maduro: feriado nas sextas para economizar energia

O governo de Caracas anunciou mais uma medida polêmica para lidar com a falta de energia no país. O presidente Nicolás Maduro declarou as sextas-feiras dos próximos dois meses como feriados na tentativa de poupar eletricidade. A medida, parte de um plano especial para lidar com a seca no país, começa hoje (8), e vai até 6 de junho, informou Maduro em rede nacional.
O líder chavista ainda pediu ajuda da população e disse que o país passa por uma “situação extrema”. Junto a outras medidas, o presidente espera reduzir em cerca de 20% o consumo de energia no país. Quase 70% da energia elétrica do país provêm de hidrelétricas, que estão operando com um nível mínimo de água diante de uma severa seca.
Os apagões já são comuns na Venezuela, mas a seca causada pelo El Niño nas últimas semanas está afetando ainda mais o país. Além disso, como os venezuelanos pagam muito pouco pela energia, que tem seu preço subsidiado, não existe um grande incentivo para economizar entre a população (ANSA).

Quase 30% dos jovens brasileiros consomem doce em excesso

Um em cada cinco brasileiros consome doce em excesso.

Estudo divulgado ontem (7) pelo Ministério da Saúde indica que um em cada cinco brasileiros consome doce em excesso – cinco vezes ou mais na semana. O índice é ainda maior entre os jovens: 28,5% da população entre 18 e 24 anos têm alimentação com muito açúcar. Nessa mesma faixa etária, 30% também costuma beber refrigerantes diariamente. O diabetes, segundo o levantamento, atinge atualmente 7,4% da população adulta do país, contra 5,5% registrado em 2006.
Os dados fazem parte da pesquisa Vigitel 2015. O estudo monitora fatores de risco para doenças crônicas, atualmente responsáveis por 72% das mortes no país. Foram entrevistados por telefone 54 mil adultos que vivem nas capitais brasileiras. De acordo com a pesquisa, o diabetes é mais frequente entre as mulheres (7,8%) que entre os homens (6,9%) e se torna mais comum com o avanço da idade. Entre as cidades, o Rio de Janeiro apresentou o maior índice (8,8%), seguido por Porto Alegre (8,7%) e Campo Grande (7,9%). Palmas, por sua vez, apresentou o menor índice (3,9%), seguida por São Luiz (4,4%), Boa Vista e Macapá (ambas com 4,6%).
Os números mostram também que, apesar do avanço do diabetes no país, as internações provocadas por complicações da doença diminuíram 11,5% nos últimos cinco anos. Em 2015, foram registradas 67,1 internações para cada grupo de 100 mil habitantes contra um índice de 75,9 em 2010. No ano passado, foram contabilizadas 137,4 mil internações por agravos do diabetes no Sistema Único de Saúde (SUS), a um custo de R$ 92 milhões. A mortalidade prematura (pessoas com menos de 70 anos) por diabetes, segundo o levantamento, também caiu entre 2000 e 2013. Ainda assim, o número de pessoas que morrem por causa da doença no Brasil permanece alto e fechou o ano de 2013 em 58.017 óbitos.

Safra de grãos 2015/2016 chega a 209 milhões de toneladas

A produção brasileira de grãos deve chegar ao recorde de 209 milhões de tonelada, o que representa aumento de 0,6% em relação à safra passada. Os números foram anunciados ontem (7) pelo diretor de Política Agrícola da Conab, João Marcelo Intini e pelo secretário interino de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Marcelo Cabral, em Brasília.
O grande destaque continua sendo a soja, que deve atingir 98,9 milhões de toneladas (2,9 milhões a mais do que no ciclo anterior). Isto se deve ao aumento de 3,2% da área plantada. A produção do milho primeira safra reduziu 8,5%, com estimativa de 27,5 milhões de toneladas, mas o segunda safra cresceu 4,7% e deve alcançar 57,1 milhões. No balanço total da produção de milho, verifica-se que a colheita é semelhante à da safra 2014/2015 e deve atingir 84,7 milhões de toneladas.
O feijão primeira safra recuperou a produtividade. O reflexo disso está no incremento de 62,6 mil toneladas. A produção deve chegar a um 1,2 milhão de toneladas, apesar da queda na área plantada. No caso do arroz, houve uma quebra de 10,2%. Os motivos estão na área de menor plantio e no excesso de chuvas no sul do país. Em relação à estimava do mês passado, a safra sofreu uma redução de 0,6% por causa de problemas climáticos na fase final das culturas. O principal motivo é a soja, que sofreu com a seca, sobretudo no Matopiba – região que compreende partes dos estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia (Mapa).