87 views 5 mins

O para sempre fenômeno chamado BBB

em Economia da Criatividade
quinta-feira, 08 de fevereiro de 2024

O Big Brother Brasil (BBB) é um reality show criado pelo produtor de televisão holandês John de Mol, que estreou em 1999 na Holanda. Inspirado no livro “1984” de George Orwell, o programa foi concebido como uma experiência social que colocava os participantes em uma casa vigiada por câmeras 24 horas por dia. O formato ganhou popularidade global e chegou ao Brasil em 2002, com a primeira temporada produzida pela Rede Globo. Desde então, o BBB se tornou um dos programas de maior sucesso da televisão brasileira.

O sucesso duradouro do BBB pode ser atribuído à sua capacidade de conectar-se com o público em vários níveis. Os telespectadores são atraídos pelos relacionamentos formados entre os participantes, as emoções genuínas vividas na casa, e a oportunidade de acompanhar a vida de pessoas comuns em um ambiente extraordinário. No entanto, o programa também gera controvérsia devido a questões éticas e comportamentos controversos dos participantes. A audiência do BBB é diversificada, incluindo pessoas de diferentes faixas etárias e classes sociais, e muitos assistem por entretenimento puro, enquanto outros se envolvem em discussões sobre os aspectos sociais e psicológicos do programa.

O BBB está intrinsecamente ligado ao marketing virtual, pois utiliza estratégias de engajamento nas redes sociais e interação com o público para impulsionar sua audiência. A exposição oferecida pelo programa pode tanto impulsionar quanto destruir carreiras, dependendo da maneira como os participantes são percebidos pelo público. A mídia social amplifica as ações dos participantes, podendo transformá-los em celebridades instantâneas ou expô-los a críticas e cancelamentos.

Empresas podem aproveitar a onda de popularidade do BBB para alcançar uma audiência engajada e diversificada. Patrocínios, merchandising integrado e parcerias estratégicas com participantes do programa são algumas das maneiras pelas quais as marcas podem se conectar com os telespectadores e impulsionar suas vendas. Além disso, o poder das redes sociais permite que as empresas alcancem um público mais amplo por meio de campanhas de marketing viral relacionadas ao programa.

Embora o BBB ofereça oportunidades significativas para empresas e marcas se conectarem com uma audiência vasta e engajada, também apresenta riscos consideráveis. A associação com o programa pode ser vista como oportunista ou superficial, e as empresas correm o risco de alienar parte de sua base de clientes. Além disso, o envolvimento com o BBB pode expor as marcas a críticas e controvérsias, especialmente se os valores da empresa entrarem em conflito com as ações dos participantes. Portanto, é essencial para as empresas avaliar cuidadosamente os benefícios e os riscos antes de investir em estratégias de marketing relacionadas ao BBB.

A verdade é uma só: seres humanos se conectam com seres humanos, e conceitos como o BBB oferecem uma oportunidade única de entretenimento e conexão que muitas marcas sabem monetizar. Com polemica ou sem polemica, o BBB ainda eh uma das maior e mais consistentes fontes de conexão para empresas brasileiras e internacionais no nosso mercado nacional.

 Com graduação em Arquitetura e Urbanismo, pós graduação em Administração, MBA em Empreendedorismo e Inovação, e Master in Digital Marketing, Carol Olival tem um perfil multidisciplinar e transita com segurança pelos mercados de educação, marketing, vendas e treinamento. Carol operou escolas próprias de inglês por 10 anos, e hoje é Community Outreach Director da Full Sail University, responsável pela criação e manutenção de comunidades internacionais para a universidade através da divulgação das imensas possibilidades que as carreiras na economia criativa oferecem.