234 views 4 mins

Oito dicas para encontrar fornecedores na China

em Destaques
terça-feira, 19 de abril de 2022

Segunda maior economia do mundo, a China é um dos principais aliados comerciais do Brasil. Dessa forma, muitas empresas dependem do país asiático para manter seus negócios em atividade e por esse motivo, necessitam realizar parcerias comerciais com o exterior. Diante deste cenário, torna-se fundamental localizar fornecedores na China.

Pensando nisso, a Logcomex, startup que oferece soluções Big Data e de automação para o comércio exterior, reuniu oito dicas para auxiliar empresários nessa tarefa. Confira:

  1. Participe de feiras e eventos, online e presenciais – Feiras e eventos custam caro e tomam muito tempo. Dessa forma, muitas empresas não utilizam essa maneira para validar e conhecer novos fornecedores, mesmo elas sendo excelentes oportunidades para tal. A empresa tem um contato cara a cara com o parceiro comercial, o que não é possível com visitas individuais.

Além disso, são conhecidos mais lançamentos do mercado em primeira mão. Por conta da pandemia de Covid-19, muitas feiras acabaram sendo adiadas, mas a tendência é que, com o avanço da vacinação, elas retornem pouco a pouco. Algumas das feiras da China para ficar de olho são: CWIEME Xangai; CBD Fair;
Infocom China; Cippe; CM China Maritime.

  1. Visite sites especializados e busque nas redes sociais – Sites e redes sociais são aliados muito fortes na hora de avaliar a reputação do exportador chinês. Quando falamos especialmente de portais, com certeza, o mais popular é o Alibaba. Além desses, podemos citar: TinyDeal; Gearbest; Light in the box; TBDress; Dealextreme.
  2. Contrate empresas brasileiras com filiais na China – Até alguns anos atrás era difícil contratar empresas com atuação na China, mas atualmente inúmeras já abriram suas sedes em território chinês e estão lá para prestar o serviço de “ponte”, como as tradings. Essa é uma grande facilidade para o importador.
  3. Utilize ferramentas de Big Data – Usar dados a seu favor é algo essencial. Existem diversas ferramentas Big Data para o comércio exterior que organizam informações sobre importações feitas de diversos países, incluindo a China. Eles ajudam a entender a reputação da empresa.
  4. Saiba muito bem o que você quer importar – Crie um documento contendo todas as especificações do produto procurado, como design, materiais e elementos químicos. A partir disso, procure os fornecedores certos e entenda a confiabilidade deles.
  5. Converse com o fornecedor e peça amostras – É importante, antes de fechar qualquer negócio, conversar com o fornecedor e tirar as principais dúvidas. Além disso, fazer um “teste” é importante nesse momento, já que você precisa atestar a qualidade da mercadoria antes de fechar a compra.
  6. Use técnicas de negociação com empresas chinesas – Cada país tem sua cultura e sua particularidade. Para saber negociar com empresas chinesas, existem algumas dicas que são bem importantes: Chegue exatamente sabendo o que quer;
    Pense no relacionamento a longo prazo; Não estranhe a curiosidade.
  7. Por fim, não dependa de um fornecedor único – A principal dica é: variar seus fornecedores. Encontrar dois ou três, pelo menos, é essencial para que, em caso de algum problema ou escassez. Além disso, você consegue negociar melhores preços.
    Fonte e outras informações: (https://www.logcomex.com/).