Falta de qualidade dos cursos reduz número de bolsas

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, explicou que a queda de 4% na oferta de bolsas por meio do ProUni se deve à reprovação da qualidade de 97 instituições de ensino superior, que estão sob supervisão do MEC.

“Não vamos dar bolsa onde não tem qualidade. É um investimento do estado, as instituições estão tendo isenção fiscal. Então, nós queremos que os alunos tenham a bolsa sempre com qualidade nos cursos”.
O ministro observou que, em relação ao Sisu, de concorrência para o ingresso em universidades públicas, aos participantes do Enem, ocorreu crescimento de 10% na oferta de 228 mil vagas. Cerca de 340 instituições estão sob supervisão do MEC e têm de fazer o Termo de Ajustamento de Conduta.
Isso, na prática, significa que as instituições de ensino precisam apresentar medidas mostrando que estão aptas para retomar o padrão de qualidade. Nos últimos 12 anos, segundo Mercadante, foram abertas em torno de cinco milhões de vagas no ensino superior. “O Sistema cresceu como nunca, mas tem de crescer com qualidade”, ponderou (ABr).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap