83 views 6 mins

Empresas estrangeiras de TI aumentam a procura por brasileiros

em Destaques
quarta-feira, 28 de abril de 2021

Em franco crescimento nos últimos anos, o mercado de Tecnologia da Informação (TI) tem atraído olhares de empresas estrangeiras para profissionais brasileiros. Muitas empresas que não atuavam de forma remota antes da pandemia foram obrigadas a se recriar e tornar a área parte do negócio estratégico.

Especializada em recrutamento e seleção em TI para empresas de todos os segmentos, a Icon Talent registrou em 2020 um aumento de 20% no número de vagas remotas oferecidas por empresas estrangeiras, devido à necessidade de adaptação das empresas ao isolamento social, e que deverá crescer 11% em 2021, segundo estimativa da IDC Brasil.

Fundada em 2018 em Curitiba, a empresa recruta profissionais de tecnologia de diversos estados para atuar remotamente em empresas no Brasil e no exterior. “O mercado internacional percebeu o grande potencial dos profissionais de TI no Brasil e hoje temos um aumento de vagas nas áreas de desenvolvimento e de gestão de TI.

Estas vagas são pagas em moeda estrangeira. 30% dos candidatos que nós entrevistamos têm interesse em oportunidades fora do país, seja pela oportunidade de conhecer e conviver com novas culturas ou pela melhoria de carreira e salário”, explica Janaina Lima, sócia da Icon Talent.

. E-commerce e soluções digitais – Para Christina Curcio, sócia fundadora da Icon Talent, a demanda na área de Tecnologia da Informação teve seu processo acelerado pela pandemia. “As empresas estão buscando profissionais com perfil técnico, mas que olhem e atuem com as outras áreas de negócio, trazendo soluções e inovações para as empresas”.

Segundo Christina, as áreas que tiveram um grande aumento na contratação foram as de e-commerce, soluções digitais, automação, varejo, empresas de canais omnichannel, logística, saúde, agronegócio, soluções de mobilidade, infraestrutura de TI e consultorias.

Emerson Belluomini é candidato a uma vaga internacional e conta que seu interesse surgiu como uma possibilidade de desenvolver alternativas profissionais. “Este é um mercado crescente de oportunidades, caracterizado pela demanda acentuada em muitas áreas de negócio. O modelo foi fortemente impulsionado pela consolidação no emprego de ferramentas colaborativas.

Minha expectativa é poder desenvolver diversas parcerias para poder contar com um portfólio de projetos amplo a desenvolver, de acordo com o plano de negócios de cada organização”, conta o profissional de TI.

Belluomini afirma que os processos seletivos internacionais valorizam a experiência dos profissionais, independentemente da idade ou nacionalidade. “Definitivamente, o que importa é a capacidade de entender a necessidade da organização e transformá-la em soluções suportadas por meios tecnológicos.

A experiência de participar desses processos foi gratificante por confirmar que o profissional brasileiro é valorizado pelo profissionalismo, flexibilidade, integração com as equipes e capacidade de realizar grandes entregas, mesmo não contando com muitos recursos”.

. Atenção ao currículo – Nos processos seletivos realizados para empresas do exterior, Christina recomenda atenção dos candidatos com relação ao currículo, já que os modelos utilizados no Brasil costumam não ter o detalhamento que as empresas esperam. A Icon Talent estima que, dos candidatos que aplicam seus currículos para vagas no exterior, apenas 5% apresentam um currículo mais detalhado.

“Isso vale para informações como projetos relevantes executados, maiores desafios profissionais, informações sobre a empresa em que trabalhou, como ramo e tamanho, atualização de cursos realizados e contatos de recomendações de onde atuou”, pontua.

. Língua e salários – Outro dado interessante é com relação à língua estrangeira: levantamento da empresa revela que metade dos candidatos que citam que possuem inglês avançado em seus currículos são reprovados em testes de conversação, e 15% desistem do processo ao saber da existência de entrevista em outra língua.

Segundo os recrutadores, as empresas buscam o perfil comportamental dos brasileiros, que em sua maioria são amigáveis, compreensivos e dedicados. “As vagas internacionais buscam profissionais para trabalhar 100% remoto, com salários em moeda estrangeira (a maioria em dólar), oportunidade de crescimento de carreira e muitos treinamentos.

Vagas de desenvolvimento (em todas as linguagens) e gestores de tecnologia da informação e segurança são os perfis mais procurados pelas empresas que atuam com a Icon Talent”, detalha Christina. “Tirando o frio na barriga por conta do idioma, logo depois o processo tende a ser similar a qualquer outro para uma vaga de tecnologia. Em processos passados, dependendo do tamanho da empresa, foram várias reuniões e, usualmente, as últimas são com o CEO.

O que mais me atrai, além da remuneração, é a estrutura de startup mais madura do que costumamos ver no Brasil, possibilidade de networking internacional e as equipes com mais conhecimento tecnológico”, relata o profissional Gabriel Tadeu, que vem participando de alguns processos internacionais. Fonte e mais informações: (www.icontalent.com.br).