5 dicas sustentáveis para retomar os negócios gastando menos

Muitas das empresas que estão retomando suas atividades se deparam com a necessidade de reduzir custos em setores que antes não recebiam tanta atenção. Uma pesquisa recente, realizada pelo Ibope Inteligência, revela que 89% das pessoas das classes A, B e C, com acesso à internet, mudaram seus hábitos financeiros desde que a crise por conta do novo coronavírus começou.

Essa é uma das adaptações ao “novo normal” em tempos de pandemia.
Segundo Wagner Cunha Carvalho, CEO da W-Energy, maior empresa de economia de água e energia no mundo, a sustentabilidade e a gestão financeira andam juntas para um funcionamento saudável dos negócios.
“A sustentabilidade agrega valor às empresas. Hoje elas buscam, além de economizar, fazer a diferença para o planeta com metodologias inteligentes. Isso as tornam ainda mais interessantes ao mercado de trabalho e para gerar negócios, pois melhoram sua cultura e reduzem custos, sem alterar a produtividade”, diz.

Os recursos energéticos e hídricos são os pontos mais importantes de serem lembrados quando o assunto é finanças e sustentabilidade, mas eles vão muito além disso. Veja dicas infalíveis do especialista para retomar os negócios de forma consciente e gastando menos:

1 – Economize água: Dados divulgados pela ONU dizem que cada indivíduo necessita de 3,3 mil litros de água por mês, cerca de 110 litros de água por dia para atender suas necessidades de consumo e higiene. No entanto, no Brasil, o consumo por pessoa pode ultrapassar 200 litros/dia.

Além dos hábitos já conhecidos, existem métodos inovadores que facilitam a economia de água – até de 40% a 60% na conta – como arejadores e reguladores de vazão, redutores de pressão, jet sprays e dual flush, manuais e infravermelho, que são simples e acessíveis. Além disso, faça uma inspeção a fim de checar se não há vazamentos. Vale o investimento!

2 – Economize energia: Os maiores vilões do consumo de energia elétrica em empresas são os aparelhos de ar-condicionado, as luzes acesas e, muitas vezes, a geladeira e o freezer, no caso de estabelecimentos que trabalham com produtos alimentícios. No caso dos aparelhos resfriadores, é possível estudar os picos de energia por meio de medidores e gerenciamentos específicos para que, nos horários de maior custo, haja controle e menos gastos.

Já no quesito iluminação, existe a opção de substituir lâmpadas decorativas por lâmpadas eficientes de Light Emitting Diode, muito conhecidas como LED. Em relação as dicroicas, o LED pode ser até 80% mais econômico. Desligue o maior número possível de aparelhos das tomadas, pois, mesmo na opção ‘stand by’, apresentam consumo.

3 – Mude seus hábitos: O que compramos e consumimos têm um grande impacto no meio ambiente. Todo o sistema do planeta está interligado, do desmatamento na Amazônia à produção excessiva de lixo. Até o cafezinho que tomamos precisa ser repensado.

Você já imaginou que aquela cápsula de café é um fator 14 vezes mais prejudicial ao meio ambiente do que o passado em filtro de papel? Além de ser muito mais caro. Tudo isso interfere nas más condições que enfrentamos há anos e que também devemos enfrentar daqui para frente se nada mudar.

4 – Faça parcerias produtivas: O que antes funcionava como padrão, hoje pode não fazer mais sentido. Estar atento às novas possibilidades é uma habilidade essencial para as empresas. Isso vai da venda de um produto à execução de um serviço. A parceria com outras empresas ou pessoas pode otimizar a produtividade e a agilidade dos negócios, gerando menos custos e mais lucro.

Uma ideia interessante é dividir a lucratividade de acordo com a performance do parceiro, estimular o setor, ajudar a torná-lo mais conhecido, e assim gerar uma rede de apoio entre aqueles que exercem funções semelhantes. Quem pensa diferente sai na frente.

5 – Se divirta para criar: Depois de passar por diversas experiências profissionais em minha vida, algumas delas maçantes e frustrantes, acreditei no meu propósito, que é ajudar a salvar o planeta. Percorri todos os continentes do mundo, salvo a Oceania, estudando formas de prolongar a vida na Terra. Nessas viagens conheci empresas com culturas organizacionais totalmente diferentes do que estava acostumado a encontrar no Brasil.

Hoje ofereço aos colaboradores muitas opções de entretenimento como o uso de videogames, tênis de mesa, eventos com a família, café da manhã e lanche da tarde, academia, área de descompressão com poltronas confortáveis, poker, drone e até mesmo um salão de beleza, tudo seguindo as recomendações de higiene adaptadas à nova realidade.
Com isso, a rotatividade de funcionários reduziu 80%, o engajamento aumentou e consigo manter os talentos, a criatividade e as novas ideias sempre “borbulhando”.

Fonte e mais informações: (www.wenergy.com.br).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap