Contato: (11) 3043-4171

“O Corcunda Quaquá” encerra temporada

Cena do espetáculo O Corcunda Quaquá.

O espetáculo para crianças “O Corcunda Quaquá” encerra sua temporada este fim de semana

A montagem foi inspirada no livro O Corcunda de Notre-Dame, do francês Victor Hugo (1802-1830). O enredo conta a estória de Quaquá, um rapaz feio e corcunda que se revela doce e carismático, além de corajoso na hora de salvar a bela dançarina Esmeralda. “O Corcunda Quaquá” é uma comédia recheada de músicas originais com formado por Joca Andreazza, Paulo Vasconcelos, Carlos Baldim, Dani Nega, Carmo Murano e Vitor Bassi. Esta versão de Ricar do Ripa preserva uma importante característica da obra original: a deficiência auditiva do personagem principal (Quasímodo) que fala de modo peculiar e se comunica também por meio da linguagem de sinais (Libras) - fato não retratado na maioria dos filmes, animações e adaptações teatrais conhecidas.

Serviço: Teatro Viradalata, R. Apinajés, 1387. Sumaré, tel. 3868-2535. Sábado (04) e domingo (05) às 12h. Ingressos: R$ 15 e R$ 7,50 (meia) (sábado) e R$ 30 e R$ 15 (meia) (domingo).

 

REFLEXÃO

O MUNDO DOS “SEM”...  Analisando a concepção que, infelizmente, muitos confrades espíritas continuam tendo sobre a Vida além da morte, não posso deixar de chegar à conclusão de que o Mundo Espiritual é o mundo dos “sem”... Dos sem corpo e sem teto... Dos sem fome e sem sede... Dos sem roupa e sem sexo... Dos sem necessidades fisiológicas... Dos sem trabalho e sem escola... Enfim, dos sem compromisso algum!... Sim, porque, segundo a equivocada ideia de certos adeptos da Doutrina, deste Outro Lado, o homem que desencarna não mais precisa de casa, não mais sente fome e sede, não mais carece de vestuário para lhe ocultar as partes pudendas, que ele, igualmente, não tem mais, não necessitando ainda de trabalhar e estudar... Realmente, um Mundo vazio de iniciativa e, portanto, inexistente. Um Mundo completamente avesso ao orbe terrestre, e que, assim sendo, não poderia, em nenhum aspecto, servir de matriz para ele – quer do ponto de vista cultural, quer do ponto de vista social! Enquanto a Terra seria o mundo dos “com”, o Mundo Espiritual seria o mundo dos “sem”... Dos sem sonhos e sem aspirações... Dos sem tristeza e sem alegria... Dos sem vontade e sem desejo... Dos que apenas viveriam na expectativa de, um dia, voltar ao Mundo dos “com”!... Que Mundo Espiritual mais sem graça, e... sem lógica esse! Ele, então, de fato, não mais seria humano, mas, sim, super-humano! Mas, como?! A desencarnação, por si só, seria capaz de promover criaturas falíveis a seres angelicais?! Claro que o Mundo Espiritual Superior deve ser mesmo o mundo dos “sem”... Dos sem preconceitos... Dos sem fanatismo... Dos sem ignorância... Todavia, o Mundo Espiritual imediato, em suas muitas esferas, ainda é o mundo dos “com”... Dos comprometimentos cármicos... Dos comparsas no crime... Dos compadrios desonestos... Dos cometimentos injustos... Dos comércios clandestinos... Sem que o espírita modifique a sua visão do Mundo Espiritual, por mais se esforce, ele não conseguirá, a partir da própria Terra, apreender a abrangência da Vida. Por este motivo, temos repetido à saciedade: Espírito é gente! Mundo Espiritual é planeta! O corpo carnal também é “perispírito”! O perispírito, igualmente, é “corpo carnal”! Ouça o que tenha ouvidos de ouvir... Mas, sobretudo, o que não tenha medo da Verdade!...
 Inácio Ferreira/Carlos A. Baccelli

Minions

minions temporario

Os personagens do o filme Meu Malvado Favorito 2 invadem o shopping a fim de divertir a criançada em três espaços distintos.

Serviço: Shopping Pátio Higienópolis, Av. Higienópolis, 618, Higienópolis. De segunda a domingo das 12h às 20h. Entrada franca. Até 12/07.

Estreia

Teatro da Vertigem estreia espetáculo “O Filho”, inspirado em Kafka. O Filho, que tem direção de Eliana Monteiro, dramaturgia de Alexandre Dal Farra, com elenco composto por Antônio Petrin, Mawusi Tulani, Paula Klein, Rafael Lozano e Sergio Pardal faz parte da Ocupação Karta ao Pai, que acontecerá a partir do dia 2 de julho. O Filho adentra o universo da família e exprime a debilidade de seus vínculos. É nesse contexto que a vida de Bruno, protagonista da história, é atravessada pelas relações com seu pai, sua mãe, mulheres e filhos.

Serviço: Sesc Pompeia, R. Clélia, 93, tel. 3871-7700. De quinta a sábado às 19h30, domingos às 18h30. Ingressos: R$ 40 e R$ 20 (meia). Até 09/08.

Clássicos

Desde 1989 o Creeedence Show se apresenta tocando os classicos da banda liderada pelo vocalista e guitarrista John Fogerty. Um dos grandes diferenciais i harmonia musical juntamente com o visual em shows, tocando os grandes sucessos de Creedence e pedidos de fcs no show Creedence Show Rockstage. Com Fabio (vocal e guitarra), Grecco Rockstage (vocal e baixo), Maya (guitarra e vocal), Fernando Vinhas(teclados) e Luis Lobco (bateria e vocal).

Servigo: Teatro UMC, Av. Imperatriz Leopoldina, 550 (Vila Leopoldina, tel. 2574-7749. Sabado (04) às 21h. Ingresso: R$ 35.

Obra da exposição Imaterialidade

A mostra de arte contemporânea Imaterialidade traz diferentes artistas cujos trabalhos evocam a desmaterialização, a sublimação da matéria, ou, artistas que têm o impalpável como elemento principal do trabalho, som, luz, ar, palavra. A exposição é composta por 22 obras, assinadas por 10 artistas brasileiros - Brígida Baltar, Carlito Carvalhosa, Fabiana de Barros & Michel Favre, José Damasceno, Laura Vinci, Marcius Galan, Marcos Chaves, Paola Junqueira, Paulo Vivacqua e Waltercio Caldas e oito artistas de outras nacionalidades, Anthony McCall (Inglaterra), Ben Vautier (Itália), Bruce Nauman (EUA), Ceal Floyer (Paquistão) François Morellet (França), James Turrell (EUA), Keith Sonnier (EUA) e Ryan Gander (Inglaterra).

Serviço: Sesc Belenzinho, R. Padre Adelino, 1000, Belém, tel. 2076-9700. De terça a sábado das 10h às 21h e aos domingos das 10h às 19h30. Entrada franca. Até 27/09.

Cartazes

Workshop da exposição “Ponto de Vista, Coleção Rico Lins de Cartazes Contemporâneos” acontece em sintonia com a exposição “Ponto de Vista - Coleção Rico Lins de Cartazes Contemporâneos” e tem como ponto de partida um fato da atualidade. Os participantes vão criar cartazes utilizando a força expressiva dos materiais que compõem o cotidiano, tais como referências retiradas da mídia imprensa e até de elementos simples como: bilhetes de metrô, embalagens, bulas e panfletos, entre outros. A inscrição é gratuita. Com mais de 40 peças internacionais, a mostra apresenta peças oriundas de países como França, Áustria, Alemanha, Polônia, Cuba, Suíça, EUA, Itália, Espanha e Holanda. São obras de autores consagrados e resultado de um minucioso trabalho iniciado em 1979, quando Rico Lins entrou em contato com o cartazismo.

Serviço: Caixa Cultural São Paulo, Praça da Sé, 111, Centro, tel. 3321-4400. Sábado (04) às 11h. Entrada franca.


Rua Vergueiro, 2949, 12º andar – cjto 121/122
04101-300 – Vila Mariana – São Paulo - SP

Contato: (11) 3043-4171