ISSN: 2595-8410 Contato: (11) 3043-4171

Prisão

Mojäísk, Rússica.

A exposição “Entre Parênteses”, jovens na prisão conta com 25 fotografias originais de Sluban feitas entre os anos de 1995 e 2005, em centros de detenção para jovens na França, Rússia e em cidades do Leste Europeu. O primeiro projeto surgiu na prisão francesa de Fleury-Mérogis e contou com o apoio de renomados fotógrafos, como Henri Cartier-Bresson, Marc Riboud e William Klein, inspirando Sluban a continuar o intenso trabalho com os adolescentes em outros países.

Serviço: Biblioteca Mário de Andrade, R. da Consolação, 94, Consolação, tel. 3775-0002. De segunda a sexta das 8h às 20h30 e sábados das 10h às 17h. Entrada franca. Até 03/10.

REFLEXÃO

NOS CAMINHOS DA FÉ

“Portanto, todo aquele que me confessar diante dos homens, também eu o confessarei diante de meu Pai que está nos Céus”. - Jesus (Mateus, 10:32) No mundo, de modo geral, habituamo-nos a julgar que os testemunhos de fé prevalecem tão só nos momentos de angústia superlativa, quando o sofrimento nos transforma em alvo de atenções públicas. Evidentemente, na Terra, as crises de aflição alcançam a todos, cada qual no tempo devido, segundo as lutas regeneradoras que se nos façam necessárias, no curso das quais estamos impelidos a entregar todas as energias de nosso espírito nos atos de fé. Entretanto, é preciso ponderar que somos incessantemente chamados a prestar o depoimento de confiança em Jesus, através de reduzidas parcelas de bondade e tolerância, compreensão e paciência diante das ocorrências desagradáveis do cotidiano, tais quais sejam: a referência desprimorosa; o olhar de suspeição; o pedido justo recusado; o beliscão da crítica; a desatenção e o desrespeito; o desajuste orgânico; o prejuízo inesperado; a transação infeliz; o desafio da discórdia. Impõe-se-nos a obrigação de confessar-nos seguidores do Cristo, por intermédio de definições verbais claras e sinceras, mas somos igualmente convidados a fazê-lo, na superação dos aborrecimentos comuns, porquanto só atravessando as diminutas contrariedades do dia-a-dia, como grandes ocasiões de revelar confiança em Jesus, é que aprenderemos a suportar as grandes provações como se fossem pequenas.

(De Segue-me de Francisco Cândido Xavier, pelo Espírito Emmanuel).

Prorrogada

Cena do espetáculo Orgia ou de Como os Corpos Podem Substituir as Ideias.

O espetáculo “Orgia ou de Como os Corpos Podem Substituir as Ideias” prorroga temporada até 30 de agosto. Com direção de Luiz Fernando Marques, do Grupo XIX, a segunda montagem do Teatro Kunyn é inspirada no livro Orgia: Os Diários de Tulio Carella, Recife 1960. O elenco, formado por Ronaldo Serruya, Paulo Arcuri e Luiz Gustavo Jahjah, tem o apoio de mais outros 10 atores que foram escolhidos por meio de uma oficina. Montagem se apresenta como um grande percurso pelo Parque Trianon, onde a plateia é convidada para um passeio pelo parque e munida de aparelhos de MP3 faz uma jornada sensorial. Dividido em três atos, o espetáculo, encenado apenas para 21 pessoas por sessão, se apresenta para a plateia como um grande percurso, um jogo, que ela percorrerá ora sozinha, ora acompanhada, ora conduzida pelo atores, ora deixando-se levar por sua própria intuição e coragem.

Serviço: Parque Trianon, R. Peixoto Gomide, tel. 94151-3055. De sexta a domingo às 15h. É necessário fazer reserva por telefone. Entrada franca. Até 30/08.

Dança

Premiada bailarina, atriz, coreógrafa e diretora da Cia Mariana Muniz de Teatro e Dança comemora quatro décadas de palco em 2015. Como parte da celebração, ela inaugura a exposição Trajetória(s). Além da mostra, Mariana também apresenta o espetáculo 2 Mundos (dia 13), solo de 2012. O solo é um projeto de Dança-Teatro inspirado no universo da cultura surda. Concebido e realizado pela criadora e intérprete Mariana Muniz, com direção de Cláudio Gimenez e sob a supervisão geral do diretor Eduardo Tolentino de Araújo. Inspirado pelo diálogo entre a LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais), o silêncio e as intersecções entre movimento e palavra, o espetáculo pesquisa a comunicação através do corpo-voz, dirigida ao público de ouvintes e não-ouvintes.

Serviço: Centro de Referência de dança (Galeria Formosa), Baixos do Viaduto do Chá s.n., Centro, tel. 3214.3249. De terça a sexta das 10h às 21h, sábados e domingos das 16h às 20h. Espetáculo 2 Mundos: Quinta (13) às 21h. Entrada franca. Até 30/08.

Serestas

Trovadores Urbanos

Os Trovadores Urbanos, homenageiam o saudoso sambista Adoniran Barbosa (1910-1982)O repertório conta com os principais sucessos do compositor, como “Trem das Onze”, “Saudosa Maloca”, “Samba do Arnesto” e “Iracema”. Considerado pai do samba paulista, João Rubinato, mais conhecido como Adoniran Barbosa, ficou famoso pelas composições irreverentes, que retratavam a vida e a oralidade dos moradores, filhos de imigrantes italianos, do Bixiga. Se estivesse vivo, o músico completaria hoje 105 anos.

Serviço: Casa dos Trovadores Urbanos, R. Aimberê, 651, P erdizes. Sextas às 20h. Entrada franca. Até 28/08.

Queda

Em “Poema Suspenso Para Cidade Em Queda” uma pessoa cai do topo de um prédio e não chega ao chão. Os anos passam e este corpo não consuma a queda. A partir daí, a vida das pessoas nos apartamentos desse edifício fica presa numa espécie de buraco negro pessoal, onde cada um vive uma experiência que não finaliza. No palco, os atores Verônica Gentilin, Virginia Iglesias, Lucas Bêda, Marcos Felipe e Mariza Junqueira ficam em um andaime de cerca de quatro metros, simbolizando o prédio. Em cada um dos nichos-apartamentos, uma história diferente se desenrola sem ligação aparente entre si.

Serviço: Sesc Santo Amaro, R. Amador Bueno, 505, Santo Amaro, tel. 5541-4000. De quinta a sábado às 21h e domingos às 19h. Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia).Até 30/08.

Amor e ódio

“Santo Cristo, Faroeste Caboclo” é uma história de amor e ódio que provavelmente você já ouviu antes. “Não tinha medo o tal João de Santo Cristo”, é assim que começa a saga do jovem Santo Cristo: um homem justo e bandido que tem o desejo de ir à Brasília. No caminho encontra parentes, faz inimigos e conhece sua amada, Maria Lúcia, uma menina linda cujo o coração prometeu. Toda essa história você já conhece, só que agora ela será contada nos palcos do teatro, numa montagem espetacular que vai te emocionar a cada passagem. Com Bárbara Leone, Dani Lavorenti, Henrique Sanchez, Katia Bocalon, Leandro Souza, Miriam Costa Ribeiro e Rafael Adler.

Serviço: Teatro UMC, Av. Imperatriz Leopoldina, 550, Vila Leopoldina, tel. 2574-7749. Quartas às 20h30. Ingresso: R$ 40. Até 26/08.



Rua Vergueiro, 2949, 12º andar – cjto 121/122
04101-300 – Vila Mariana – São Paulo - SP

Contato: (11) 3043-4171