73 views 2 mins

University of Texas muda estrutura em função de inteligência artificial

em Tecnologia
quarta-feira, 07 de fevereiro de 2024

À medida em que a inteligência artificial chega às organizações, aumenta a demanda por profissionais preparados para atuar na área.

Vivaldo José Breternitz (*)

Como resultado, as escolas são desafiadas a adaptar-se a essa demanda, tendo recentemente a University of Texas at San Antonio (UTSA) anunciado a criação de uma nova faculdade.

Essa unidade será voltada à inteligência artificial, segurança cibernética, computação, ciência de dados e outras disciplinas voltadas à inovação em um cenário em rápida evolução.

Segundo Heather Shipley, atual “Interim Provost“ (algo como reitora interina) da UTSA, “essa iniciativa é motivada pelo nosso compromisso de promover a inovação, avançar na pesquisa e oferecer excelência educacional”.

Atualmente, os programas de graduação nessas áreas estão espalhados por quatro faculdades da UTSA; a nova faculdade reunirá todos os cursos visando promover a colaboração cruzada e atender melhor às necessidades acadêmicas.

Desde 2019, quando inteligência artificial passou a ocupar as manchetes, o número de estudantes matriculados na UTSA em programas de graduação relacionados com a mesma e com cibernética, computação e ciência de dados subiu 31%, chegando agora a seis mil.

A convergência de inteligência artificial, ciência de dados, computação e segurança cibernética pode levar à quinta revolução industrial, e a UTSA deseja formar pessoal preparado para essa realidade, disse o presidente da Universidade, Taylor Eighmy.

O anúncio da criação da faculdade menciona a existência de aproximadamente 3,5 milhões de vagas abertas na área, e a inteligência artificial forçará as instituições de ensino a reavaliar seus cursos e mesmo a forma como implementarão essa tecnologia e as a ela ligadas em seus currículos.

Recentemente a Arizona State University anunciou uma parceria com a OpenAI, tornando-se a primeira instituição de ensino superior a formalmente implementar o ChatGPT Enterprise em seus cursos.

(*) Doutor em Ciências pela Universidade de São Paulo, é professor da FATEC SP, consultor e diretor do Fórum Brasileiro de Internet das Coisas – [email protected].