Tecnologia 01/06/2016

Dados: sua arma secreta contra a fraude

Imagine a seguinte cena: uma pessoa entra no seu negócio com um grande casaco, demonstra um comportamento duvidoso enquanto caminha pelo estabelecimento, escolhe produtos aleatórios e passa um longo tempo no provador. Quando a loja é física, existem diversos sinais que indicam se o cliente está tentando te enganar

ONDV Foto  temproario
  • Save

Jean Christian Mies (*)

Enquanto estes indicadores visuais são ótimos alertas para identificar pessoas desonestas no mundo real, o que acontece quando não se tem acesso a estas pistas?
No passado, varejistas online não tinham uma visão clara dos fraudadores virtuais, mas com o avanço de tecnologias de gestão de risco, cresceu também a precisão das informações para identificar e combater fraudes. Estes insights são fundamentais na criação de perfis de consumidores para orientar a tomada de decisões no gerenciamento de risco.

O desafio, contudo, é encontrar o equilíbrio perfeito entre proteção eficiente e aprovação de transações legítimas. Alcançar esta tênue linha já é possível com ferramentas de gerenciamento de risco que se baseiam em processamento de dados e uma estratégia inteligente de pagamentos.

Identifique os seus fraudadores
Encontrar fraudadores online tem se tornado excepcionalmente complexo. Já não é mais eficiente se apoiar apenas na identificação de um dispositivo ou em encontrar um endereço de IP para saber quem está por trás de uma compra. Você pode cruzar informações sobre transações – como número de cartões, digital fingerprinting, endereço de e-mail, hora e data, endereço de IP e dedos específicos do mercado de atuação do empreendimento – para construir uma visão 360o do comportamento tanto dos fraudadores, quanto dos compradores legítimos.

Por exemplo, se você encontra um endereço de e-mail associado com 50 cartões diferentes, é bastante provável que essa transação seja uma fraude. Isoladamente, nenhum destes atributos constitui uma fraude, mas juntos se tornam pistas eficientes sobre as transações, redes e pessoas, até chegar em um ponto em que você pode identificar e bloquear fraudes ao mesmo tempo em que aumenta as taxas de aprovação de clientes reais.

Identifique comportamentos suspeitos na hora do checkout
Imagine um comprador demonstrando algum nervosismo ou escolhendo constantemente itens sem nenhum interesse específico. No mundo virtual, fraudadores online também exibem comportamentos suspeitos fáceis de identificar. Por isso, na hora de prevenir ataques bot*,um controle hiperespecífico será sua melhor saída. Seja contando o número de caracteres digitados, observando os movimentos do cursor ou a velocidade de interação, existem alguns fatores específicos que apontam se o comprador é uma pessoa ou um robô.

Reconhecer e entender estes fatores significa que você pode detectar testes de cartão e outros métodos de ataque de alta velocidade e bloqueá-los, sem prejudicar seus clientes. Hoje, é possível até encaminhar bots para um checkout falso, fazendo o fraudador perder tempo e recursos.

Monitorar e adaptar constantemente
Empresas que expandem para novos mercados ou que lançam novos produtos constantemente precisam ter em mente que uma regra que funciona hoje, pode ser insuficiente amanhã. Quando se trata de gerenciamento de riscos, encare os dados como o seu maior aliado. Com eles, você pode ajustar suas regras de risco de acordo com tendências baseadas no seu histórico de transações. Os fraudadores tentarão continuamente enganar o seu sistema e, por isso, você precisa monitorar e se adaptar constantemente para identificar e combater potenciais riscos ainda desconhecidos.

A melhor abordagem para a fraude sempre será encontrar um equilíbrio entre muita e pouca proteção. Usando essas ferramentas de maneira estratégica, você pode alavancar sua taxa de autorização, diminuir os chargebacks e, consequentemente, gerar mais receita.

(*) Bot, diminutivo de robot, são aplicações de software criadas para simular ações humanas repetidas vezes de maneira padrão.

(*) É vice-presidente da Adyen para a América Latina.

Plataforma de serviços bancários digitais

A Unisys Corporation (NYSE: UIS) anuncia colaboração com a Sandstone Technology e a Payment Card Technologies (PCT) para o lançamento da plataforma de digital banking USP (Unisys, Sandstone e PCT). A nova solução foi desenvolvida para auxiliar as instituições financeiras a atenderem às necessidades de inovação de seus clientes, fornecendo serviços bancários digitais seguros, por meio de diversas plataformas, incluindo dispositivos móveis, tablets e navegadores de Internet.
A parceria entrega de forma simples soluções de ponta da Unisys, Sandstone Technology e PCT. A plataforma USP pode ser implementada em organizações entrantes no mercado ou em instituições financeiras já estabelecidas, com a capacidade de proporcionar uma experiência digital em múltiplos canais, incluindo a geração de crédito imobiliário, empréstimos e contas poupança e corrente, em uma solução econômica. A plataforma fornece biometria adaptável integrada e análise de dados para identificar os clientes com segurança e validar transações, com a finalidade de reduzir fraudes e aprimorar a experiência do usuário.
A plataforma digital para bancos pode ser fornecida no modelo como serviço (PaaS) a partir de uma nuvem pública ou privada e também como uma solução on-premise (no local). Ambas as opões são protegidas pelo Stealth™, que utiliza técnicas de microssegmentação baseada em identidade e criptografia, auxiliando na redução de ataques cibernéticos dentro ou fora da organização, ao deixar dispositivos, dados e usuários finais indetectáveis nas redes.
Eric Crabtree, diretor global de Financial Services da Unisys explica que “o desafio de hoje para muitos bancos e instituições financeiras é como ser relevante e estar em dia com as necessidades de inovação dos clientes. As novas gerações querem uma nova experiência bancária e preferem utilizar smartphones e Internet, em vez do banco físico tradicional”.

Plataforma em nuvem para gerenciamento de serviços em campo

1460457957281 temproario
  • Save

A ClickSoftware, líder no fornecimento de soluções para a gestão automatizada e otimização da força de trabalho e serviços em campo, anuncia o lançamento do novo “Click Field Service Edge”, plataforma de gerenciamento de força de trabalho, baseada em nuvem, projetada para atender as necessidades das prestadoras de serviços em campo.
A adoção da nuvem mais que duplicou nos últimos dois anos e, com isso, as soluções baseadas nesta tecnologia consolidaram-se no mundo dos negócios. Visando trazer benefícios para as empresas de serviço em campo, a ClickSoftware – pioneira no desenvolvimento de software SaaS baseado em nuvem – passa a oferecer este gerenciamento de serviço em campo de maneira totalmente inovadora. Com inteligência artificial patenteada, o novo Click Field Service Edge conecta as empresas por meio de ferramentas inteligentes e automatizadas, que oferecem visão em tempo real, agilizando a tomada de decisão. Desta forma, a plataforma proporciona um novo nível de produtividade e eficiência para o desempenho da força de trabalho em campo.
“Como uma empresa que tem gerenciado de forma bem sucedida bilhões de contratos e, desde sua criação, foca-se exclusivamente em prover tecnologia para serviços em campo, sabemos o que é preciso para ajudar nossos clientes a estarem sempre um passo à frente, e não apenas acompanhando as demandas de mercado”, diz Tom Heiser, CEO da ClickSoftware. “Projetamos o Click Field Service Edge para ajudar as empresas a prepararem-se para o futuro, transformando suas operações de reativas para preditivas”, complementa o executivo (http://www.clicksoftware.com/click-field-service-edge).

Transforme aprendizado em performance

Luiz Alexandre Castanha (*)

De nada adianta um ensinamento se ele não for colocado em prática

Visto assim, a colocação pode parecer um pouco cruel, mas é a mais pura verdade. Infelizmente é comum participarmos de cursos ou palestras, ter contato com novos conhecimentos mas, em pouco tempo, esquecer boa parte do que foi discutido. Como podemos cobrar então dos nossos funcionários que memorizem todo o importante conteúdo que passamos durante workshops, palestras ou treinamentos corporativos? Para que esse conhecimento não se perca e passe a fazer parte da rotina do profissional, é preciso investir nas estratégias para o durante e o pós-treinamento.
O esquecimento não é preguiça ou falta de empenho. Na verdade nosso cérebro foi formatado para ter esta capacidade. Biologicamente, seria inviável lembrar de tudo o que aprendemos por toda vida, então o cérebro vai apagando boa parte dos estímulos que recebe. De acordo com o neurocientista cognitivo Art Kohn, 70% do que é aprendido em um dia de treinamento desaparece da nossa cabeça em 24 horas. Já o neurocientista Ivan Izquierdo afirma que 99% das informações que vão para a memória acabam sumindo alguns segundos ou minutos depois. Sem esta função, seríamos incapazes de ter foco nas atividades do nosso dia-a-dia. No nosso trabalho, acontece o mesmo: somos diariamente bombardeados com informações novas e, a maioria, será esquecida para que consigamos focar na realização correta do nosso trabalho.
O ponto chave aqui é como fazer com que o aprendizado não seja esquecido e, uma vez dentro da nossa cabeça, passe a melhorar a performance do profissional. Essa é uma preocupação dos desenvolvedores de talento do mundo todo. Uma recente pesquisa realizada pela ATD Research, em parceria com a plataforma de conhecimentos Lynda.com, perguntou para representantes de 1.373 organizações no mundo quais são os principais tópicos do seu trabalho no próximo ano. Dois terços dos entrevistados respondeu que “linkar o aprendizado à performance do profissional” é sua principal meta a ser atingida. Profissionais de todos os países entrevistados colocaram este objetivo em primeiro lugar.
Existem técnicas que podem ser utilizadas para conseguir aumentar o real aproveitamento dos momentos de aprendizagem nas organizações. Uma regra de ouro é não considerar o treinamento como um processo simples de acréscimos, ignorando o conhecimento que os colaboradores já possuem. Construa links entre o novo conhecimento e aquilo que já acontece na rotina da empresa. Entenda o que seus colaboradores sabem sobre o assunto e utilize o conhecimento que eles já têm para aprender, memorizar e conseguir colocar em prática o que é novo. Um conhecimento totalmente novo, disassociado do que ele já possui, fatalmente fará parte dos 70% que esquecemos em um dia.
É preciso criar experiências, pedir feedbacks e atrair o colaborador com conteúdos apresentados de modo interessante. Para isso, a tecnologia é uma grande aliada. Utilizando técnicas como mobile learning, realidade virtual ou realidade aumentada podemos criar estímulos empolgantes para o profissional, mas sem tirá-lo completamente do seu ambiente de trabalho. Dessa forma unimos o novo com o que ele já conhece, facilitando a transformação de conhecimento em experiência. Uma sugestão seria utilizar a realidade virtual para criar simulações de situações críticas dentro do ambiente de trabalho, usar a realidade aumentada para reforçar pontos já explicados no virtual, mas mantendo o colaborador no ambiente real, e pedir um feedback sobre como estão esses conhecimentos e como ele avalia o treinamento através do mobile learning, que consiste no uso dos smartphones para o aprendizado.
Apensar dos bons resultados, não podemos considerar a adoção da tecnologia como única “salvação” para o desenvolvimento de talentos. É preciso integrá-la com um ambiente empresarial que incentiva o aprendizado e uma estrutura de trabalho que permita e estimule a utilização do novo dentro da rotina já estabelecida.
Não existe um resultado real se não houver uma mensuração. Determinadas áreas tem seus KPI’s facilmente determinados, como a quantidade de vendas ou economia de algum recurso. Para os treinamentos corporativos é necessário que haja uma avaliação constante do quanto o funcionário aprendeu, de como ele está aplicando isso no seu desempenho profissional e qual avaliação ele dá para o treinamento em si. São processos complexos, mas que garantem que o aprendizado esteja se transformando em performance e lucratividade para a empresa. O sucesso dos seus treinamentos será traduzido em profissionais mais experientes, motivados e engajados com sua empresa.

(*) É administrador de Empresas, Pós-Graduado em Marketing com especialização em Gestão de Conhecimento e Storytelling aplicado a Educação.

 
 
 
 
 
 
 
 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap