Microsoft também exige que seus funcionários sejam vacinados

Vivaldo José Breternitz (*)

A Microsoft é mais uma das grandes empresas de tecnologia a afirmar que exigirá prova de vacinação para funcionários e outras pessoas que pretendem entrar em suas instalações nos Estados Unidos. A gigante da tecnologia também mudou a data de reabertura de seus escritórios de 7 de setembro para 4 de outubro, seguindo movimentos semelhantes feitos por Apple e Google.

Esses movimentos ocorrem em um momento em que a variante Delta, altamente contagiosa da covid-19, espalha-se globalmente, especialmente entre os não vacinados. Por meio de um porta-voz, a empresa disse que “como temos feito desde o início da pandemia, continuamos acompanhando os acontecimentos de perto e adaptando nossos planos à medida que a situação evolui, mantendo a saúde e a segurança dos funcionários em primeiro lugar”.

Disse também que “a partir de setembro, também exigiremos comprovante de vacinação para todos os funcionários, fornecedores e outras pessoas que entrarem nos prédios da Microsoft nos Estados Unidos”. A empresa definirá processos para tratar casos de funcionários que tenham alguma condição médica ou outro fator relevante que os impeça de serem vacinados.

Já aqueles que tem sob seus cuidados pessoas imunossuprimidas ou crianças muito novas para serem vacinadas, poderão continuar a trabalhar em casa até janeiro. As medidas anunciadas por essas empresas sinalizam novas pressões que deverão ser enfrentadas por aqueles que não pretendem ser vacinados, e que provavelmente chegarão às demissões.

(*) – Doutor em Ciências pela USP, é professor da Faculdade de Computação e Informática da Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap