112 views 2 mins

Mais problemas para viagens a Marte

em Tecnologia
terça-feira, 02 de julho de 2024

Tanto a NASA quanto a SpaceX esperam um dia enviar seres humanos a Marte. O CEO da SpaceX, Elon Musk, já falou sobre seus planos para colonizar o Planeta Vermelho, e a NASA disse que possivelmente enviaria uma missão tripulada ao planeta na década de 2030.

Vivaldo José Breternitz (*)

Evidentemente, há muitos obstáculos a serem superados antes de que esses planos se concretizem – o primeiro deles é a distância: Marte está a aproximadamente 225 milhões de quilômetros da Terra, e os cientistas estimam uma viagem até ele demoraria cerca de seis meses, com a tecnologia espacial atual.

Agora, surge outro obstáculo: segundo estudos publicados na revista Nature Communications, longas viagens espaciais poderiam causar danos irreversíveis aos rins dos astronautas. Esses estudos consideraram dados coletados em cerca de 40 missões espaciais envolvendo humanos e camundongos. Esses dados revelaram que os rins são prejudicados após menos de um mês no espaço, afetados por radiação e gerando insuficiência renal.

Além disso, os rins são muito lentos para mostrar os danos causados pela radiação, significando que, mesmo com check-ups de rotina, os astronautas podem não ter os problemas em seus rins detectados a tempo.

Há outro problema relacionado à saúde dos astronautas: pesquisas recentes mostraram que apenas três dias no espaço são suficientes para causar declínio cognitivo.

Os autores dos estudos dizem que ainda não há existem maneiras de proteger os rins da radiação cósmica, mas esperam que no futuro sejam desenvolvidas soluções tecnológicas ou farmacológicas que possam ajudar a viabilizar viagens espaciais muito longas, como deverão ser as missões tripuladas a Marte.

(*) Doutor em Ciências pela Universidade de São Paulo, é professor da FATEC SP, consultor e diretor do Fórum Brasileiro de Internet das Coisas – [email protected].