64 views 5 mins

Como se proteger de fraudes financeiras no carnaval

em Tecnologia
terça-feira, 06 de fevereiro de 2024

Para a multidão de foliões que está se preparando para participar dos blocos de rua durante o carnaval, a escolha da fantasia está longe de ser a única preocupação. Nos dias que antecedem a folia, tem muita gente pensando em segurança: como proteger o celular? Como pagar a água e a cerveja no bloquinho? Quais são os principais golpes e como evitá-los? E essa não é uma preocupação trivial. A aglomeração e a distração durante a festa facilitam o roubo de cartões, celulares e diversos tipos de golpe.

O head de cibersegurança do C6 Bank, José Luiz Santana, dá dicas sobre como minimizar o risco de sofrer algum prejuízo financeiro nesta época de comemorações.

Reduza seus limites de transações bancárias
Antes de sair para a folia, reduza seus limites para transações bancárias como Pix, transferências e saques no aplicativo do seu banco. O ideal é ajustar os limites diário e noturno de transações com Pix para o menor valor possível, de acordo com seus gastos nesses dias.

No app do C6 Bank, por exemplo, é possível definir limites diferentes para transferências realizadas para pessoas, empresas e contatos considerados seguros –valores que podem variar nos períodos diurno e noturno. Também é possível ativar a função Locais Seguros, que permite reduzir os limites das transferências feitas fora dos endereços cadastrados como seguros.

Utilize os recursos de segurança do seu banco
Conheça e comece a utilizar outros recursos de segurança oferecidos pelo seu banco. No C6 Bank, a ferramenta Locais Seguros permite escolher os endereços em que suas informações de investimento podem aparecer na tela do aplicativo. Fora desses locais, a carteira aparecerá zerada e não será possível resgatar as aplicações.

Proteja seu cartão
Proteja seu cartão para não cair no golpe da maquininha. Na hora de pagar com cartão, é fundamental acompanhar todas as etapas do processo: verifique o valor da compra no visor da maquininha e, caso precise digitar a senha, faça com cuidado para que ninguém a veja. Não faça pagamentos em maquininhas que tiverem o visor danificado e desconfie se o vendedor pedir para digitar a senha mais de uma vez. Confira, sempre, o comprovante de pagamento.

Nunca entregue seu cartão para vendedores fazerem o pagamento por você. Lembre-se ainda de que você mesmo pode fazer o pagamento por aproximação, com o celular, usando o cartão virtual, que é a forma mais segura de proteger seus dados bancários. Para pagar com cartão virtual, basta cadastrá-lo na carteira digital que você tem no seu celular (Apple Pay ou wallets de Samsung e Google, por exemplo). Uma vantagem do pagamento com cartão virtual é que, para concluir a transação, é necessário fazer uma nova autenticação (biometria facial ou digital).

Se seu cartão ou seu celular com app de banco for furtado ou roubado, comunique imediatamente à instituição financeira.

Ative as notificações
Ative as notificações do aplicativo do banco. Isso facilita a identificação de operações fraudulentas, já que permite que você acompanhe todas as transações com os valores reais.

Cuidado com suas senhas
Em caso de perda, roubo ou furto de celular, existe a chance de o criminoso encontrar suas senhas anotadas no próprio aparelho. Para que isso não aconteça, não deixe senhas anotadas no bloco de notas do celular ou em conversas de aplicativos de mensagens.
Na hora de configurar as senhas, não adote combinações de fácil adivinhação, como data de nascimento.

Seguro para sua conta
É possível contratar seguros tanto para seu smartphone quanto para sua conta bancária. O Seguro C6 Conta, por exemplo, oferece coberturas para transferências Pix ou TED realizadas em situação de ameaça, extorsão, sequestro ou roubo. Também há cobertura para compras feitas pelo cartão do titular em lojas físicas ou online e saques realizados com o cartão do titular em casos de ameaça, extorsão, sequestro, roubo ou furto qualificado.