75 views 2 mins

Finalmente: o governo japonês deixa de usar disquetes

em Tecnologia
terça-feira, 06 de fevereiro de 2024

O Japão, um dos países mais avançados na área de tecnologia da informação, finalmente se despede dos disquetes, meio para armazenamento de dados muito difundido na década de 1990 e, por incrível que pareça, ainda utilizado pelo governo japonês.

Vivaldo José Breternitz (*)

O jornal Japan Today informou que o Ministério da Economia, Comércio e Indústria, no final de 2023, revogou as últimas regras que exigiam a entrega de dados através de disquetes e CDs.

Havia muita pressão para essa revogação, por dois motivos principais; o primeiro, é que meios físicos como esses reduzem a capacidade de envio e compartilhamento de dados, diminuindo a eficiência e complicando o processo de revisão ou atualização de informações. Em segundo lugar, porque é extremamente difícil encontrar disquetes no mercado, já que praticamente ninguém mais os usa – a Sony, um grande fabricante, parou de produzi-los em 2011.

O processo de mudança começou há dois anos, quando se descobriu que existiam cerca de 1.900 órgãos governamentais que só recebiam dados em disquetes ou CDs – a partir daí, o governo passou a alterar regras e procedimentos, tendo, no final de 2023 conseguido eliminar essa prática anacrônica.
Mas há outras surpresas do mesmo tipo: em 2021, a Alemanha anunciou planos de parar de usar fax, quando se descobriu que o governo federal ainda estava usando mais de 900 dessas máquinas.

Seria interessante descobrir qual a situação do Brasil nesse campo; talvez por nossos governos terem iniciado sua caminhada rumo à digitalização mais tarde, não tenhamos tantas relíquias ainda em operação.

(*) Doutor em Ciências pela Universidade de São Paulo, é professor da FATEC SP, consultor e diretor do Fórum Brasileiro de Internet das Coisas – [email protected].