Para presidente da câmara japonesa, “parlamentos precisam discutir questão ambiental

A Câmara dos Conselheiros do Japão, órgão equivalente ao Senado brasileiro, está empenhada na discussão de questões ambientais. A declaração é da presidente da câmara alta japonesa, Akiko Santo. A convite do presidente do Senado, Davi Alcolumbre, ela e uma delegação de parlamentares visitaram o Senado na sexta-feira (10) e conversaram com senadores brasileiros.

De acordo com Akiko Santo, na década de 1970, no Japão, era comum considerar desenvolvimento econômico e meio ambiente pautas não compatíveis. Nos dias atuais, a situação mudou e um parlamentar pode ter dificuldade de se eleger se ignorar a questão ambiental. “Muitos consideram o Japão atrasado na questão ambiental, mas nós queremos ser um país líder nessa questão e por isso estamos nos empenhando ao máximo no trabalho nessa área”, explicou.

A necessidade de discutir a questão ambiental, especialmente no que diz respeito a novas fontes de energia, se tornou ainda mais urgente após o acidente nuclear de 2011, quando um tsunami atingiu a Central Nuclear de Fukushima. A contaminação radioativa de territórios ao norte de Tóquio tirou de suas casas mais de 160 mil pessoas e fez com que o governo desativasse reatores nucleares e elaborasse um plano de longo prazo de investimento em fontes alternativas.

“O Japão é um país que tem se preparado muito para tais questões e desafios, muito focado na área de energia e meio ambiente. O encontro foi importante para que eles entendam que nós, congressistas brasileiros, também estamos preocupados com a questão ambiental”, disse a senadora Leila Barros (PSB-DF), que participou do encontro. O senador Hiroshige Seko, do Partido Liberal Democrático, disse considerar o meio ambiente uma questão universal e global, que exige adaptações dos países (Ag.Senado).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap