Gerenciamento de riscos é fator crucial para combater roubos de cargas

Em 2019, o Brasil registrou, oficialmente, mais de 18 mil roubos a cargas. Embora os dados levantados pela Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística (NTC) apontem uma tendência de queda nas ocorrências em relação ao ano anterior, as perdas das empresas chegam à casa dos
R$1,8 bilhão.

Dada a importância do transporte rodoviário de cargas no escoamento da produção nacional, é possível afirmar que este tipo de crime, em especial, gera amplas repercussões na economia do país, além de explorar uma vulnerabilidade intrínseca à infraestrutura logística brasileira. Ainda segundo a pesquisa, entre os itens mais visados para o roubo estão: cigarros e bebidas, autopeças, aparelhos eletrônicos e combustível.

Neste contexto, empresários do TRC têm contado cada vez mais com a tecnologia para proteger suas frotas, cargas e colaboradores. “Atuamos fortemente com um time no backoffice para análise do perfil do motorista, suas últimas viagens, histórico de transportes e mercadoria. Temos também ferramentas para buscar informações cadastrais em plataformas, analisando a vitimologia do motorista, e iniciando o reconhecimento facial para não haver fraudes de clonagem de documentos” afirma Diego Nazari, diretor de desenvolvimento de negócios na Rodovico Transportes.

“A tecnologia está ativada constantemente em todos os processos, desde o motorista terceirizado até o motorista da frota. Conforme a estruturação do centro de controle, houve uma redução de acidentes para zero em nossa frota própria; quanto a roubos, nossos índices também caíram muito” continua o empresário. De fato, inovações como o rastreamento remoto de veículos, gerenciamento de rota em tempo real e a coleta e cruzamento de dados podem ser consideradas as grandes responsáveis pela queda no número de roubos nas estradas.

Aliadas a técnicas de gerenciamento de risco, elas são fundamentais na garantia da segurança da carga e dos colaboradores. “Para nossa frota, implantamos, além de rastreador, o gerenciamento de rota em tempo real, identificando pontos de riscos para paradas e pernoites. A equipe do gerenciamento de risco também notifica qualquer saída e mudança de rota para uma melhor controle da viagem”, acrescenta Diego.

Essas ações preventivas fizeram com que o número de roubo de cargas transportadas pela Rodovico Transportes se mantivesse baixa durante os últimos quatro anos, foram dezoito roubos desde 2018. A expectativa é que no ano de 2021, estes processos continuem evoluindo e sendo difundidos entre as empresas do transporte rodoviário de cargas. O investimento em segurança e um bom planejamento operacional são a espinha dorsal de qualquer empreendimento logístico, e, sem dúvida, garantem o funcionamento do setor, a despeito de quaisquer imprevistos.

(*) – Formado em logística, pós-graduado em Gestão Empresarial pela FGV, atua como Diretor de Desenvolvimento e Negócios na Rodovico Transportes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap