64 views 5 mins

Criptomoedas em crise? Pesquisa revela diminuição no interesse

em Mercado
segunda-feira, 01 de abril de 2024

Em meio à recente volatilidade no mercado das criptomoedas, o debate sobre o seu impacto e lugar nas percepções de investimento está mais vivo do que nunca. Com o Bitcoin e outras criptomoedas novamente nas manchetes, é preciso examinar como essas moedas digitais influenciam a confiança dos investidores brasileiros e como as empresas financeiras podem preencher a lacuna entre o medo e a adoção.

Desde golpes de falsas consultorias de investimento até crimes cibernéticos, o número de tentativas de fraude contra os consumidores brasileiros chegou perto de ultrapassar os dez milhões em 2023, segundo o “Fraudômetro”, ferramenta criada pela Serasa Experian.

Segundo pesquisa VisualGPS da iStock, plataforma de e-commerce que oferece imagens e vídeos de alta qualidade para empresas, esse cenário pode ter contribuído para a queda do interesse dos brasileiros por criptomoedas nos últimos anos, caindo de 85% em 2022 para 78% em 2023.

Além disso, menos de 1% dos brasileiros considerariam investir em criptomoedas se tivessem dinheiro disponível. Apesar dos desafios, as criptomoedas continuam a fazer parte das conversas no mundo das finanças e da tecnologia. No Brasil, as fintechs e entidades bancárias desempenham um papel crucial na facilitação do acesso não apenas ao investimento em criptomoedas, mas também à entrada do público no mundo dos investimentos.

Empresas como Nubank, Bitso e Mercado Coin integraram criptomoedas em suas plataformas, reconhecendo seu potencial para além de meros investimentos especulativos.
O VisualGPS revelou que 43% dos brasileiros considerariam investir ou poupar em uma conta poupança em vez de gastá-lo. Segundo especialistas da iStock, um aspecto fundamental para aumentar ainda mais a confiança dos brasileiros nos investimentos, independentemente do tipo de investimento, é o papel que o conteúdo visual desempenha na percepção e compreensão dessas ofertas.

“A transformação digital para o setor financeiro é complexa e multifacetada. As tecnologias emergentes apresentam desafios quando se trata de adoção generalizada. À medida que os bancos tradicionais e as fintechs continuam a criar oportunidades para a acessibilidade ao investimento, construir confiança é e continuará sendo uma prioridade fundamental para se conectar com os consumidores brasileiros”, disse Samuel Malave Jr., gerente de Creative Insights da iStock & Getty Images.

61% das imagens e vídeos mais populares que o setor financeiro está usando para representar criptomoedas concentram-se em cenários de investimento, ignorando o papel que as criptomoedas ou os investimentos desempenham na digitalização e no setor bancário”.

A pesquisa VisualGPS revelou que 61% da Geração Z e Millennials se sentem confiantes sobre as criptomoedas, e 47% acreditam que estas poderão substituir o sistema bancário tradicional no futuro. Para inspirar confiança, Malave recomenda que as fintechs e as empresas bancárias tradicionais visualizem o papel das criptomoedas numa economia sem dinheiro, facilitando pagamentos e enfatizando a negociação de ativos em uma rede online.
Esses conceitos representam uma oportunidade de contar uma história mais ampla sobre as criptomoedas, além da ascensão das ações ou dos investimentos de risco.

Malave recomenda ainda que com a inteligência artificial (IA) cada vez mais no centro da transformação digital, as empresas do setor financeiro tenham a oportunidade de educar e remodelar representações ultrapassadas, afastando-se das representações tecno-futuristas para considerar imagens que combinam conceitos visuais com pessoas e serviços reais, com os quais seu público pode se identificar.

E embora a conveniência do serviço online continue a ser essencial, é fundamental visualizar a empatia humana, em vez de apenas a eficiência digital. Por fim, segundo o especialista, a confiança digital é um aspecto vital na relação entre as marcas financeiras e os seus clientes. Por meio de imagens e vídeos que transmitem segurança, proteção de dados e transparência, é possível fortalecer a confiança do público e destacar o compromisso da empresa com a segurança digital e a privacidade dos usuários. – Fonte e outras informações: (www.istock.com).