127 views 3 mins

Como se preparar para as profissões do futuro?

em Mercado
segunda-feira, 09 de março de 2020

Com as mudanças significativas do mercado de trabalho e a tecnologia influenciando cada vez mais o ambiente corporativo, muito tem se falado sobre a transformação das carreiras, influenciada principalmente pela tecnologia. Por isso, é essencial que os profissionais continuem se atualizando e focando em desenvolver novas capacidades, que vão além das habilidades cognitivas. Pensando nisso, a HSM University elencou as principais características de cada área e como os profissionais devem se preparar para o futuro.

  1. Gestor de inovação – A principal função desse profissional é empreender dentro do ambiente corporativo, usando suas ideias inovadoras para garantir resultados melhores para o negócio. Quem se forma nessa área também está apto para fazer não apenas uma gestão de pessoas, mas também uma gestão emocional dos liderados. Esse profissional terá uma média salarial de R$ 16 mil.
  2. Cientista de dados – Empresas data driven são o futuro do mercado de trabalho. O uso massivo de redes sociais e de outras ferramentas da internet, como as próprias buscas no Google, tem proporcionado um grande volume de dados para os negócios. Diante desse cenário, é necessário incorporar profissionais que saibam transformar essas informações em insights decisivos para as organizações. Como consequência, é possível otimizar os serviços e produtos para que atendam melhor às necessidades dos consumidores. A remuneração média dos cientistas de dados é de R$ 7 mil.
  3. Advogado de proteção de dados – Além dos cientistas de dados, as empresas vão precisar também de advogados que lidem com a proteção dessas informações. Muito dessa nova forma de enxergar os dados de internet se dá graças à Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), que entra em vigor em agosto de 2020. Existem companhias que pagam até R$ 50 mil para advogados de proteção de dados.
  4. Perito forense virtual – Ainda que a internet seja um espaço de prosperidade tanto para negócios quanto para profissionais, ainda existem alguns desafios a serem contornados. Um deles consiste em crimes cibernéticos, fraudes, espionagens, invasões a servidores ou máquinas e assim por diante. Enquanto os desenvolvedores buscam maneiras de proteger esses sistemas, o perito forense digital vai em busca de respostas.

Esse profissional, que deve ter inglês fluente e muito conhecimento tecnológico, pode receber até R$ 20 mil por mês. Reconhecer padrões e ter persistência são competências presentes no perfil do perito forense, cuja função é rastrear minuciosamente as ocorrências citadas acima.

“Independentemente da área escolhida o mais importante é que os profissionais estejam abertos às mudanças em um cenário disruptivo, entendendo o timing das transformações combinado ao autoconhecimento e a constante reciclagem educacional”, finaliza o coordenador e supervisor acadêmico da HSM University
Paulo Lira (AI/HSMU).