54 views 2 mins

Geraldo Alckmin cita reformas de Temer e critica populismo

em Manchete
sexta-feira, 07 de abril de 2017
Reprodução/Twitter

Reprodução/Twitter

Governador de São Paulo, Geraldo Alckmin.

São Paulo – O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin afirmou na sexta-feira (7), que o Brasil está fazendo reformas e criticou o populismo durante a etapa América Latina do Fórum Econômico Mundial de Davos, que está sendo realizado em Buenos Aires. O tucano também classificou a geração de empregos como o maior desafio mundial atual. O governador viajou ao país argentino, onde recebeu oficialmente o anúncio de que São Paulo será sede do evento regional em abril de 2018.
Ao ser provocado para falar dos desafios de gerações jovens e mais experientes nos países, Alckmin citou as reformas que o presidente Michel Temer está tentando aprovar no Congresso. “Entre elas a reforma da Previdência e a outra tem a ver com trabalho, que tem leis do século passado. É um grande desafio para o mundo. A tecnologia desemprega, a agricultura mecaniza, a indústria robotiza. Um grande problema do mundo será a empregabilidade”, disse.
O governador defendeu que a América Latina deve discutir como integrar as pessoas ao emprego frente às mudanças tecnológicas e disse que o “velho modelo” educacional não funciona mais, defendendo uma reforma educacional e criticando o populismo. “Não podemos cair no populismo e neste discurso”, afirmou. Durante painel com outras lideranças latinas, Alckmin destacou que há uma preocupação com a violência de gênero.
“Em São Paulo, reduzimos o índice de homicídios em 25 por 100 mil habitantes para 8 por 100 mil habitantes e renovamos toda a legislação para combater a violência contra a mulher e protegê-las”, disse. Ao afirmar que é uma grande alegria receber o evento no próximo ano, Alckmin destacou a participação dos jovens nas discussões. “O futuro começa hoje e este se chama juventude. Realmente estamos muito contentes de ver essa força e ver que os jovens participam mais da vida política”, disse o tucano (AE).