Entre o Isolamento Horizontal e o Vertical proponho o Isolamento em Diagonal!

Assisti ao pronunciamento de diversos líderes mundiais e brasileiros, confesso que de todos o que mais me marcou foi o da Ângela Merkel, chanceler da Alemanha. No seu discurso ela deixa claro que esta pandemia é algo nunca enfrentado pela humanidade e que não existem respostas certas para os desafios, o nível de incerteza é alto e que vamos acertar e errar nas decisões.

Leandro R. Santos (*)

Este discurso me marcou por diversos motivos, entre eles, o fato de que a Ângela Merkel me traz recordações das minhas avós, com seu falar baixo e cadenciado, mostrando seus sentimentos e deixando no ar o carinho com todos, também me impressionou pois foi um discurso de conciliação, de compreensão, de pedido de união e ajuda mútua, deixando o lado humano de sua liderança transparente em sua incerteza sobre as decisões mas firme em dizer que buscará, dentro dos conhecimentos atuais, tomar as melhores decisões e adapta-las sempre que a realidade mostrar a necessidade.
Não vivo na Alemanha e não sei a real situação de disputa política por lá, pode ser que como na maiorias dos países do mundo, a busca por protagonismo esteja subindo a cabeça dos governantes que ao invés de dialogar para buscar colaboração e soluções vem tentando mostrar os erros e acertos uns dos outros, o que como disse a Ângela Merkel em seu discurso, é o normal pois ninguém tem as respostas certas para todas as perguntas e quais são os melhores caminhos para enfrentar esta crise e não criar outras.
Também não sou médico e, muito menos, especialista em lidar com pandemias virais ou de qualquer outro tipo, mas tenho vivência que quando todos colocamos nosso melhor em prol de um objetivo comum e jogamos juntos, como um time joga para vencer, as coisas tem muito mais chances de dar certo.


Hoje no Brasil, e acredito que na maioria dos países, está em curso uma discussão sobre qual a melhor estratégia de combate a pandemia, se o Isolamento Total ou o Isolamento somente dos grupos mais vulneráveis, o que se convencionou chamar de Isolamento Horizontal (isolamento total) e Isolamento Vertical (somente os mais vulneráveis). Acredito que a melhor resposta está sempre entre as visões extremas, que quase sempre tem algum viés por trás, portanto o melhor é usar o senso comum, que indica a necessidade de acharmos o que estou chamando de Isolamento Diagonal, que seria um plano de partindo do Isolamento Horizontal chegarmos em algum tempo no Isolamento Vertical. Ao que parece, a vida não será a mesma por um bom tempo, mesmo depois do pico da pandemia passar, novos hábitos serão necessários e a forma de estudar, trabalhar e viver devem mudar uma vez que ainda não existe uma vacina preventiva ou um tratamento comprovado para a doença, ou seja, seremos obrigados a conviver com o COVID-19 nos protegendo do contágio o máximo possível, indicando que, mesmo que o isolamento social seja relaxado, o distanciamento social deverá fazer parte de nossa rotina pois é a única forma de minimizar as chances de contágio neste momento.

Entre uma estratégia e outra existe uma infinidade de possibilidades, mas acredito que aprender durante o processo de transição parece a de maior bom senso.


Como amplamente divulgado, a ideia do Isolamento Horizontal é diminuir ao máximo a velocidade da contaminação entre indivíduos através do isolamento social. Ao que parece, as medidas de Isolamento Horizontal devem ser de, no mínimo, entre duas e quatro semanas, período que os especialistas afirmam ser o tempo de incubação do vírus mais o tempo de recuperação em caso de contaminação, ou seja, parece razoável que aos sinais de crescimento da taxa de indivíduos com o vírus confirmados uma estratégia de Isolamento total temporária faz todo o sentido. É importante destacar que mesmo neste caso, algumas atividades precisam continuar acontecendo pois são essenciais para que a maior parte da população possa ficar em confinamento, exemplos são as atividades de cuidados com a saúde (Hospitais, Postos de Saúde, Etc), de limpeza urbana, segurança pública, produção e distribuição de alimentos, serviços de entrega, produção de equipamentos de proteção individual e de suporte a vida, produção de equipamentos para ampliação dos serviços para o trabalho remoto e a venda por delivery entre muitos outros. Neste sentido o governo publicou uma lista de serviços essenciais que devem continuar operando mesmo na condição de Isolamento Horizontal.
A teoria do Isolamento Vertical, em que se protegem os mais vulneráveis e todos os demais devem retornar as atividades tem sido apresentada em algumas situações, por exemplo o primeiro ministro Israelense em sua fala aos cidadãos de seus país deixa claro que em Israel está e a visão de combate ao vírus. A situação em Israel na data de publicação deste artigo, 29/03/2020, era de 3865 casos confirmados com 15 mortes relacionadas ao corona vírus. Não tenho detalhes de como está a situação hoje em Israel e se este posicionamento do governo local mudou mas caso isto seja realmente a forma de enfrentamento do país, a decisão deve estar amparada por um bom sistema de saúde pública que seja capaz de absorver o aumento significativo, e em curto prazo, do número de casos de pessoas, principalmente as do grupo de risco, que precisarão de cuidados intensivos e com equipamentos de suporte ao combate da severa pneumonia derivada da contaminação pelo vírus.
Entre uma estratégia e outra existe uma infinidade de possibilidades, mas acredito que aprender durante o processo de transição parece a de maior bom senso. Já temos os resultados do combate ao corona vírus na China em diversas regiões e já existe naquele país um cronograma para que a província de Hubei, a mais afetada pela pandemia, retorne ao trabalho no dia 9 de abril, ou seja, todas as regiões da China passaram da estratégia de Isolamento Horizontal para o retorno as atividades do dia a dia em um prazo de até 60 dias. As informações vindas da China mostram que apesar da saída do regime de isolamento muitas regras para o convívio social e a operação dos estabelecimentos industriais e comerciais mudaram e todos os tipos de atividades foram adaptados para reduzir a possibilidade de contagio, com ações para aumento da distância entre os indivíduos, menor convívio social, melhorias das condições de higienização, controles e monitoramentos de indivíduos com sintomas entre muitas outras.
Parece razoável propor uma estratégia de Isolamento Diagonal, que seria a partir do Isolamento Horizontal que sejam criadas regras para o retorno gradual das atividades, partindo das mais essenciais para as menos essenciais ao longo do tempo e da evolução dos controles da expansão da pandemia. À medida que o sistema de saúde esteja melhor preparado pode-se acelerar a velocidade de transição, também parece razoável que levemos em consideração o grupo de vulnerabilidade nesta estratégia, deixando por último o retorno ao convívio social para este grupo.

  • Save
Reprodução

Isolamento Diagonal
A ideia do isolamento diagonal é oferecer a sociedade um plano geral, mas flexível, que possa ser adaptado em função das condições externas estarem adaptadas para enfrentar de maneira apropriada a redução das restrições do isolamento. É razoável supor que manter o isolamento total por muito tempo deve trazer consequências possivelmente mais danosas, no médio e longo prazo, que a própria pandemia. Uma recessão econômica muito grande, com altos níveis de desemprego associados as doenças que podem aparecer após longos períodos de isolamento social podem ser muito difíceis de superar. Neste período de Isolamento Horizontal é muito importante que os Governos apresentem planos de proteção temporária para os indivíduos mais vulneráveis assim como de proteção ao emprego, de forma a permitir que os impactos na economia sejam minimizados. É também importante a implementação de políticas públicas de proteção específica aos indivíduos do grupo de risco, que deverão continuar com restrições de convívio social, numa estratégia de Isolamento Vertical, por muito mais tempo devendo-se estender em isolamento mesmo após do pico da pandemia.
No gráfico a seguir mostra-se uma possível estratégia de isolamento diagonal, em que começa-se com um período de Isolamento total, a exceção das atividades essenciais que devem continuar em operação e, ao longo do tempo, libera-se novas atividades à medida que a taxa de contaminação se mostre mais controlada e as condições do sistema de saúde esteja melhor estruturada até que todas as atividades econômicas sejam reestabelecidas e inicia-se então um período de Isolamento somente aos grupos mais vulneráveis. Neste período pós Isolamento Horizontal são criadas regras para que as atividades, das mais essenciais as menos essenciais possam retornar à atividade, aplicando-se regras e controles na forma de operação onde o contágio seja reduzido através de medidas de higienização, distanciamento, controles e monitoramentos adicionais.

  • Save
Conceito do Isolamento Diagonal onde Combina-se o Horizontal e Vertical


Nesta transição o mesmo conceito se aplicaria aos grupos de risco, o retorno das pessoas as atividades também devem seguir do grupo de menor risco para o de maior risco. Para explicar melhor o conceito, acho que faz sentido que atividades que possam ser adiadas e recuperadas posteriormente, devam retornar apenas após a criação das condições do sistema de saúde e das regras de operação estarem preparadas, por exemplo escolas até o 9° ano fundamental deveriam ser as últimas a retornar, após as universidades e após as escolas de ensino médio. No caso das indústrias as essenciais continuariam a operar, com regras novas de controles e, as demais atividades econômicas, deveriam retornar progressivamente com novas regras e em função do seu impacto social e econômico, por exemplo após as indústrias, o comercio deveria retornar, aos poucos, com restrições de capacidade e novas regras de operação, e posteriormente as atividades individuais, deixando-se por último os eventos sociais (Culturais, Esportivos, Convenções e Etc). A tabela a seguir mostra um exemplo macro de plano de Isolamento Diagonal de 13 semanas. É importante destacar que a este cronograma é necessário a definição de regras para o retorno para operação de cada atividade econômica, das mais essenciais as menos, com regras mínimas de higienização, controles adicionais para criação de distanciamento social e monitoramento constante de riscos relativos ao contágio.

  • Save
Exemplo cronograma macro num Plano de Isolamento Diagonal


Novamente não existem respostas claras e certas para a melhor forma de combater o desafio desta pandemia, mas acredito que possamos sim ter um plano estruturado e flexível que reduza os impactos de curto, médio e longo prazo, mostre o caminho, descreva os desafios ao longo do tempo e permita a toda a sociedade enxergar a solução no futuro, isto dará a todos a confiança para atravessar este momento, mostrará que juntos, somos sim muito mais fortes e que podemos chegar lá e vencer este desafio com o menor impacto social e econômico. O nosso Ministro da Saúde falou sobre isto, no dia 28/03, e entendi que este é o caminho que estamos buscando no Brasil. É importante que o viés de cada um de nós não seja a barreira para superarmos este momento. Deixo aqui minha melhor contribuição, apresentando uma proposta que permite alinhamento de visões e conciliação de divergências e reforço que acredito muito na capacidade de nós, brasileiros, sermos exemplos para o mundo e construirmos uma solução para vencermos esta batalha, superando este imenso desafio JUNTOS ao mesmo tempo em que ficamos mais FORTES, mais UNIDOS e principalmente mais HUMANOS.

“O ponto de vista expresso aqui são meus e não, necessariamente reflete o ponto de vista da Flex”

(*) É Vice-Presidente da Flex Brazil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap