Pessoas com mais de 50 anos aderem às compras online

Nos últimos três anos, pessoas com mais de 50 anos passaram a fazer muito mais compras online. O número de pedidos realizados por consumidores dessa faixa etária mais do que dobrou, totalizando 49,5 milhões de compras online e uma participação de mercado de 18,57% em 2021.

O faturamento do comércio eletrônico na faixa dos 50+ também apresentou crescimento, com alta de 27% em relação a 2020, e uma arrecadação de R$ 29,5 bilhões no ano passado. O levantamento foi feito pela Neotrust, empresa de inteligência que monitora o e-commerce brasileiro e conta com a maior base de dados reais e transacionais do mercado digital no país.

Em comparação ao período pré-pandemia, o avanço do e-commerce na faixa 50+ é ainda mais expressivo. Em 2019, o faturamento do setor foi de R$ 12,6 bilhões, um crescimento de R$ 16,9 bilhões em dois anos. Houve também um aumento de 1,12% no ticket médio das compras virtuais, que passou de R$ 590,30 em 2020 para R$ 596,90 em 2021. “O comércio eletrônico teve um crescimento bastante expressivo após a chegada da pandemia, que impulsionou a aceleração das vendas entre o público com mais de 50 anos.

Apesar de ser vista como um faixa etária menos presente no ambiente digital, eles passaram a confiar e marcar presença cada vez mais no e-commerce, e hoje superam os jovens de 18 a 25 anos em compras online, por exemplo”, analisa Paulina Dias, Head de Inteligência da Neotrust.

Em 2021, as cinco categorias que lideraram o número de pedidos no e-commerce entre o público com mais de 50 anos foram: beleza, perfumaria e saúde; moda e acessórios; artigos para casa; móveis, construção e decoração; e entretenimento, respectivamente. O destaque vai para o setor de beleza, perfumaria e saúde, que atingiu o topo do número de pedidos pela primeira vez em 2021, até então liderado por moda e acessórios desde 2019.

“A pandemia desencadeou uma mudança de hábitos nos brasileiros, inclusive no público com mais de 50 anos, que passou a comprar de forma mais frequente itens de beleza, perfumaria e saúde no e-commerce. Entretanto, com a retomada do varejo físico pós-pandemia, a expectativa é que as categorias tenham um crescimento menos acelerado em comparação com os últimos anos”, explica Paulina Dias.

O cartão de crédito foi o meio de pagamento mais comum entre a faixa 50+, representando 76,5% dos pedidos virtuais em 2021. O boleto bancário aparece como segundo método de pagamento, com cerca de 11,7%. O PIX, apesar de ainda ser uma forma pouco explorada, segue ampliando sua participação no e-commerce. No ano passado, 4,1% dos pedidos foram pagos pelo pagamento eletrônico instantâneo. – Fonte e mais informações: (www.neotrust.com.br).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap